Veja quais os erros de ortografia são mais comuns

Os erros de ortografia são muito comuns nas redações. Veja quais são os erros ortográficos mais comuns da língua portuguesa


Os acentos, flexões e inúmeras regras da gramática padrão da língua portuguesa podem confundir muito os seus falantes.

As dúvidas de ortografia são bastante comuns e, não raro, alguém coloca um “s” onde não existe.

Além dos deslizes na concordância, crase, acentuação, uso do hífen e outras regras, é comum encontrarmos erros de ortografia nas redações.

Neste artigo, descubra quais são os erros mais comuns de ortografia do nosso idioma.

Erros ortográficos mais comuns da língua portuguesa

Veja quais os erros de ortografia são mais comuns

Foto: depositphotos

Usar a letra “z” em vez de “s”

Um dos erros de ortografia mais comuns é o emprego errôneo da letra “z”. Como, por exemplo, na palavra “paralizado”. O correto é “paralisado” (de paralisia).

O “s”entre duas vogais nos substantivos também estará presente no verbo. Confira mais exemplo a seguir:

Analisarei a sua proposta cuidadosamente. (de análise)

Carro com catalisador polui menos. (de catálise)

Confundir a grafia do “s”, “ss”, e “ç”

“Tal palavra se escreve com ‘s’, ‘ss’ ou ‘ç’”? Esta é uma dúvida que passa pela cabeça de muitos falantes da língua portuguesa. Outro erro ortográfico bastante comum é escrever “excessão”, com dois “s”. O correto é “exceção”, com “ç”.

As palavras “seção”, “cessão” e “sessão” também causam confusão. Para não errar mais, é necessário lembrar-se do significado de cada uma delas:

– Seção: Significa corte, segmento, setor;

– Cessão: É o ato de ceder;

– Sessão: Significa intervalo de tempo de uma reunião para determinado fim.

Realizar a transcrição da fala

Este tipo de erro ortográfico acontece quando a pessoa escreve como fala. Aqui se encontram erros como redução de gerúndios, ditongos, troca de e por i etc.

Exemplos:

“Pexe” – Peixe;

“Cantano” – Cantando.

Acrescentar letras inexistentes às palavras

Outro erro ortográfico a ser evitado é o acréscimo de letras inexistentes às palavras. Veja alguns exemplos a seguir:

“Asterístico” – O correto é asterisco;

“Beneficiente” – O correto é beneficente;

“Buginganga” – O correto é bugiganga;

“Mortandela” – O correto é mortadela;

“Reinvindicar” – O correto é reivindicar.

Trocar “g” por “j”

“A tijela estava cheia de salgadinhos”. Errado. O correto é “tigela”, com “g”. Outro erro bastante comum é escrever “viajem”. O correto é “viagem”. Apenas o verbo é escrito com “j”: viajar.

Outras palavras que devem ser grafadas com “g” e não “j” são: afugentar, bege, falange, ferrugem, herege, proteger, rabugento, selvageria.

Usar a terminação “isar” em vez de “izar”

A terminação “izar” indica a ação de fazer e se agrega a um adjetivo ou substantivo terminado em r, l, n ou vogal.

Confira os exemplos a seguir:

Organizar

Banalizar

Canonizar

Suavizar

Outros casos

Confira a seguir outros exemplos de grafia erradas e a forma correta:

“Ascenção” – O correto é ascensão;

“Pixar” – O correto é pichar;

“Advinhar” – O correto é adivinhar;

“Xuxu” – O correto é chuchu.

 

*Débora Silva é graduada em Letras (Licenciatura em Língua Portuguesa e suas Literaturas). 


Reportar erro