Terceira Revolução Industrial

Ao contrário do que o termo “revolução” sugere, as revoluções industriais não foram processos de ruptura imediata. Todas foram longos processos que se deram…


Ao contrário do que o termo “revolução” sugere, as revoluções industriais não foram processos de ruptura imediata. Todas foram longos processos que se deram e concretizaram com o passar dos anos. Com início em meados da década de 1940, a Terceira Revolução Industrial chegou logo após o término da Segunda Guerra Mundial com a liderança dos Estados Unidos, que se tornou a grande potência econômica neste período. Com duração até os dias atuais, sua principal característica é o uso de tecnologias avançadas no sistema de produção industrial. A primeira revolução industrial aconteceu quando a energia a vapor passou a ser utilizada para o aceleramento dos processos industriais. Nela o trabalho físico começa a ser substituído pela força mecânica. Na segunda, o petróleo começa a competir com o carvão. A eletricidade também surge como fonte de energia indispensável.

Terceira Revolução Industrial

Terceira Revolução Industrial

Foto: Reprodução

Como padrão, permanece o sistema de produção em massa, disseminado a partir da indústria automobilística. No entanto, o processo de produção japonês conhecido como produção enxuta ou Toyotismo ganha cada vez mais espaço. O processo reúne equipes de operários com habilidades diversas para trabalharem ao lado de máquinas automatizadas produzindo maior quantidade de bens com variedade de escolha. A hierarquia gerencial e as linhas de produção passam a ser substituídas por equipes multiqualificadas trabalhando em conjunto, diminuindo o esforço humano e os custos.

Principais características da Terceira Revolução Industrial

Nesta utilizam-se várias fontes de energia, antigas ou novas como o petróleo, energia hidrelétrica, nuclear, eólica, entre outras. Há o crescente uso de recursos da informática nos processos de produção industrial, como por exemplo a robótica. Além disso, diminui o emprego de mão de obra humana que passa a ser substituída pelas máquinas, por sistemas automatizados, computadores e robôs industriais. O uso da tecnologia nos processos de produção visam diminuir os custos e o tempo de produção, e há o desenvolvimento da biotecnologia, ampliando a produção da indústria de medicamentos. Ocorre a massificação dos produtos tecnológicos ligados aos meios de comunicação e internet no início do séc. XXI como os celulares, notebooks e tablets. Nesta fase ainda ocorre o aumento da consciência ambiental a partir da década de 1980 e algumas indústrias passam a buscar processos sem ou com baixo impacto ambiental. Neste contexto, também aconteceu a instrumentalização da economia financeira, conhecida como Economia de Mercado. Sua integração mundial está vinculada à Globalização.


Reportar erro