Tipos de discurso

Em um texto narrativo, podemos encontrar o discurso direto, discurso indireto e discurso indireto livre. Saiba mais sobre os tipos de discurso


O discurso é uma prática social de construção de textos, sejam eles escritos ou orais. Trata-se do meio pelo qual se transmite uma ideia ou se expõe uma opinião e, ao realizarmos a análise de um discurso, devemos levar em consideração o contexto em que ele se encontra, bem como as condições de produção do texto e os personagens.

Em um texto narrativo, o desenrolar dos fatos pode ser contado pelo narrador por meio de três tipos de discurso: o direto, o indireto e o indireto livre.

Neste artigo, saiba mais acerca de cada um deles.

Discurso direto

No discurso direto, os diálogos são retratadas sem a interferência do narrador, com a reprodução fiel das falas das personagens. Neste tipo de discurso, os traços da fala e da personalidade dos personagens são destacados e expostos no texto.

O narrador faz uso de alguns sinais de pontuação, como travessões, dois pontos e aspas, e verbos de elocução, como dizer, perguntar, responder, indagar, exclamar, ordenar, entre outros.

Confira os exemplos a seguir:

“O Guaxinim está inquieto, mexe dum lado pra outro. Eis que suspira lá na língua dele – Chente! que vida dura esta de guaxinim do banhado!…”

“Maurício saudou, com silenciosa admiração, esta minha vida avisada malícia. E imediatamente, para meu príncipe:
– Há três anos que não te vejo Jacinto… Como tem sido possível, neste Paris que é um aldeola, e que tu atravancas?”

Tipos de discurso

Imagem: Pixabay

Discurso indireto

Neste tipo de discurso, o narrador reproduz as falas das personagens com o uso de suas próprias palavras. Ele conta a história e reproduz as falas e reações das personagens em 3ª pessoa.

Confira os exemplos a seguir:

“Fora preso pela manhã, logo ao erguer-se da cama, e, pelo cálculo aproximado do tempo, pois estava sem relógio e mesmo se o tivesse não poderia consultá-la à fraca luz da masmorra, imaginava podiam ser onze horas.”

“Dario vinha apressado, o guarda-chuva no braço esquerdo e, assim que dobrou a esquina, diminuiu o passo até parar, encostando-se à parede de uma casa. Foi escorregando por ela, de costas, sentou-se na calçada, ainda úmida da chuva, e descansou no chão o cachimbo. 
Dois ou três passantes rodearam-no, indagando se não estava se sentindo bem. Dario abriu a boca, moveu os lábios, mas não se ouviu resposta. Um senhor gordo, de branco, sugeriu que ele devia sofrer de ataque.”

Discurso indireto livre

Trata-se de uma combinação dos tipos de discurso anteriores. No discurso indireto livre, as formas direta e indireta fundem-se em um processo no qual o narrador conta a história e as falas e pensamentos dos personagens também podem ser inseridas, de acordo com a necessidade do autor.

Confira o exemplo a seguir:

“Olhava-a, abria-a e chegava mesmo a aspirar-lhe o perfume do forro, misto de verbena e de fumo. A quem pertenceria?… Ao Visconde. Era talvez presente da amante.”

*Débora Silva é graduada em Letras (Licenciatura em Língua Portuguesa e suas Literaturas)


Reportar erro