Temas sobre o atual momento da política que podem cair no Enem

O momento conturbado da política brasileira e mundial induz a abordagem, já que a prova é inspirada na atualidade.


Para se preparar para as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que acontecem nos dias 5 e 6 de novembro, os estudantes têm de estar atentos a muitos temas, sobretudo referente a política.

Ela pode ser abordada nas questões da prova de história ou então como tema da redação. O atual momento conturbado da política brasileira e mundial induz a abordagem, já que a prova é inspirada na atualidade.

Para se preparar bem para o que está por vir, basta ficar de olho nos jornais, revistas, sites noticiosos e telejornais. Fora isso, preste atenção também a momentos históricos do passado que podem fazer ligação com o presente.

Temas sobre o atual momento da política que podem cair no Enem

Foto: depositphotos

O impeachment

No início da segunda quinzena do mês de abril, a Câmara dos Deputados votou a favor da abertura de processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff.

A situação veio à tona após denúncia contra Dilma que configurariam o chamado crime de responsabilidade, a partir da concessão de crédito não autorizado, desvio de finalidade e pedaladas fiscais.

Na votação no Senado Federal, os senadores votaram a favor da abertura do processo de impeachment, afastando a presidente Dilma por um período de 180 dias.

No seu lugar, quem assumiu foi o vice-presidente, Michel Temer, que passou a figurar como presidente em exercício.

Desde então, uma séria de mudanças, incertezas, polêmicas e medidas em prol da recuperação da situação política e econômica do país passaram a fazer parte dos noticiários.

No Enem, o assunto pode ser amplamente explorado, já que diz respeito a situação atual da política brasileira. Até porque, essa não é a primeira vez que um presidente eleito por votação direta sofre processo de impeachment.

Em setembro de 1992, o então presidente, Fernando Collor de Melo, teve o pedido de abertura do processo contra o seu mandato aprovado pela Câmara.

Estado Islâmico

Os atentados terroristas que aconteceram na Bélgica e Iraque, no início de 2016 chamaram a atenção de todo o globo para as ações do grupo terrorista Estado Islâmico (EI).

No exame, a temática pode ser abordada na forma em que se dá os ataques, como: o esquema montado, o motivo em e ainda a forma com que as pessoas são recrutadas. O estudante tem de enxergar a relação política mundial que isso pode ter.

O EI nasceu de uma dissidência do braço da Al Qaeda, no Iraque, na segunda metade dos anos 2000. Ao longo dos anos, ele foi ganhando força a partir da invasão de muitas cidades, campos de petróleo, armas e fortificações dos Exércitos da Síria e do Iraque.

Eleições Americanas

Marcada para acontecer no dia 8 de novembros desse ano, a escolha do novo presidente dos Estados Unidos está mobilizando toda a mídia internacional.

Depois de um complexo processo para a escolha dos representantes dos partidos Republicanos e Democratas, Donald Trump e Hillary Clinton, respectivamente, as atenções se voltam para suas ideologias.

O resultado dessa disputa interessa ao mundo todo, sobretudo no que diz respeito as esferas econômicas e políticas. Por isso, possivelmente, o assunto será abordado na prova.

Vale a pena revisar o processo para escolha do candidato, votação dos delegados dos colégios eleitorais e um pouco da atuação dos principais candidatos da disputa.

Crise dos refugiados

A política interna da Síria, governada há 50 anos por um partido chamado Baath, atualmente liderada por Bashar al-Assad, vem resultando numa das maiores taxas de migração dos últimos tempos.

A maioria desses refugiados seguem em direção a Europa, atravessando o Mar Mediterrâneo.

Tudo foi desencadeado a partir da revolta da população síria contra Bashar al-Assad, que fez com que milhares de militares invadissem a casa das pessoas que se apresentam contra o governo.

Com a ramificação dos opositores, rebeldes e aliados da Al-Qaeda na Síria enfrentam o Estado Islâmico (EI), grupo conhecido pela brutalidade. Esse enfrentamento vem se arrastando desde 2014.

Divulgado amplamente pela mídia, os direitos humanos dos refugiados pode ser abordado, assim como a política em favor dos refugiados dos principais países escolhidos pelos imigrantes.

Para conter o excesso desses refugiados, os países europeus estão adotando leis severas.

América do Sul

Países da América do Sul, em especial a Argentina e Venezuela, estão passando por algumas transformações nos modelos políticos e econômicos.

A implantação do modelo liberal pela Argentina, pode trazer consequências para o Brasil, assim como a crise do chavismo na Venezuela.

A eleição de Maurício Macri, em 2015, na Argentina, pôs fim ao sistema peronista, radicalista socialdemocrata, que imperava no país há cerca de 100 anos. Isso traz consequência de maior abertura de mercado e intervenções por parte dos Estados.

Em março de 2016, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, fez uma visita ao país, marcando a reaproximação entre eles. Os dois presidentes assinaram acordos em matéria de segurança, comércio e investimento.

Na Venezuela, o legado econômico de 14 anos de governo do presidente venezuelano Hugo Chávez, vem refletindo consequências até os dias de hoje.

Em março de 2016, a oposição anunciou referendo e emenda para depor Maduro, voltando ainda mais os olhos da imprensa para o país.


Reportar erro