Benefícios do quebra-cabeça

Esse jogo foi inventado na China e ganhou o mundo no século 19, sendo fabricado em larga escala

Certamente, você já ouviu falar dos benefícios do quebra-cabeça. A forma como essa espécie de jogo estimula o cérebro é fantástica e acaba gerando inúmeras benesses para pessoas de diferentes idades.

Montar as pequenas peças e conseguir formar um painel no final é um excelente exercício cognitivo para idosos, adultos, jovens e crianças, principalmente aquelas que estão em fase educacional.

Em geral, o quebra-cabeça é bom para memória e quando aplicado na escola, primordialmente na educação infantil, ele facilita muito a aprendizagem. Quer saber mais sobre as vantagens de usar essa ferramenta na escola, quais são as suas regras ou que vantagens ela traz para as pessoas que gostam de montar quebra-cabeça? Continue a leitura.

5 benefícios do quebra-cabeça

1- Quebra-cabeça estimula o cérebro

A primeira grande contribuição do quebra-cabeça é a nível intelectual, já que o quebra-cabeça estimula o cérebro. Por isso, o desenvolvimento das habilidades cognitivas é um grande benefício.

A atividade tem reflexos diretos na capacidade da criança em resolver problemas, aumentando o raciocínio e melhorando as suas habilidades. É possível estimular o conhecimento dos números, das cores, das figuras, dos mapas, do espaço, do trânsito e inúmeros outros campos do conhecimento.

2- Quebra-cabeça é bom para a memória

Outro aspecto relevante para o uso do quebra-cabeça é que ele é bom para a memória. Essa contribuição é crucial para pessoas com problemas relacionados ao esquecimento.

Isso acontece, pois, achar as peças de encaixe uma para outras faz com que a pessoa acumule informações sobre os formatos e quais seus possíveis pares. Imagina inserir essa atividade para idosos com problemas de memória?

Veja também: Por que algumas vezes sofremos de perda de memória?

3- Quebra-cabeça desenvolve a coordenação motora

Tem uma fase da infância que os pequenas precisam desenvolver suas habilidades motoras. Seus bracinhos e dedos ainda não têm noção das distâncias e manipulação de objetos.

Logo, um quebra-cabeça voltado para esse público tende a estimular a coordenação motora ainda na primeira infância. O fato de tentar encaixar uma pecinha na outra, é um grande estímulo para o controle dos movimentos dos braços, dos olhos e das mãos.

Porém, o quebra-cabeça precisa ser voltado para a idade específica da criança, com peças maiores, coloridas e com encaixes bem simples. Vale também para adultos ou idosos com dificuldades de coordenação.

4- Quebra-cabeça provoca a interação social

O período escolar é uma fase de adaptação para a garotada. A formação de amigos e identificação de grupos e percepção de sociedade são objetivos importantes para os pequenos em idade escolar.

E para alcançar esse objetivo, o quebra-cabeça é um ótimo instrumento de socialização. Durante a brincadeira, as crianças podem interagir, colaborar, competir, conquistar, debater, compartilhar de acertos e erros com toda a turma.

Veja também: Benefícios de desenhar

5- Quebra-cabeça fomenta a percepção

Esse jogo também fomenta a percepção das crianças em idade escolar. As capacidades de observar, comparar, analisar e sintetizar as ideias são trunfos que servirão na formação de cada criança.

Esses ganhos se estendem à adolescência e vida adulta, sendo qualidades muito valorizadas nos campos profissionais. A percepção de grandes negócios, de oportunidades do mercado podem nascer ainda na infância, com os estímulos adequados.

Origem do quebra-cabeça

Um dos maiores benefícios do quebra-cabeça é o desenvolvimento das habilidades cognitivas

No século 18 esse brinquedo era usado nas aulas de geografia (Foto: depositphotos)

A origem do quebra-cabeça é antiga. De acordo com o loja de brinquedos ‘Cia Brink’, não há uma origem exata, mas já se sabe que na antiga China já existia o Tangram que era nada mais nada menos do que sete grandes peças que juntas formavam vários desenhos diferentes. Eram os primórdios do quebra-cabeça da forma como conhecemos hoje.

Depois disso, o jogo foi aperfeiçoado e no século 18 ele já era uma brincadeira entre os estudantes de geografia que colavam mapas em pequenas peças de madeira que, posteriormente, era cortadas e serviam de encaixe. Tudo isso para que os pequenos compreendessem a organização espacial do planeta.

