Biografia da ministra do STF Ellen Gracie

Ellen Gracie foi a primeira mulher a integrar o STF. Em 2006, tornou-se presidente do Supremo Tribunal Federal. Em 2011, aposentou-se das suas funções

Ellen Gracie Northfleet é carioca. Ela se formou em Bacharel em Ciências Jurídicas e Social na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, em Porto Alegre, no ano de 1970. Dez anos depois, a ministra se especializou em Antropologia Social pela mesma universidade.

Entre 1971 e 73, foi nomeada para o cargo em comissão de Assistente Técnico, junto ao Gabinete do Consultor-Geral do RS. Tinha início o seu ingresso nos cargos públicos. Em 1974, foi aprovada para ser Procuradora da República, onde permaneceu até 1989.

Em 1983, Ellen Gracie foi aprovada como professora da UFRS. Quatro anos depois, a ministra tornou-se docente também na Universidade do Vale do Rio dos Sinos.

Na década de 90, cursou o Complex Organizational Theories in Court Systems and Legal Organizations e Court Management Practices nos Estados Unidos. E foi por lá que Gracie foi jurista em residência.

Biografia da ministra do STF Ellen Gracie

Foto: Reprodução/Wikimedia Commons

Em 1989, foi nomeada para o Tribunal Regional Federal da 4ª Região e no ano seguinte ingressou no Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul. Em 1995, passou a ser a Vice-Presidente do Tribunal. Dois anos depois, tornou-se Presidente do Tribunal Regional Federal.

Em 2000, foi nomeada pelo Presidente da República Fernando, Henrique Cardoso, para o cargo de Ministra do Supremo Tribunal Federal. Ellen Gracie foi a primeira mulher a integrar o STF. Quatro anos depois, foi eleita vice-presidente e, em 2006, tornou-se presidente do Supremo Tribunal Federal. Em 2011, aposentou-se das suas funções.

Principais obras

Ellen Gracie é autora de diversos trabalhos importantes para o meio jurídico, como publicações em revistas e informes do setor. Destaques para o artigo “Novas Fórmulas para Solução de Conflitos”, publicado na obra coletiva ‘O Judiciário e a Constituição’ em 1994. A ex-ministra também fez a tradução de ‘Os Tribunais nos Estados Unidos’, de Daniel John Meador, em 1996.

Vários artigos de Gracie foram publicados pela Revista Jurídica Consulex. Chamam a atenção de 1997, sob os títulos de “A questão feminina vista pelo prisma dos Direitos Humanos”; e “O Judiciário: Como deve ser”.

A revista do Instituto dos Advogados de São Paulo publicou o artigo “Suspensão de Sentença e de Liminar” em 1998. Além desses, inúmeros artigos foram veiculados na mídia impressa.

Homenagens e condecorações

Em 1997, Ellen Gracie recebeu a Medalha de Mérito Santos Dumont; em 2001, tornou-se Grande-Oficial da Ordem do Mérito Brasília; em 2006, ganhou a Medalha da Inconfidência pelo Governo do Estado de Minas Gerais.

Em 1981, recebeu das forças militares a Medalha do Pacificador; e, 2002, foi admitida no grau de Grande-Oficial da Ordem do Mérito Militar e, neste mesmo ano, também recebeu a medalha de Grande Oficial da Ordem do Mérito Naval.