Uncategorized

Antecedentes da Revolução Russa

Conhecer os antecedentes da Revolução Russa é primordial para que você entenda a importância desse movimento. Ele tem tudo a ver com a Revolução Industrial, com a Igreja Ortodoxa Russa e com a forma como o Império Russo governava.

Neste artigo, você compreenderá o que se passou na Revolução Russa de 1917 e suas principais causas. Além disso, verá como é possível descobrir os reflexos dessa efervescência até os dias de hoje, não só nesse país gigante, como nas demais nações. Confira.

O que foi a Revolução Russa de 1917?

Em resumo, a Revolução Russa ocorreu quando os bolcheviques, liderados por Lenin [1], Zinoviev e Radeck, derrubaram o Governo Provisório do príncipe Georgy Lvov na Rússia. Isso deu início a um novo governo cujos pilares era o socialismo [2]implantado pelo Partido Comunista. Com isso, o país saiu da 1° Guerra [3] e implantou a URSS.

Quais foram os antecedentes da Revolução Russa?

Em 1917, a Rússia sofria de inúmeros problemas no início do Século 20. Sua economia era basicamente agrária e sem industrialização. Além disso, a sociedade era pobre e a distribuição de renda muito desigual. Some-se a isso ainda, o absolutismo da autocracia, cujo poder ficava restrito nas mãos do czar [4].

A Revolução Russa nasceu bem antes de 1917

A exploração do proletariado impulsionou a Revolução Russa (Foto: depositphotos)

Entenda melhor cada antecedente

A Revolução Russa nasceu bem antes de 1917. Podemos dizer que mais precisamente na 1ª Revolução Industrial, no século 18, quando os indícios para a eclosão desse movimento começaram a despontar. Com o passar dos anos, essas causas só foram se intensificando cada vez mais. Confira os antecedentes mais relevantes.

Veja também: Rússia pré-revolucionária [5]

Descontentamento dos trabalhadores

A Revolução Industrial proporcionou uma série de transformações na sociedade, como por exemplo, o nascimento do capitalismo e a intensificação do proletariado.

Nessa época, os trabalhadores passaram a ser reféns de sistemas muitos exploradores de sua mão de obra. O que agravou ainda mais o descontentamento dos trabalhadores.

Porém, somente na metade do século 19 é que nasceram os primeiros sindicatos, entidades que viriam a reivindicar por melhores condições de trabalho.

Exploração do homem do campo

Se os trabalhadores da cidade e indústrias estavam descontentes, tão pouco os camponeses estavam felizes.

Dessa forma, podemos afirmar que o atraso econômico foi um elemento precursor da Revolução Russa. Isso porque enquanto a industrialização crescia nas grandes cidades, o interior do país era agrário. E olhe que estamos falando do maior país do mundo!

Com isso, os grandes latifundiários dominavam grande parte da economia e exploraram demasiadamente o homem do campo. Ademais, a agricultura não gerava muito riqueza, se comparada a indústria. Isso fazia da Rússia uma economia fraca.

Surgimento de novas ideias

Ao mesmo tempo que os trabalhadores eram explorados pelo capitalismo e os camponeses pelos grandes latifundiários, uma outra classe também começava a despertar para a situação imprópria com que a situação era conduzida.

Desta vez, os intelectuais pensavam como poderiam criar uma sociedade mais justa. Eles até tinham uma origem burguesa, mas era uma parcela menor, daqueles que não se preocupavam com a prole.

Com esse intuito, nascia também as ideias do socialismo utópico, cujo objetivo era reformar o capitalismo para que todos saíssem ganhando. Essa primeira fase logo foi tomada pelo socialismo mais real em que Karl Marx [6] pedia o fim do capitalismo e uma revolução armada para, por fim, implantar o comunismo.

Fortalecimento do comunismo

Um dos antecedentes da Revolução Russa foi o fortalecimento do comunismo [7]. Causado justamente pelas situações anteriores: o descontentamento dos trabalhadores e o surgimento de novas ideias por parte dos intelectuais.

Já em 1871, menos de 50 anos antes da Revolução Russa, surgiram os anarquistas. Esses eram um grupo formado por operários e camponeses descontentes com tudo o que estavam passando nas mãos dos impérios e industriais.

Por conseguinte, os anarquistas eram bem mais radicais que os socialistas e comunistas, seus precursores. E um dos grandes passos foi a realização da Comuna de Paris por eles.

Veja também: Significado da bandeira da Rússia [8]

Comuna de Paris

A Comuna de Paris também foi um importante antecedente da Revolução Russa. Apesar de ter acontecido em outro país da Europa, a França, os reflexos puderam se sentidos em todo Velho Continente.

Mas, apesar da esmagadora derrota dos anarquistas frente ao governo, suas ideias e convicções ganharam ainda mais força depois da morte de mais de 10 mil revolucionários e outras mais de 40 mil deportações.

Governo autocrata

Além de todas essas situações citadas acima, como: descontentamento dos trabalhadores, exploração do homem do campo, surgimento de novas ideias por parte dos intelectuais, do fortalecimento do comunismo e da eclosão da Comuna de Paris, outro forte fator antecedente da Revolução Russa era o governo autocrata.

Logo, o governo de Czar Nicolau II era absoluto e concentrava todo o poder nas mãos do imperador. Isso causava grande descontentamento.

Domingo Sangrento

Esse episódio também foi um forte impulsionador da Revolução Russa. O Domingo Sangrento aconteceu em 1905 quando os trabalhadores de São Petersburgo, que era a capital do país na época, foram fortemente reprimidos durante uma manifestação pacífica.

Eles pediam por mais igualdade e direitos no ambiente de trabalho, ambos em falta. Contudo,a forma violenta como o governo de Czar Nicolau II reagiu acabou fomentando ainda mais o espírito de revolução das categorias.

Lenin foi um dos líderes bolcheviques que liderou a Revolução Russa

Estátua de Lenin, na Praça de Moscou (Foto: depositphotos)

Revolta dos marinheiros

As forças armadas sempre foram muito fieis ao Império Russo. Mas isso mudou assim que ocorreu a revolta do Potemkin. Essa embarcação foi enviada para lutar contra os japoneses, mas se esquivou.

A tripulação fez um motim e refugiou-se na Romênia para não ter que enfrentar os inimigos do Czar. Esse foi um claro sinal de que os homens de confiança do imperador já não obedeciam cegamente ao governo autocrata.

Greve geral

Também no início no século 20, os trabalhadores das três cidades mais importantes da Rússia paralisaram suas atividades por semanas. Cruzaram os braços os moradores de Kiev, Moscou e São Petersburgo.

Durante a greve geral, os trabalhadores perceberam a força que tinham e fizeram uso de armas, o que deixou o Império bem impressionado.

Veja também: Revolução russa – Causas e consequências [9]

O que causou a Revolução Russa?

Todos os antecedentes citados ao longo deste artigo levaram inevitavelmente à Revolução Russa. Embora, praticamente às vésperas do movimento, Nicolau II tenha implantado uma espécie de Assembleia Legislativa, a situação já estava insustentável.

Uma vez que essa Assembleia era limitada e só representava 2% da população. Assim sendo, a Revolução Russa ocorreu.

Vale lembrar que apesar da proposta, à luz da história, podemos afirmar que a Revolução Russa não representou grandes ganhos para a população. Entretanto, o governo de Lenin conseguiu transformar o país em uma grande nação armamentista e potência econômica.

Todavia, a liberdade de expressão também foi fortemente reprimida e houve muita perseguição política para quem se opunha ao comunismo ou a forma de Lenin governar.