Teoria da Relatividade

A Teoria da Relatividade foi desenvolvida no início do século XX pelo físico alemão Albert Einstein, um dos cientistas mais notáveis e brilhantes de…


A Teoria da Relatividade foi desenvolvida no início do século XX pelo físico alemão Albert Einstein, um dos cientistas mais notáveis e brilhantes de todos os tempos. A Relatividade transformou-se em uma das teorias mais importantes da Física, sendo a base para as posteriores demonstrações realizadas na Física, tais como a unidade do espaço e do tempo, da matéria e da energia e a equivalência entre as forças de gravidade e os efeitos da aceleração de um sistema.

Teoria da Relatividade

Foto: Reprodução

De acordo com Einstein, tudo o que existe no Universo se movimenta a uma velocidade distribuída entre o tempo e o espaço, sendo que o tempo corre com velocidade máxima para um corpo parado; já quando o corpo se coloca em movimento e ganha velocidade no espaço, a velocidade do tempo diminui, passando mais devagar para ele. Ou seja, tempo e espaço são relativos e estão extremamente ligados um ao outro.

Histórico da Teoria da Relatividade

A primeira parte da teoria de Einstein, a Teoria da Relatividade Especial, foi elaborada em 1905. Segundo essa teoria, existe uma contração no comprimento dos corpos: quanto mais rápido um objeto se movimenta, mais curto ele fica. Esta teoria deduz que o comprimento, a massa e o tempo de um objeto variam de acordo com a sua velocidade.

No ano de 1915, o físico alemão desenvolveu a segunda parte de sua teoria: a Teoria da Relatividade Geral, na qual usou a constatação da teoria anterior para redefinir a gravidade, examinando a influência do espaço e do tempo na atração entre os corpos. A Teoria da Relatividade Geral considera os objetos que se movimentam de forma acelerada um em relação ao outro, para poder explicar as aparentes contradições entre as leis da relatividade e a lei da gravidade.

Aplicação prática no cotidiano

Uma aplicação prática da Teoria da Relatividade é encontrada em um instrumento comumente utilizado atualmente, presente nos automóveis, celulares, aviões, navios etc.: o GPS, capaz de determinar a posição na Terra com alta precisão.

A calibragem dos satélites do GPS é possível graças à teoria de Einstein e, se não fosse esta teoria, todas as medidas estariam erradas e o sistema do relógio do satélite acumularia erros de aproximadamente 10 quilômetros ao dia. O GPS depende de mais de 20 satélites que orbitam ao redor da Terra, e os cálculos relativísticos precisam ser considerados por causa da velocidade dos satélites.


Reportar erro