,

Animais vertebrados – Fotos, características e classificação

Os vertebrados podem ser avistados em desertos, florestas, mares, rios, cavernas, brejos, e nos mais diversos habitats

Pertencentes ao reino Animalia e filo Chordata, os animais vertebrados fazem parte do grupo de seres vivos mais evoluídos do planeta.

Os animais cordados (Chordata) são deuterostômios e são classificados em três grandes subgrupos ou subfilos: Urochordata (urocordados), Cephalochordata (cefalocordados) e Craniata (craniados, grupo que inclui os vertebrados). Os craniados são formados por indivíduos que têm crânio protegendo o encéfalo. É representado pelos peixes, anfíbios, répteis, aves e mamíferos.

O número de animais vertebrados é inferior ao de invertebrados, chegando a aproximadamente 50.000 espécies. Esses animais habitam os mais diversos ambientes, como o terrestre, aquático ou aéreo. Os vertebrados podem ser avistados em desertos, florestas, mares, rios, cavernas, brejos, etc.

São animais com ótima capacidade adaptativa, sendo encontrados nos mais variados climas, desde regiões com temperaturas muito frias ou muito quentes.

Características dos animais vertebrados

Os vertebrados têm como característica principal a medula espinhal e a coluna vertebral, que é formada por vértebras. Esses animais possuem músculos e esqueleto, fazendo com que realizem movimentos mais complexos que os invertebrados. A maior parte dos vertebrados possui o sistema nervoso bem desenvolvido, tendo o sistema central composto pelo cérebro e medula espinal.

Animais vertebrados

Os vertebrados têm como característica a presença de crânio e medula espinhal (Foto: depositphotos)

Os vertebrados inferiores são controlados predominantemente pelo cérebro, que desempenha o comando das funções dos órgãos sensoriais. Os vertebrados superiores têm o cérebro maior, que permite a troca de informações mais intensa entre as diversas partes do organismo.

Os músculos (estriado esquelético, cardíaco e liso) e o esqueleto interno formam estruturas necessárias para que os animais se adaptem a forma de vida que levam. Na formação de órgãos, encontram-se responsáveis os tecidos: conjuntivo, epitelial, sanguíneo, muscular e nervoso.

Todos os animais vertebrados possuem cabeça e crânio circundando o encéfalo, que é formado por prosencéfalo, mesencéfalo e rombencéfalo. Na fase embrionária, eles possuem a crista neural, que forma estruturas como as cefálicas. O sistema de respiração desses animais se dá através de brânquias, pulmões ou ainda pela pele.

Craniados e vertebrados

Tradicionalmente, o nome vertebrado tem sido empregado para todos os cordados que não sejam urocordados ou cefalocordados. Embora esse nome faça referência à presença de vértebras, formando a coluna vertebral, nem todos os chamados vertebrados as possuem. Em exemplo disso são as feiticeiras, que não têm vértebras, mas possuem crânio.

No decorrer da evolução, o crânio surgiu antes das vértebras e todos os animais que possuem vértebras têm crânio. Em função disso, há pesquisadores que preferem usar o termo Craniata para se referir a todos os cordados que possuem crânio, deixando o termo Vertebrata para cordados que, além do crânio, possuem vértebras, que fazem parte do endoesqueleto cartilaginoso ou ósseo.

Entre os craniados há representantes adaptados aos ambientes aquático, terrestre e aéreo. O tamanho dos animais desse grupo varia desde os muito pequenos, como alguns peixes de cerca de 0,1 grama, até animais muito grandes, como as baleias, que chegam a 170 toneladas.

Os craniados diferem dos outros animais por uma série de características. A pele é formada por duas camadas: a epiderme, mais externa e a derme, mais interna. A epiderme é sempre multiestratificada, isto é, formada por várias camadas de células, enquanto a dos demais animais é sempre uniestratificada.

A derme é um tecido rico em vasos sanguíneos e em estruturas sensoriais. No desenvolvimento embrionário dos vertebrados surgem as membranas extraembrionárias. Primeiramente, o saco vitelino nos peixes, depois o âmnion, o córion e o alantoide nos répteis, nas aves e nos mamíferos.

Saco Vitelino

O saco vitelino ou vitelínico é uma bolsa que abriga o vitelo e participa do processo de nutrição do embrião. Ele se liga ao intestino e é bem desenvolvido em peixes, répteis, aves e mamíferos ovíparos. Nos mamíferos vivíparos, o saco vitelino é reduzido.

