Verbos regulares e irregulares

Os verbos são as palavras que exprimem ação, estado, fato ou fenômeno, sendo a classe de palavras mais rica em flexões. Quanto à conjugação,…


Os verbos são as palavras que exprimem ação, estado, fato ou fenômeno, sendo a classe de palavras mais rica em flexões. Quanto à conjugação, os verbos dividem-se em regulares e irregulares. Basicamente, os verbos são divididos em três tipos de conjugação, que vão depender do término das palavras. Os verbos da primeira conjugação são terminados em –ar; os da segunda, em –er; e os da terceira, em –ir. 

Verbos regulares e irregulares

De acordo com o gramático Domingos Paschoal Cegalla, os verbos regulares são os que seguem um paradigma ou modelo comum de conjugação, mantendo o radical invariável. Exemplos: cantar, bater, partir, etc.

Ainda segundo Cegalla, os verbos irregulares são aqueles que sofrem alterações no radical e/ou nas terminações, afastando-se do paradigma. Exemplos: trazer, dizer, ir, ouvir, etc.

Desinências verbais

Verbos regulares e irregulares

Imagem: Estudo Prático

As desinências são os morfemas que indicam o modo (indicativo ou subjuntivo), o tempo (presente, passado, futuro), o número (singular ou plural) e a pessoa (eu, tu, ele, nós, vós, eles) de um verbo. Podem ser classificadas em:

  • Desinência modo temporal: indica o modo e o tempo em que a ação ocorre.
  • Desinência número pessoal: indica o número e a pessoa do verbo.

Verbos regulares

Um verbo regular sempre utiliza os mesmos morfemas para indicar a pessoa, número, tempo e modo. Confira o exemplo a seguir:

1ª conjugação: verbo “amar” no presente do modo indicativo

Eu amo
Tu amas
Ele/ela ama
Nós amamos
Vós amais
Eles/elas amam

2ª conjugação: verbo “viver” no pretérito perfeito do modo indicativo

Eu vivi
Tu viveste
Ele/ela viveu
Nós vivemos
Vós vivestes
Eles/elas viveram 

Verbos Irregulares

Nos verbos irregulares, não encontramos a mesma regularidade dos exemplos acima, ou seja, não é possível estabelecer um paradigma entre eles. Neste caso, os seus morfemas e desinências podem sofrer alterações.

Na 1ª conjugação, podemos citar o exemplo do verbo “dar”.

Dar

Presente do indicativo: dou, dás, dá, dão.
Pretérito perfeito: deste, deu, demos, dei, deram.

Na 2ª conjugação, podemos observar o caso do verbo “trazer”.

Trazer

Presente do indicativo: trago, trazes, traz, trazem.
Pretérito perfeito: trouxe, trouxeste, trouxe, trouxeram.

Na 3ª conjugação, vejamos o caso do verbo “ouvir”.

Ouvir

Presente do indicativo: ouço, ouves, ouve, ouvimos, ouvis, ouvem. 

 

*Débora Silva é graduada em Letras (Licenciatura em Língua Portuguesa e suas Literaturas).


Informar erro