Variantes linguísticas

A língua pode transformar-se através do tempo devido a vários fatores vindos da própria sociedade. Conheça as variantes linguísticas que ocorrem na língua


A língua pode transformar-se através do tempo devido a vários fatores vindos da própria sociedade, pois ela não é regida por normas fixas e imutáveis. Uma mesma língua sempre estará sujeita a variações, como a diferença de épocas, regionalidade, grupos sociais e diferentes situações, como a fala formal e informal.

Você já deve ter percebido que, mesmo dentro do Brasil, por exemplo, existem várias maneiras de falar a Língua Portuguesa. As pessoas se comunicam de formas diferentes e diversos fatores devem ser considerados no nosso falar, incluindo a época, a região geográfica, idade, ambiente e o status sociocultural dos falantes.

As variantes linguísticas que ocorrem na língua

Diante de tantas variantes linguísticas, é importante ressaltar que não existe forma mais correta de se falar, e sim a maneira mais adequada de se expressar de acordo com o contexto e o interlocutor. Nós adequamos o nosso modo de falar ao ambiente e não falamos da mesma forma que escrevemos.

Variantes linguísticas

Foto: Reprodução/ vídeo/ YouTube

Por exemplo, usar a linguagem formal escrita em uma comunicação informal é inadequado, pois pode soar como artificial e pretensioso. O ideal é que saibamos adequar a nossa fala ao contexto de comunicação, o que inclui o ambiente e o nosso interlocutor.

Confira a seguir quais são as diferentes variações linguísticas que ocorrem na língua:

  • Variações diafásicas: Trata-se das variações que ocorrem em função do contexto comunicativo. A ocasião determina como falaremos com o nosso interlocutor, podendo ser formal ou informal.
  • Variações diastráticas: Variações que ocorrer devido à convivência entre os grupos sociais. Como exemplos desta modalidade de variantes linguísticas temos as gírias, os jargões e o linguajar caipira. Trata-se de uma variante social pertencente a um grupo específico de pessoas. As gírias pertencem ao vocabulário de certos grupos, como, por exemplo, os surfistas, estudantes, policiais; já os jargões estão relacionados com as áreas profissionais e se caracterizam pelo linguajar técnico. Como exemplo, podemos citar os profissionais da Informática, os advogados e outros.
  • Variações históricas: A língua não é fixa e imutável, mas sim dinâmica e sofre transformações ao longo do tempo. A palavra “você”, por exemplo, tem origem na expressão de tratamento “vossa mercê” e que se transformou sucessivamente em “vossemecê”, “vosmecê”, “vancê” até chegar no abreviado “vc”.
  • Variações diatópicas: São as variações que ocorrem pelas diferenças regionais. As variações regionais são denominadas dialetos e fazem referência a diferentes regiões geográficas, de acordo com a cultura local. A palavra “mandioca”, por exemplo, em certos lugares do Brasil, recebe outras denominações, como “macaxeira” e “aipim”. Você já deve ter percebido que um mineiro não fala igual ao paulista, gaúcho ou nordestino, por exemplo. São os sotaques, pertencentes a esta modalidade de variante linguística e que estão ligados às marcas orais da linguagem.

 

*Débora Silva é graduada em Letras (Licenciatura em Língua Portuguesa e suas Literaturas)


Reportar erro