No começo do século 19, o quebra-cabeça já era um dos brinquedos preferidos das crianças da Europa. Com a Revolução Industrial, esse tipo de objeto passou a ser fabricado em larga escala, o que contribuiu imensamente para sua popularização.

Veja também: Dia das crianças: brinquedo consegue ser lúdico e tecnológico

Tipos de quebra-cabeça

No mercado, o quebra-cabeça tem várias versões. E vale lembrar que eles podem ter várias dimensões e não só aqueles que são montados sobre uma superfície reta e em uma dimensão.

Os tipos mais tradicionais de quebra-cabeça são: Cubo bedlam, Cubo mágico, Cubo Soma, Pentaminós e Tangram. Descubra mais detalhes sobre esses modelos de quebra-cabeça:

Cubo bedlam

O cubo bedlam é um dos tipos de quebra-cabeça que agrega muitos benefícios para a mente

Esse jogo consiste em 13 peças que formam um cubo perfeito (Foto: Reprodução | Wikimedia Commons)

É um quebra-cabeça inventado por Bruce Bedlam. Ao todo, são treze peças formadas por cubos. A ideia é montar um cubo 4 x 4 x 4 e haja criatividade, pois o desafio é encontrar uma das mais de 19 mil maneiras de fazer isso.

Cubo mágico

O cubo mágico é um dos tipos de quebra-cabeça que agrega muitos benefícios para a mente

Essa versão é a mais popular entre os quebra-cabeças em formato 3D (Foto: depositphotos)

O cubo mágico é um velho conhecido nosso. Seu nome oficial é o Cubo de Rubik, nome que homenageia o seu inventor, Ernő Rubik da Hungria. Ele foi inventado em 1974 e já nasceu grande: ganhou o prêmio de jogo do ano. Os anos 80 foram o ápice desse quebra-cabeça, que até hoje é bem difundido.

Cubo Soma

O cubo soma é um dos tipos de quebra-cabeça que agrega muitos benefícios para a mente

Esse jogo possui sete policubos que juntos formam um cubo (Foto: Reprodução | Pinterest)

Esse é a mais um tipo de quebra-cabeça em forma de cubo. Foi inventado por Piet Hein que o criou depois de assistir a uma aula de mecânica quântica. O jogo usa sete policubos que juntos formam um cubo de 3 x 3 x 3. Essas peças formam mais de 240 maneiras de montagem.

Veja também: Poliedros

Pentaminó

O pentaminó é um dos tipos de quebra-cabeça que agrega muitos benefícios para a mente

Esse jogo inspirou o famoso Tetris (Foto: Reprodução | Wikimedia Commons)

Esse quebra-cabeça são cinco quadrados organizados de diferentes maneiras. Ao todo, são 12 formatos do Pentaminó. Esse quebra-cabeça inspirou jogos de computador do Tetris ou Rampart.

Tangram

O tangram é um dos tipos de quebra-cabeça que agrega muitos benefícios para a mente

O tangram tem apenas sete peças que podem formar mais de 5 mil figuras (Foto: depositphotos)

Essa é o quebra-cabeça mais tradicional, se comparado às formas mais comercializadas hoje em dia. Ele nasceu na China com sete peças e juntas elas dão origem a várias figuras. Uma enciclopédia chega a afirmar que é possível montar mais de 5 mil figuras. Sem dúvidas, ele foi a inspiração para os jogos de quebra-cabeça com um dimensão tão populares hoje em dia.

A importância do quebra-cabeça

Como visto ao longo deste artigo, a importância do quebra-cabeça é reconhecida pelos inúmeros benefícios que ele traz para quem o pratica, já que o quebra-cabeça estimula o cérebro, é bom para a memória, pode ser usado em escolas, especialmente na educação infantil.

Ele também é um jogo poderoso para ajudar idosos com dificuldades de raciocínio e mobilidade, bem como pessoas com algum tipo de deficiência psicomotora. Vale a pena incluir o quebra-cabeça na rotina de atividades de pessoas de todas as idades e perfis.

Sobre o autor

Avatar
Jornalista formada pela Universidade Federal da Paraíba com especialização em Comunicação Empresarial. Passagens pelas redações da BandNews e BandSports, TV Jornal e assessoria de imprensa de órgãos públicos.