Biocombustíveis

Bioetanol, biodiesel e biogás são os biocombustíveis mais comuns e reconhecidos no Brasil

Você sabe o que são biocombustíveis? A verdade é que os seres humanos são muito dependentes dos recursos energéticos em várias ações realizadas no seu cotidiano. No entanto, alguns destes recursos não são renováveis, como é o caso do próprio petróleo.

Sendo assim, intensifica-se cada vez mais a necessidade de encontrar e utilizar fontes energéticas alternativas, sustentáveis e renováveis. Um destes tipos de recursos energéticos é o biocombustível.

Por isso, é importante saber o que de fato são estes biocombustíveis, quais suas vantagens e desvantagens, bem como quais são os principais tipos utilizados pelos seres humanos.

O uso de biocombustíveis vai ao encontro dos princípios da sustentabilidade, substituindo fontes tradicionais e que causam problemas ao meio ambiente por fontes que causem menos impactos ambientais.

O que são os biocombustíveis?

Os biocombustíveis são fontes energéticas renováveis, as quais são produzidas a partir de biomassa. Essa biomassa é um material constituído por substâncias orgânicas, sejam elas de origem vegetal, animal e derivadas de microrganismos.

Galão verde entre pretos

Biocombustíveis podem ser obtidos a partir de matérias-primas orgânicas (Foto: depositphotos)

A decomposição destes materiais originais é capaz de produzir energia, e tem a capacidade de substituir de forma parcial (ou até mesmo total) o uso de fontes energéticas tradicionais.

Os biocombustíveis podem ser obtidos a partir de matérias-primas como a cana-de-açúcar, o milho, as oleaginosas (semente de girassol), bem como resíduos derivados das atividades agropecuárias, a madeira e celulose. Por serem biodegradáveis, estes recursos energéticos são mais sustentáveis, além de serem renováveis.

Como são feitos os biocombustíveis?

Todas as matérias orgânicas produzem energia, sejam elas de origem vegetal ou animal. Assim, em um processo de produção de energia a partir da biomassa, acontece um processo de gaseificação ou pirólise (decomposição térmica), podendo ocorrer fermentação, transesterificação (reação química) ou ainda decomposição. Apesar disso, as etapas da fabricação vão depender do biocombustível a ser produzido.

Tipos

Existem vários tipos de biocombustíveis, sendo os mais comuns e reconhecidos no Brasil:

  • Bioetanol: etanol produzido a partir de biomassa
  • Biodiesel: produzido a partir de óleos vegetais ou animais, podendo ser usado em motores a diesel
  • Biogás: gás combustível produzido a partir de biomassa (um exemplo é o gás produzido a partir de excrementos de animais em granjas).

Há ainda outros menos comuns, como o Biometanol, Bioéter dimetílico, Bio-ETBE (bioéter etil-ter-butílico), Bio-MTBE (bioéter metil-ter-butílico), Biocombustíveis sintéticos, Biohidrogênio, dentre outros.

As vantagens e as desvantagens dos biocombustíveis

Há uma necessidade crescente de se encontrar fontes energéticas que sejam mais sustentáveis, já que o petróleo ainda continua sendo a fonte de energia mais utilizada no mundo, mesmo sendo um recurso finito.

O uso dos biocombustíveis possui duas vantagens principais, sendo elas a significativa redução de gases poluentes e o fato de serem fontes renováveis de energia. Considera-se ainda que as fontes utilizadas para fabricação dos biocombustíveis sejam de baixo custo de extração, o que permitiria que os preços repassados aos consumidores fossem mais acessíveis.

Porém, existem também alguns apontamentos negativos no uso dos biocombustíveis, especialmente com relação aos meios pelos quais se consegue a biomassa necessária.

Dentre os pontos negativos estão a destruição de habitats, bem como de desmatamento. Além disso, dificuldades no transporte e armazenamento destas matérias-primas. Ainda, estes recursos energéticos apresentam menor potencial calorífico do que o petróleo, sendo necessária uma maior quantidade de matéria base.

Importância

Hoje a fonte energética mais utilizada em todo o mundo ainda é o petróleo, que é uma fonte não renovável. No caso do Brasil, há um destaque para o uso de fontes energéticas renováveis, correspondendo a mais de 40% da matriz energética do país (recursos hídricos, biomassa, etanol, eólica e solar).

É urgente que novas fontes de energia sejam pensadas e utilizadas nas próximas décadas, para que os recursos naturais sejam usados com racionalidade, já que muitos deles podem acabar.

A importância do uso dos biocombustíveis está no fato de que eles são abundantes na natureza, ou produzidos em grande quantidade em atividades como agropecuária, e são considerados como renováveis e sustentáveis.

O uso dos biocombustíveis tem ampla relação, portanto, com a preservação do meio ambiente. Embora também causem danos ao meio ambiente, como a formação de chuvas ácidas por conta dos biocombustíveis líquidos, bem como o desflorestamento e desequilíbrio dos habitats. Mas ainda assim, são menos danosos do que outras fontes tradicionais em relação ao meio ambiente.

Biocombustíveis no mundo

Embora sejam bastante importantes, estima-se que as fontes de energia de origem renovável, como é o caso da hidráulica (força das águas), biomassa (matéria orgânica animal e vegetal), solar (radiação de luz do Sol), eólica (força dos ventos) e geotérmica (calor proveniente do interior do planeta Terra), constituem uma participação de apenas uns 14% da matriz energética mundial.

As fontes de energia mais utilizadas no mundo ainda são de origem não renovável, como é o caso do petróleo, carvão mineral e gás natural. Estas fontes, apesar de terem um alto poder calorífico, são custosas e finitas.

Por serem fontes não renováveis, elas motivam disputas entre as potências produtivas do mundo, já que deter poder sobre os recursos energéticos é uma forma de obter vantagens econômicas diante dos demais países. Assim, boa parte dos conflitos mundiais tem origem na disputa pelo petróleo.

Curiosidades

É possível produzir energia a partir dos gases produzidos na decomposição dos dejetos de animais (fezes). Esse recurso energético é conhecido como “Biogás”. Os principais componentes do biogás são o gás metano e o gás carbônico, gerando energia que pode ser utilizada nas próprias propriedades rurais ou em maior escala.

O biogás pode também ser produzido a partir da decomposição de plantas. Um dos projetos mais conhecidos sobre o uso do Biogás é desenvolvido no “Condomínio de Agroenergia para Agricultura Familiar Ajuricaba”, que está localizado no município de Marechal Cândido Rondon, no estado do Paraná. Para ver mais sobre esse caso, acesse o site deles, e confira vídeos e matérias sobre o assunto.

Referências

ALVES, Ana et al. “Produção de Biocombustíveis“. Porto: Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, 2012. 24 p. Disponível em: https://paginas.fe.up.pt/~projfeup/cd_2012_13/files/REL_Q1Q2_03.PDF. Acesso em: 14 mar. 2019.

EMBRAPA. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. “Biocombustíveis: 50 perguntas e respostas sobre este novo mercado“. Disponível em: https://www.agencia.cnptia.embrapa.br/Repositorio/matprima1_000g7pcetcc02wx5ok0wtedt32e6jis7.pdf. Acesso em 14 mar. 2019.

Sobre o autor

Avatar
Mestre em Geografia e Graduada em Geografia pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), Especialista em Neuropedagogia pela Faculdade Alfa de Umuarama (FAU) e em Educação Profissional e Tecnológica (São Braz).