Âmnion

O âmnion, ou âmnio, é uma estrutura extraembrionária que envolve completamente o embrião, delimitando uma cavidade denominada cavidade amniótica. Essa cavidade contém o líquido amniótico, cuja função é proteger o embrião contra choques mecânicos e contra dessecação.

Córion

O córion, cório ou serosa é uma membrana que envolve o embrião e todas as demais membranas extraembrionárias.

Alantoide

A alantoide é uma membrana extraembrionária cuja função nos répteis ovíparos e nas aves é armazenar excreta nitrogenada e participar das trocas gasosas, neste último caso com o córion. A excreta nitrogenada eliminada por embriões de vertebrados ovíparos é o ácido úrico, insolúvel em água e atóxico, podendo ser armazenado no interior do ovo sem contaminar o embrião. Nos mamíferos não ovíparos, que é o caso da maioria, a alantoide é reduzida, sendo sua função substituída pela placenta.

O surgimento do chamado ovo amniótico foi um dos fatores importantes no sucesso da conquista do ambiente terrestre pelos vertebrados. Anfíbios e peixes são animais anamnióticos, mas os demais vertebrados são amnióticos. O saco vitelino, que armazena substâncias nutritivas, já existia antes da evolução do ovo amniótico. As demais estruturas (âmnion, alantoide, córion e casca) surgiram com o ovo amniótico.

Curiosidade

Sabia que nem todos os animais considerados vertebrados possuem vértebras, de fato? É o caso das feiticeiras e lampreias, classificadas como ágnatos.Os ágnatos recebem este nome por não apresentarem maxilas e terem a boca circular. Todos os demais craniados apresentam maxilas e por isso são chamados gnatostomados.

As feiticeiras podem atingir cerca de 1 m de comprimento. São exclusivamente marinhas e vivem a mais de 25 m de profundidade. São carnívoras, alimentam-se principalmente de pequenos poliquetas, crustáceos e peixes moribundos. As lampreias são principalmente ectoparasitas de peixes, golfinhos e baleias. Chegam a medir 1 m de comprimento e têm, além do crânio pouco desenvolvido, vértebras rudimentares. Ocorrem tanto no mar como em água doce de regiões temperadas.

Estrutura

Os vertebrados têm estruturas que permitem que o seu tamanho corporal se apresente maior. Eles têm também órgãos importantes com melhor proteção. A coluna e o crânio formam o esqueleto axial, a cauda e a caixa torácica (formada pelas costelas) fazem parte desse esqueleto.

Essa caixa torácica protege alguns dos órgãos vitais, tais como o coração e os pulmões. Ossos e cartilagens formam as nadadeiras, braços, pernas e asas, esses fazem a representação do esqueleto apendicular. É graças a tais estruturas que os vertebrados são reconhecidos mais facilmente.

Exemplos de animais vertebrados

  • Aves: Ema, galinha, beija-flor, pinguim, joão-de-barro etc
  • Peixes: Arraia, barracuda, cavalo-marinho, tubarão, peixe-bruxa, lampreia, peixe-palhaço, dourado etc
  • Répteis: Serpente, tartaruga, jacaré, lagarto, cobra-de-duas-cabeças etc
  • Anfíbios: Rã, sapo, perereca, cobra-cega etc
  • Mamíferos: Gato, cachorro, macaco, leão, onça, vaca, ser humano, etc

Fotos

Beija-flor

O beija-flor é um animal vertebrado do grupo das aves (Foto: depositphotos)

Peixe

O peixe faz parte dos animais vertebrados (Foto: depositphotos)

Jacaré

O jacaré é um animal vertebrado do grupo dos répteis (Foto: depositphotos)

Sapo

O sapo é um animal vertebrado do grupo dos anfíbios (Foto: depositphotos)

Macaco

O macaco é um animal vertebrado do grupo dos mamíferos (Foto: depositphotos)

Referências

» WINCHELL, Christopher J. et al. Avaliando hipóteses de filogenia de deuterostome e evolução de cordados com novos dados de DNA ribossômico de LSU e SSU. Biologia Molecular e Evolução , v. 19, n. 5, p. 762-776, 2002.

» POUGH, F. Harvey; HEISER, John B.; MCFARLAND, William N. A vida dos vertebrados. São Paulo: Atheneu, 2003.

Sobre o autor

Avatar
Natália Duque é Graduada em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro.