América Central

O continente americano possui três subcontinentes denominados de América do Norte, América do Sul e América Central, sendo que há ainda uma segunda delimitação denominada de América Anglo-saxônica e América Latina. A América Central possui muitos aspectos que a diferenciam bastante do restante do continente americano, especialmente em suas características naturais, tendo uma parte continental e outra insular.

Características gerais da América Central

A América Central possui uma particularidade interessante que é o seu próprio formato geomorfológico, como se fosse uma ligação entre os subcontinentes da América do Norte e da América do Sul. As terras da América Central serviram como vias de deslocamento entre os habitantes dos subcontinentes de sua porção Norte e Sul, sendo que as ilhas também serviam como ponto de passagem para os navegadores em alguns momentos históricos específicos.

A constituição étnica da América Central tem como característica a miscigenação ocasionada pelo contato entre os europeus e os povos nativos da região.

Além disso, houve uma importante introdução de uma população negra advinda de regiões da Jamaica e das Pequenas Antilhas, principalmente no século XIX, o que ocorreu por conta das plantations que foram comuns no contexto, sendo que estes também se integraram à população local, imprimindo marcas étnicas nas sociedades da América Central.

A constituição étnica da América Central tem como característica a miscigenação

Esse subcontinente é um istmo pois é uma porção estreita de terra que liga duas maiores (Foto: depositphotos)

São países que fazem parte da América Central: Belize, Costa Rica, El Salvador, Guatemala, Honduras, Nicarágua, Panamá, Antígua e Barbuda, Bahamas, Barbados, Cuba, Dominica, República Dominicana, Granada, Haiti, Jamaica, Santa Lúcia, São Cristóvão e Névis, São Vicente e Granadinas, e ainda Trinidad e Tobago.

A América Central conta ainda com alguns territórios que são domínios de outros países, pertencentes a outros continentes, os denominados “territórios ultramarinos”. São eles: Guadalupe e Martinica (França), Ilha das Aves (Venezuela) e Arquipélago de Santo André (Colômbia).

Veja também: Quantos países fazem parte da América Latina

Além disso, existem dependências de outros países na América Central, como é o caso da França, a qual possui os territórios de São Bartolomeu e São Martinho; Estados Unidos, que possui como dependências na América Central Porto Rico, Ilha de Navassa e Ilhas Virgens dos Estados Unidos; Reino Unido, o qual possui os territórios de Anguila, as famosas Ilhas Cayman, Monserrat, as Ilhas Virgens Britânicas e as Ilhas Turcas e Caicos. Além disso, ainda a Holanda possui territórios de seus domínios na América Central, as quais são Aruba e Antilhas Holandesas.

A América Central possui relevo montanhoso, no qual há intensa atividade geológica

O território da América Central está entre dois oceanos, o Pacífico e o Atlântico (Imagem: Reprodução/IBGE)

Aspectos físicos da América Central

A América Central é um subcontinente do continente americano, o qual é geograficamente concebido como istmo, ou seja, é formado geologicamente por uma estreita faixa de terra, a qual liga duas áreas de terra maiores, a América do Norte e a América do Sul, ambos também subcontinentes do continente americano.

A América Central é limitada ao Sul pela Colômbia (América do Sul), ao Norte com a península de Iucatã (América do Norte), a Oeste com o Oceano Pacífico e a Leste com o Mar do Caribe, no Oceano Atlântico. A América Central possui um relevo com características montanhosas, no qual há intensa atividade geológica, com a presença de vários vulcões, muitos dos quais em atividade.

Hidrografia

O território da América Central está entre dois oceanos, o Pacífico e o Atlântico, os quais são interligados pelo Canal do Panamá, através do Mar do Caribe, o qual é um canal construídos estrategicamente para favorecer o comércio marítimo internacional.

Existem importantes lagos presentes no território da América Central, sendo os mais importantes deles o Nicarágua, o Manágua e o Gatún. Há ainda vários rios com diferentes graus de importância, sendo que os mais expressivos deságuam nas águas do Mar do Caribe, no Oceano Atlântico, ao Leste do Continente. Já os de menores proporções deságuam nas águas do Oceano Pacífico ao Oeste do continente.

Veja tambémMar do Caribe

Clima

Por conta de um relevo montanhoso no subcontinente, há algumas diferenciações em relação aos tipos climáticos existentes neste, havendo três grandes caracterizações quanto ao clima na América Central, em conformidade com as altitudes registradas.

As áreas que se estendem do nível do mar até os 910 metros de altitude, são chamadas de “terras quentes”, enquanto aquelas que vão desde os 910 metros de altitude até os 1830 metros aproximadamente são chamadas de “terras temperadas”, e as áreas que se estendem acima dessa altitude, as quais chegam mais ou menos até os 3050 metros são chamadas de “terras frias”. Portanto, as áreas com menores temperaturas na América Central são aquelas que se encontram nas maiores altitudes, os topos de montanhas.

Economia da América Central

De modo geral, a economia da América Central não apresenta características de intenso desenvolvimento, sendo que predominam ainda traços de um modelo econômico de exploração praticado no período colonial. Ou seja, a base das atividades econômicas da região é a agricultura, com destaque também para a exploração dos recursos minerais em algumas áreas.

Uma das principais atividades da América Central ao longo do tempo é a exportação de bananas, advindo daí a expressão “República das Bananas” para se referir aos países da América Latina e Caribe pejorativamente. Existem algumas indústrias de produtos alimentícios na América Central, mas que não apresentam expressivo destaque em sua economia, assim como as indústrias de calçados e da área têxtil.

São produtos de destaque na produção agrícola da América Central o milho, o café, a banana, o amendoim, as chamadas frutas tropicais, a cana-de-açúcar, o algodão e o cacau. Estes produtos são cultivados ainda de maneira bastante precarizada, sem o emprego expressivo de técnicas e recursos modernos.

Veja também: Significado da bandeira de Honduras

População da América Central

A população da América Central é formada a partir de um processo de miscigenação, advindo do contato entre os europeus e os indígenas que habitavam a região, sendo que nas porções da costa do Mar do Caribe são comuns também negros e mulatos. A maior parte da população do subcontinente está concentrada em Guatemala, Honduras, El Salvador, Nicarágua e Costa Rica, sendo que os idiomas mais comuns na América Central são Inglês, Espanhol, francês e holandês.

Os indígenas, antes abundantes moradores das terras da América Central, encontram-se concentrados em agrupamentos menores, sendo que ainda existem algumas tribos que preservam elementos culturais advindos dos Maias, povos nativos que habitavam o Sul do México e porções da América Central em sua parte Norte.

 

Referências

» MOREIRA, Igor. Mundo da Geografia. Curitiba: Positivo, 2012.

» TAMDJIAN, James Onnig; MENDES, Ivan Lazzari. Geografia: estudos para a compreensão do espaço. São Paulo: FTD, 2012.

Sobre o autor

Avatar
Mestre em Geografia e Graduada em Geografia pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), Especialista em Neuropedagogia pela Faculdade Alfa de Umuarama (FAU) e em Educação Profissional e Tecnológica (São Braz).