Verbos regulares e irregulares

Os verbos, na língua portuguesa, possuem a sua conjugação flexionando-se utilizando as desinências – morfemas que nos dizem o tempo, pessoa, número e modo…


Os verbos, na língua portuguesa, possuem a sua conjugação flexionando-se utilizando as desinências – morfemas que nos dizem o tempo, pessoa, número e modo e que estão -. Mas qual a diferença entre verbos regulares e irregulares?

É preciso, antes de mais nada, entender que tanto os verbos regulares quanto os irregulares são as duas flexões de verbos pautadas nas formas de conjugações a que pertencem.

Os verbos são, basicamente, divididos em três tipos de conjugação, que vão depender do término das palavras. Os da primeira conjugação, terminam em –ar, os da segunda terminam em –er e os da terceira terminam em –ir.

Os regulares, portanto, são os que seguem o modelo de conjugação sem alterar radicais e desinências, seguindo o paradigma. Em contrapartida, os irregulares, são aqueles que não seguem esse modelo e acabam sofrendo alterações nos radicais e desinências.

Verbos regulares e irregulares

Foto: Reprodução

O que são desinências?

Agora já entendemos o que são os verbos irregulares e regulares, mas o que é essa tal de “desinência”?  Trata-se de morfemas que indicam, na conjugação, o modo, o tempo, o número e a pessoa de um verbo. Falando de forma mais simples, são as terminações dos verbos por meio das flexões. Essas desinências podem ser classificadas como:

Desinência modo temporal

Neste caso, são indicados o modo e o tempo em que a ação acontece, como por exemplo, “canta-vas”, em que a desinência indica o pretérito imperfeito d modo indicativo.

Desinência número pessoal

São indicados o número e a pessoa do verbo. “Cant-o”, por exemplo, é uma desinência que indica o verbo em primeira pessoa do singular.

Verbos regulares

1ª conjugação

Cantar Amar
Eu canto Eu amo
Tu cantas Tu amas
Ele canta Ele ama
Nós cantamos Nós amamos
Vós cantais Vós amais
Eles cantam Eles amam

2ª conjugação

Conhecer Viver
Eu conheci Eu vivi
Tu conheceste Tu viveste
Ele conheceu Ele viveu
Nós conhecemos Nós vivemos
Vós conhecestes Vós vivestes
Eles conheceram Eles viveram

Verbos irregulares

Ao contrário dos regulares, é difícil determinar um padrão para as irregularidades que podem ser variadas. Por exemplo, na 1ª conjugação, podemos citar estar, dar, passear, aguar, entre outros. Confira:

Estar

No verbo estar, nem todas as formas são irregulares: no pretérito do indicativo é regular (estava)

Dar

Presente do indicativo: dou, das, dá, dão.

Pretérito perfeito: deste, deu, demos, dei, deram.

2ª conjugação

Caber

Presente do indicativo: caibo

Pretérito perfeito: coube, coubeste, coubemos, couberam.

Crer

Presente do indicativo: creio, crês, crê, cremos, credes, creem.

3ª conjugação

Medir, pedir, ouvir

Esses verbos apresentam irregularidade do radical na primeira pessoa do singular do presente do indicativo, além do presente do subjuntivo e nas pessoas do imperativo que são retiradas do presente do subjuntivo.

Presente do indicativo: peço, meço, ouço.

Ir, vir

Presente do indicativo: vou, vais, venho, vens, ides, vindes.

Pretérito imperfeito: ia, vinha, ias, vinhas, íeis, vínheis.

Rir

Presente do indicativo: rio, ris, ri, rimos, rides, riem.

Futuro do presente: rirei, rirás, rirá, riremos, rirão.


Reportar erro