Arquipélago de Galápagos

O Arquipélago de Galápagos é, atualmente, o local com a maior biodiversidade de animais do mundo. Saiba mais sobre esse local e os animais que lá habitam

As Ilhas de Galápagos ficaram famosas por conta da teoria desenvolvida pelo pesquisador Charles Darwin, o qual estudou a evolução das espécies. Considera-se que as ilhas estejam em território do Equador, no Oceano Pacífico, cerca de mil quilômetros da costa da América do Sul, contando com uma extensão total de 8.010 km². O Arquipélago de Galápagos é amplamente visitado por turistas e pesquisadores do mundo todo, especialmente por conta das contribuições de Darwin para o conhecimento sobre as ilhas. 

As Ilhas Galápagos

O Arquipélago de Galápagos é também conhecido como Arquipélago de Colón (Arquipélago de Colombo). O Arquipélago de Galápagos é constituído por dezenas de ilhas vulcânicas de variados tamanhos, sendo que muitas ilhas ainda estão em formação, com vulcões em plena atividade. As ilhas que se destacam em Galápagos são: Ilha de São Cristóvão, Ilha Isabela (maior ilha do arquipélago), Ilha de Santa Cruz, Ilha de Santa Maria, Ilha de Santa Fé, Ilha de Genovesa, Ilha de Fernandina, Ilha de Bartolomé, Ilha de Wolf, Ilha Pintada e Ilha Bella.

Pela sua ampla biodiversidade e importância biológica, Galápagos foi declarada como Patrimônio Natural da Humanidade e Reserva da Biosfera pela Unesco.

Clima, território e população de Galápagos

O Arquipélago de Galápagos possui condições diversificadas em suas ilhas, e o clima da região é marcado por duas estações principais, cada um das quais tem um efeito sobre a fauna e a flora: a estação quente e chuvosa de janeiro a junho e na estação fria e seca, que vai de julho a dezembro. Assim, é possível visitar Galápagos durante todo o ano, sendo que entre os meses de julho e novembro, há a interferência climática da Corrente de Humboldt, a qual leva águas geladas à região de Galápagos, dificultando um pouco os mergulhos. No entanto, é neste mesmo período que a biodiversidade de fauna da região se intensifica.

De modo geral, Galápagos possui uma extensão de 8.010 km² divididos entre as várias ilhas. Algumas ilhas de Galápagos são habitadas, e ao total é registrada uma população de cerca de mais de 25.000 pessoas vivendo nas ilhas. As ilhas que possuem população em Galápagos são Santa Cruz, San Cristóbal, Isabela e Floreana. A forma pela qual as pessoas conseguem chegar até Galápagos é através de avião, por conta da longa distância do arquipélago em relação ao continente americano.

Arquipélago de Galápagos

Foto: depositphotos

Galápagos e Darwin

Um dos maiores referenciais em relação à Galápagos são os estudos feitos por Charles Darwin, o qual desenvolveu sua teoria da Evolução das Espécies a partir de estudos feitos em Galápagos, os quais estão registrados no livro “A origem das espécies” publicado em 1859, e que ainda hoje é referencial para diversas pesquisas. Segundo essa teoria, os animais evoluíram em conformidade com o meio ambiente em que eles viviam, ocorrendo mudanças genéticas por conta dessa adaptação ao meio, as quais foram passadas ao longo das gerações. 

Biodiversidade em Galápagos

A biodiversidade existente em Galápagos é chamariz histórico para pesquisadores de várias áreas, sendo também o que atraiu Charles Darwin no contexto de suas pesquisas no arquipélago. As paisagens são diversificadas, desde ilhas com areias brancas e finas, até ambientes com areias grosseiras em tom avermelhado. Em Galápagos há a possibilidade de visualizar o nascimento de lobos marinhos a céu aberto, onde as areias se tornam verdadeiros berçários destes animais. Além disso, destacam-se as tartarugas marinhas, as quais vivem nas ilhas e se alimentam a beira mar. Animais como iguanas são comuns também em Galápagos, todos estudados amplamente por Darwin em suas pesquisas.

