Atlas geográfico

Os atlas geográfico são instrumentos muito eficazes no aprendizado da geografia, tendo sido amplamente utilizados durante muito tempo nas escolas, como recurso complementar ao ensino.

Apesar de sua importância, os atlas deixaram de estar tão presentes no contexto do ensino formal, tendo sido parcialmente substituídos por outros recursos, como imagens de satélites.

Como atlas entende-se uma publicação constituída por uma coleção de cartas ou mapas e que, teoricamente, pode ser acessada por todos os públicos, facilitando o aprendizado geográfico. Hoje, as imagens dos lugares são disponibilizadas, em grande parte, na internet, o que facilita em muito o trabalho de análise destes.

O próprio Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) tem em seu site uma parte específica sobre atlas, contendo uma porção de imagens. A história dos atlas está intimamente ligada à própria história da Cartografia enquanto ciência, utilizando-se a geografia destes conhecimentos historicamente construídos.

Os atlas

Como atlas pode-se entender um conjunto de mapas ou cartas geográficas, embora de modo geral esse conceito se refira a um conjunto de dados sobre um assunto específico. Porém, muitas vezes os atlas são construídos seguindo um tema em particular, segundo as necessidades dos usuários.

Livro e globo terrestre

Um atlas geográfico é um conjunto de mapas ou cartas geográficas (Foto: depositphotos)

Por ter finalidades diversas, o atlas é também utilizado amplamente no ensino, especialmente nas escolas. Portanto, serve como recurso auxiliar ao conhecimento dos lugares, funcionando como apoio para a aprendizagem e para a realização de pesquisas.

Assim, quando se fala em atlas no âmbito da geografia, entende-se que se esteja referindo à uma coleção de mapas, os quais estão reunidos em um volume único.

Neles estão contidas informações cartográficas e também geográficas, mostrando as divisões existentes entre os territórios, sendo elas políticas, sociais, econômicas, naturais, mas também culturais ou religiosas.

Estes mapas podem mostrar o globo como um todo, apenas uma parte dele ou até mesmo uma porção bem pequena da superfície terrestre, quando enfatiza em aspectos específicos.

Theatrum Orbis Terrarum

No âmbito da Cartografia, considera-se que o primeiro atlas moderno elaborado no mundo foi feito em 1570 na Bélgica, cujo editor teria sido Abraham Ortelius, um cartógrafo e geógrafo que viveu entre os anos de 1527 e 1598.

Ortelius teria criado o famoso Atlas Theatrum Orbis Terrarum, ou Teatro do Globo Terrestre, o qual teve várias edições e revisões até o falecimento do seu editor, tendo sido publicado em pelo menos sete idiomas.

Ortelius foi amplamente influenciado por Gerardo Mercator, um matemático, geógrafo e cartógrafo, cuja notoriedade está no desenvolvimento da projeção de Mercator. Em sua versão original, o atlas de Ortelius contava com 70 mapas que não eram de sua autoria, mas sim de outros cartógrafos e ainda 87 referências bibliográficas

Os mapas contidos no atlas eram acompanhados de uma descrição e de comentários importantes, sendo eles organizados segundo continentes, regiões e estados.

A palavra Atlas

A palavra atlas tem origem na mitologia grega, denotando o personagem Atlas, irmão de Epimeteu, Prometeu e Menoécio, os quais eram filhos de Jápeto, netos de Urano e Gaia. Atlas também é denominado de Atlante em algumas bibliografias, e compunha um grupo de titãs que foram condenados por Zeus.

A condenação de Atlas foi a de sustentar o mundo em seus ombros por toda a eternidade. Os titãs, dos quais fazia parte Atlas, eram seres que representavam as forças da natureza, as quais agiam preparando o planeta para a chegada da vida humana.

Atlas fora casado com Pleione, com a qual tivera sete filhas (Plêiades), além destas. Também seria pai de sete ninfas, as quais representavam a fertilidade, denominadas de Hespérides. Atlas é comumente identificado com a Cordilheira dos Atlas, na África, segundo a mitologia.

Segundo a crença, Atlas teria se juntado com outros titãs, buscando conquistar o poder supremo do mundo, unindo forças para isso. A intenção era a de atacar Olimpo, combatendo com Zeus e seus defensores. Os titãs representavam a desordem e o caos, já os defensores de Zeus representavam as forças do cosmo e da ordem.

Assim, houve uma grande batalha, da qual saíram como vencedores Zeus e os deuses do Olimpo. A punição de Atlas foi designada por Zeus, que seria a missão de sustentar o céu por toda eternidade em seus braços. Atlas foi enganado por Hércules, tendo sido por isso liberto de sua pena eterna, colocando-se no lugar os pilares de Hércules, para que o céu fosse sustentado.

Atlas tornou-se, posteriormente, o primeiro rei de Atlântida, tendo nomeado o Oceano Atlântico. Diante de sua importância mitológica, Atlas passou a denominar a coleção de mapas da Terra, pois também tinha conhecimentos cartográficos e sobre os caminhos das terras distantes.

Segundo uma interpretação moderna de Atlas e sua relação com a Cartografia, os atlas modernos (conjuntos de mapas) representam exatamente o “peso” que os humanos carregam em seus ombros. Além do fato de que a cabeça está sobre os ombros, representando todo conhecimento e as condições de suportar esse fardo.

A variedade dos Atlas

Existem muitos tipos de atlas, desde aqueles direcionados à pesquisa, até os mais voltados ao ensino. São comuns atlas culturais, atlas da questão migratória, atlas voltados ao de substâncias como agrotóxicos no mundo, atlas da questão religiosa etc.

Os atlas escolares são bastante utilizados como recursos que complementam o ensino de geografia, especialmente no âmbito da Cartografia. Com o advento da Cartografia Temática, a qual apresenta uma variedade enorme de mapas possíveis sobre os mais variados temas, os atlas também sofreram uma ampliação de sua abordagem.

Assim, se antes os mapas ficaram restritos a retratar os territórios apenas com suas demarcações formais, ou no máximo com alguns aspectos físicos (relevo, altitude), hoje os mapas apresentam temáticas diversas, e são utilizados na construção do conhecimento sobre as dinâmicas do espaço geográfico.

Existem atlas para crianças, com figuras coloridas e explicações sobre as paisagens, mas também existem aqueles bastante detalhados, utilizados com finalidades específicas por profissionais de diversas áreas.

O atlas é, neste sentido, um aglomerado dos conhecimentos, os quais estão dispostos neste material que se convencionou chamar de atlas.

Referências
BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). “O que é um Atlas?” Disponível em: https://atlasescolar.ibge.gov.br/conceitos-gerais/o-que-e-um-atlas-geografico. Acesso em 15 dez. 2017.

ATLAS, o titã que sustenta o mundo nos ombros“. Mitologia Grega BR. Disponível em: http://mitologiagrega.net.br/atlas-tita-que-sustenta-mundo-nos-ombros/. Acesso em 15 dez. 2017.

Sobre o autor

Avatar
Mestre em Geografia e Graduada em Geografia pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), Especialista em Neuropedagogia pela Faculdade Alfa de Umuarama (FAU) e em Educação Profissional e Tecnológica (São Braz).