Tsunami

A palavra tsunami foi usada inicialmente pelos japoneses para designar as ondas gigantes do maremoto. Traduzindo, seu significado seria algo próximo de onda de…


A palavra tsunami foi usada inicialmente pelos japoneses para designar as ondas gigantes do maremoto. Traduzindo, seu significado seria algo próximo de onda de porto, usada para chamar uma série de ondas causadas pelo deslocamento de uma grande quantidade de água, como um oceano, por exemplo. Estima-se que, aproximadamente, 195 eventos já foram registrados no Oceano Pacífico. Os tsunamis podem causar enormes destruições em regiões costeiras devido ao grande volume de água e sua velocidade ao invadir a costa.

Tsunami

Foto: Reprodução

Como se forma?

Um tsunami, de uma forma geral, é formado por diversas anomalias que causam o deslocamento de uma enorme quantidade de água. Essas anomalias podem ser deslocamentos das placas tectônicas, terremotos, erupções vulcânicas e queda de meteoritos, por exemplo.

Características

Com mais de 30 metros de altura, e velocidades impressionantes que podem chegar aos mil quilômetros por hora, as grandes ondas são um fenômeno natural e perigoso, que pode causar muita destruição e mortes. Muitos dos tsunamis de que se tem registro atualmente aconteceram no Oceano Pacífico, mas podem acontecer em quaisquer oceanos. Em alto mar, sua amplitude é pequena, mas o comprimento de onda é extremamente longo, podendo chegar a centenas de quilômetros. Sua altura, normalmente aumenta quando está em águas mais rasas, próxima à terra, passando despercebida no mar. Mesmo quando ocorre em marés baixas, um tsunami pode acontecer e inundar áreas costeiras.

Quando estão chegando na costa, as águas tornam-se rasas pois o empolamento da onda comprime e diminui sua velocidade para menos de 80 km/h, e o comprimento que antes tinha mais de 1000 km, passa a ter menos de 20, mas sua amplitude cresce rápida e significativamente, produzindo ondas imensas.

Como prevenir?

Existem formas de prevenção que, atualmente, estão disponíveis para diversos países. Essa prevenção é feita por meio de equipamentos que podem captar e identificar a formação e a propagação dessas ondas. Isso permite que os governos adotem planos de escape deslocando as pessoas das áreas de risco antes do fato acontecer, salvando inúmeras vidas. A destruição ainda é inevitável, uma vez que se trata de um fenômeno natural com uma grande massa de água muito veloz.

Ocorrências

Como já citamos, é comum ocorrerem tsunamis no Oceano Pacífico, mas estes podem ocorrer em qualquer oceano, inclusive existem histórias antigas descrevendo ondas repentinas e catastróficas que aconteciam em torno do Mar Mediterrâneo. Em 1883, por exemplo, temos um caso conhecido como A Explosão de Krakatoa, que aconteceu na ilha vulcão Krakatoa, que explodiu e gerou muitos tsunamis. Estes puderam ser observados ao longo do Oceano Índico e Pacífico, e nas ilhas de Java e Sumatra, chegaram a atingir vários quilômetros por terra, causando destruição e morte. Existem muitos casos de tsunamis registrados por causas diversas, mas graças às tecnologias, alguns podem ser previstos e a população protegida.


Reportar erro