América Anglo-Saxônica

Você sabia que a América Anglo-Saxônica se difere da Latina principalmente pela influência do idioma adotado?

O continente americano possui um território de grandes proporções, sendo comumente subdividido em três partes, a América do Norte, a América Central e a América do Sul, sendo que esta divisão respeita a questão da localização das porções de terras.

No entanto, existem também divisões no continente americano que obedecem a critérios culturais ou históricos, como os traços da ocupação histórica destes.

Assim, no continente americano pode-se falar em uma divisão entre América Latina e América Anglo-Saxônica, os quais possuem processos de ocupação diferenciados, os quais deixaram marcas culturais distintas, principalmente quanto ao idioma falado.

Essa subdivisão tem como base aspectos histórico-culturais, no entanto, ainda assim existia uma grande diversidade cultural já anterior ao processo de colonização, já que em toda América já existiam agrupamentos tradicionais, indígenas, que ocupavam as terras.

América Anglo-Saxônica: território, característica e contexto geral

A definição da América Anglo-Saxônica é uma oposição a existência da América Latina, sendo que os países latinos são aqueles onde os idiomas falados são, primordialmente, as línguas românicas, ou seja, derivadas do latim, sendo elas o espanhol, o português e o francês.

A América Anglo-Saxônica é formada por apenas dois países

Os países anglo-saxões têm a língua inglesa como oficial (Foto: depositphotos)

Isso ocorre porque são regiões colonizadas predominantemente pela Espanha e por Portugal. Diferentemente da América Latina, os países anglo-saxônicos são apenas dois, os Estados Unidos e o Canadá.

Os referidos países têm em comum um passado histórico marcado pela presença dos ingleses, possuindo o idioma comum – inglês – e laços históricos, culturais, étnicos relativos ao período de colonização do Reino Unido.

O principal idioma falado em ambos os países é a língua inglesa, ou seja, um idioma de origem anglo-saxônica ou germânica, o que denota o nome dado ao grupo destes países. Apesar de idioma predominante, o inglês não é o único, sendo comum também o espanhol e o francês, os quais são idiomas latinos, ou de origem no latim.

Idioma oficial do Canadá

No Canadá são considerados como idiomas oficiais o inglês e o francês, sendo o último predominante na província de Quebec, sendo também falado com menor expressividade em outras províncias canadenses.

Veja também: Descubra: Estados Unidos ou Canadá, qual o maior país?

Idioma oficial dos Estados Unidos

Embora seja predominante nos Estados Unidos, o país não apresenta formalmente uma língua oficial, sendo constituído por uma ampla variedade de idiomas falados, inclusive pela expressividade de estrangeiros que vivem naquelas terras. Ainda assim, a língua inglesa tem destaque junto aos estadunidenses.

Deste modo, a divisão por idioma entre América Latina e América Anglo-Saxônica é um formalismo que na prática acaba se deparando com uma realidade multicultural.

Subdivisão polêmica

As duas Américas – Latina e Anglo-Saxônica – acabam enfrentando muitas desigualdades em sua composição e desenvolvimento. Os dois países anglo-saxônicos da América são também os mais ricos, os únicos considerados como desenvolvidos no continente americano.

Assim, nota-se que a subdivisão se mantém também por questões econômicas, não meramente pelo passado compartilhado. Os critérios de subdivisão entre latinos e anglo-saxônicos também não encontra terreno fértil quando o assunto é diversidade étnica, já que há uma ampla variedade de agrupamentos humanos no continente europeu, o que não justificaria sua divisão em apenas dois grupos distintos, num deles os dois países mais ricos, no outro, todos os demais países pouco desenvolvidos ou em processo de emergência econômica.

Neste sentido, a permanência dessa divisão parece cumprir mais um papel ideológico do que simplesmente histórico.

Há uma discussão acalorada quanto ao modo de ocupação dos países da América Latina e da América Anglo-Saxônica e, embora não haja consenso quanto a isso, entende-se que predominantemente as terras dos países latinos foram utilizadas para colônias de exploração, ou seja, aquelas das quais se retiram os recursos primários, enviando-os aos países colonizadores para serem manufaturados ou abastecerem aquele mercado.

Veja também: Quantos países fazem parte da América do Norte?

Já nos países anglo-saxônicos da América, entende-se que houve exploração, mas que nestes países foram predominantes as colônias de povoamento, nas quais era empregado o trabalho familiar livre e assalariado, estando estas assentadas na pequena e média propriedade policultora (variedade produtiva, diversificação) e na produção voltada para o abastecimento do mercado interno.

Assim, não teriam estas sofrido tanto com a exploração de seus recursos naturais quanto as colônias latino-americanas.

O continente americano

O continente americano se divide em América Latina e América Anglo-Saxônica

O continente americano é o segundo maior em dimensões territoriais (Foto: depositphotos)

O continente americano é a porção de terras emersas que ocupa a parte mais ocidental do planeta Terra, estendendo-se em sentido Norte-Sul desde o desde o Oceano Ártico (região polar ártica) até o Cabo Horn (parte chilena da Terra do Fogo, ponto extremo ao Sul). O continente possui uma extensão de 42.550.000 km², tendo como continentes vizinhos a África, a Europa, a Ásia e a Antártida.

Os principais idiomas falados no continente europeu em geral são o espanhol, o inglês, português, francês, neerlandês (holandês), bem como os idiomas de origem indígena, como o guarani, o aimará e ainda o quíchua. O continente americano é o segundo maior em dimensões territoriais, ficando atrás apenas do continente asiático.

Relevo, clima e vegetação

Em relação a extensão Norte-Sul, o continente americano é o maior dentre os continentes terrestres. Há no continente americano uma ampla diversidade de condições físicas, como relevo, clima, vegetação e hidrografia. O continente é cortado pela Linha do Equador, pelo Trópico de Câncer e pelo Trópico de Capricórnio, o que lhe confere uma diversificada amplidão de paisagens físicas possíveis.

Divisão do continente americano

Em relação as subdivisões do continente americano, este é formalmente dividido em três porções de terras, sendo elas América do Norte, América Central e América do Sul.

A América do Norte é formada apenas por três países, embora tenha uma dimensão territorial bastante grande, sendo eles Estados Unidos, Canadá e México.

Veja também: América do Norte

Já a América do Sul é formada por Brasil, Argentina, Uruguai, Paraguai, Bolívia, Peru, Chile, Colômbia, Equador, Venezuela, Guiana, Guiana Francesa e Suriname.

A América Central é uma porção de terras que liga os dois subcontinentes, do Norte e do Sul, sendo constituída por Belize, Costa Rica, El Salvador, Guatemala, Honduras, Nicarágua, Panamá, Antígua e Barbuda, Bahamas, Barbados, Cuba, Dominica, República Dominicana, Granada, Haiti, Jamaica, Santa Lúcia, São Cristóvão e Névis, São Vicente e Granadinas, Trinidad e Tobago.

Essa subdivisão respeita critérios políticos, uma vez que há uma enorme diversidade de condições no continente americano como um todo. Há uma divisão também importante geograficamente, porque tem como base o contexto histórico de ocupação das Américas, sendo a configuração que divide o continente americano em América Anglo-Saxônica e América Latina.

 

Referências

»VESENTINI, José William. Geografia: o mundo em transição. São Paulo: Ática, 2011.

Sobre o autor

Avatar
Mestre em Geografia e Graduada em Geografia pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), Especialista em Neuropedagogia pela Faculdade Alfa de Umuarama (FAU) e em Educação Profissional e Tecnológica (São Braz).