Arquipélago de Galápagos - Iguana

Foto: depositphotos

Vulcões e o “ponto quente”

O Arquipélago de Galápagos é constituído por ilhas de origem vulcânica, sendo que existem vários vulcões distribuídos na extensão de Galápagos, muitos dos quais ainda em atividade. Em Galápagos há um local onde a crosta terrestre está em processo de derretimento por baixo do manto, onde há a criação de vulcões, sendo este ambiente chamado de “ponto quente” de Galápagos.

As ilhas, portanto, são formadas a partir de atividade vulcânica, sendo que a mais antiga ilha se formou entre cinco e dez milhões de anos. Enquanto as mais novas ilhas estão ainda em processo de formação, com as erupções vulcânicas que continuam ocorrendo, como em 2009, quando uma erupção na Ilha Fernandina continuou dando origem ao que é a ilha na atualidade, com as formações geológicas ocasionadas.

As ilhas destacam-se pela quantidade e variedade de espécies endêmicas, ou seja, espécies vegetais e animais que só existem nas ilhas de Galápagos, as quais foram estudadas por Darwin no âmbito de suas pesquisas em Galápagos. Há um cuidado muito grande no Parque Nacional Galápagos quanto a não introdução de espécies externas ao ecossistema das ilhas, porque essa variação poderia ocasionar um desequilíbrio em Galápagos. O animal mais famoso das ilhas é a tartaruga gigante, e existem aves de diferentes espécies, muitas dos quais exóticas. Destacam-se em Galápagos os albatrozes, o atobá de patas azuis, as fragatas, e os pinguins. Além disso, destacam-se os leões marinhos e as iguanas. 

Arquipélago de Galápagos - Tartaruga Gigante

Foto: depositphotos

Turismo em Galápagos

Em Galápagos existem importantes opções de turismo, as quais atraem pessoas do mundo todo, seja para visitação ou mesmo pesquisas em campo. As várias ilhas de Galápagos possuem características diferenciadas entre si, portanto, cada uma oferece uma sensação única ao turista. Algumas das principais ilhas de Galápagos são a Ilha Santa Cruz, onde estão contidas a Fundação Charles Darwin e o Centro Comunitário de Educação Ambiental.

Além desta, ainda a Ilha San Cristóbal é bastante visada por turistas, os quais vão atraídos pelas impressionantes formações geológicas da ilha, sendo uma das mais antigas ilhas de Galápagos. A maior ilha de Galápagos chama-se Ilha Isabela e conta com cinco vulcões, sendo eles Isla Negra, Cerro Azul, Alcedo, Darwin e Wolf, bem como crateras vulcânicas para visitação. Outras ilhas de menor tamanho, como a Ilha Floreana, são atrativas por conta das belezas naturais pouco exploradas, especialmente pela baixa população do local.

Existem ilhas que nunca foram habitadas em Galápagos, como a Ilha Santa Fé. Todas as ilhas possibilitam aos turistas o contato com uma rica biodiversidade de espécies vegetais e animais. Os animais em Galápagos podem ser visualizados pelos turistas nas mais diversas ilhas, e são um grande atrativo. Galápagos possui importantes hotéis que recebem aos turistas, bem como centros de compras que atendem às necessidades dos visitantes.

Referências

» GALAPAGOS SEAMAN JOURNEY. Sobre Galápagos. Disponível em: http://www.destine.com.br/wp-content/uploads/2012/02/MC-Galapagos-Journey-I.pdf. Acesso em: 17 de julho de 2017.

» KREBS, Laurie. Rumo a Galápagos – Uma semana no Pacífico. Disponível em: http://www.edicoessm.com.br/download/?p=/sm_resources_center/cms/6a05aad7a26abd376f920de351dfc887.pdf. Acesso em: 17 de julho de 2017.

Sobre o autor

Graduada em Geografia pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), Especialista em Neuropedagogia pela Faculdade Alfa de Umuarama (FAU) e Mestre em Geografia (Unioeste)