‘Brexit brasileiro’ quer a independência de SP, PE e do Sul do País

Conheça a partir desse artigo o conceito do termo “brexit brasileiro“, movimento que busca a independência de regiões e estados brasileiros. Acompanhe a seguir!

No ano de 2017, o mundo ficou perplexo com a Saída do Reino Unido da União Europeia, um processo que ficou conhecido como “Brexit” (uma junção de Britain e exit). Logo o conceito se popularizou e acabou ganhando novas configurações, sendo que no Brasil ele é utilizado para caracterizar o movimento de independência do estado de São Paulo, o qual é um movimento separatista, que conta inclusive com uma bandeira.

Esse movimento não é o único, nem tampouco o primeiro que é desencadeado no Brasil, sendo que há outro movimento separatista em curso, desta vez pedindo pela emancipação do Nordeste brasileiro, encabeçado por Pernambuco.

Um dos movimentos mais conhecido no Brasil é o do grupo “O Sul é o Meu País”, que conta também com bandeira e adeptos nos três estados sulistas. Esses movimentos, apesar de buscarem legitimidade para suas concepções, são, em muitos casos, vistos como ações preconceituosas, e que não levam em consideração a história do Brasil.

O que é o movimento de independência de SP, PE e do Sul do Brasil?

De tempos em tempos ressurgem discussões sobre possíveis separações dentro do território brasileiro. Esses movimentos são justificados pelas mais diversas razões, desde a alegação de que o território brasileiro é muito extenso para uma adequada organização, até por questões culturais, de desenvolvimento econômico, ou mesmo por preconceito. Alguns movimentos tomam relativa força e acabam virando notícia, outros tantos são apenas utopias de seus criadores.

Mapa do Brasil recortado

Os grupos separatistas defendem seus movimentos alegando a grande extensão do território brasileiro (Foto: depositphotos)

A Constituição da República Federativa do Brasil de 1988, traz um texto onde fica explícita a noção de que a República Federativa do Brasil é formada pela união Indissolúvel dos Estados, ou seja, a separação dos Estados não está prevista nesta lei tão importante. Ainda assim, os grupos separatistas usam de trechos de leis diversas para justificar seus projetos e ações, alegando que os movimentos são legítimos e estão previstos na condição de livre expressão dos brasileiros.

“Movimento separatista SP”

A grande proposta do movimento São Paulo Livre é o de transformar o estado em um país independente do restante do Brasil. Segundo os seguidores deste movimento, a intenção é criar um país que seja desenvolvido, cheio de novas oportunidades para todos, com a mais moderna infraestrutura da América do Sul, bem como com ótimas universidades e indústria de ponta.

Ainda, um país dinâmico, com ótimas rodovias, aeroportos modernos, e com serviços de Primeiro Mundo. Os adeptos deste movimento acreditam que com a independência de São Paulo terão mais qualidade de vida, desenvolvimento econômico, estabilidade política, justiça social, educação de qualidade, serviços públicos melhores, dentre outros benefícios.

Veja também: A saída do Reino Unido da União Europeia

Bandeira

O movimento por São Paulo Livre possui uma bandeira que o representa, sendo ela uma bicolor branca e preta, com listras horizontais. Estando presente no canto esquerdo superior um retângulo com o desenho do território do estado de São Paulo em cor azul escura. O retângulo é vermelho, e existem quatro estrelas douradas (amarelas) ao entorno desta.

Bandeira do movimento São Paulo Livre

Bandeira do movimento separatista São Paulo Livre (Imagem: Reprodução | SPL)

A bandeira é a mesma que a atual bandeira do Estado de São Paulo, no entanto, a única diferença é que na bandeira oficial o território representado é o do Brasil, e não apenas de São Paulo.

“Independência do Nordeste Brasileiro”

Os movimentos separatistas não são uma exclusividade de São Paulo, não. Na região Nordeste do país eles também acontecem, e um dos mais expressivos movimentos é o pela independência de Pernambuco. Apesar disso, não é a primeira vez que Pernambuco está relacionada com movimentos separatistas, tendo já em 1817 eclodido outro movimento, o qual ficou conhecido como Revolução Pernambucana ou Revolução dos Padres.

O novo grupo, tem raízes naquele contexto, chamado de Grupo de Estudos e Avaliação Pernambuco Independente (Geapi), sendo que a ideia principal é a de instalar uma república parlamentarista em Pernambuco, separada do Brasil.

Sul do Brasil e seu desejo de independência

Dos movimentos separatistas, talvez “O Sul é meu país” seja o mais conhecido, ou pelo menos, o que é mais referenciado pelas mídias. A missão deste grupo é viabilizar a emancipação política e administrativa dos três estados do Sul (Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul), de forma pacífica e democrática.

Dentre as justificativas deste grupo para buscar a separação em relação ao restante do Brasil estão fatores políticos, fatores tributários, fatores econômicos, fatores geográficos, fatores culturais, fatores sociais, fatores morais e também fatores históricos. Para tanto, este movimento realiza ações nos estados do Sul, como plebiscitos, reuniões, palestras e outros.

O movimento em questão foi fundado ainda no ano de 1992, e se caracteriza como uma Organização Não Governamental (ONG), com uma estrutura organizacional, presidência, etc.

Veja tambémMapa do Brasil: Regiões, estados e capitais

Conclusão

Neste breve artigo você leu mais sobre o movimento que busca a independência do estado de São Paulo, o qual possui, inclusive, uma bandeira separatista própria. O movimento separatista de São Paulo não é o único existente no país, sendo que vários outros são registrados, dentre eles o movimento pela independência de Pernambuco, e também o movimento O Sul é meu país, que pede a libertação dos estados do Sul.

Movimentos separatistas sempre existiram na história do Brasil, como a Revolução Praieira, a Guerra do Contestado, a Guerra dos Farrapos, a Inconfidência Mineira, a Conjuração Baiana, dentre várias outras.

Os movimentos separatistas alegam diversas justificativas para regulamentar suas concepções, como o fato de que no Brasil não há uma adequada administração dos recursos. Além disso, os adeptos destes movimentos acreditam que com a fragmentação do território, os recursos seriam melhor distribuídos, melhorando a qualidade de vida da população.

Apesar disso, os referidos movimentos encontram limitações dentro da própria legislação brasileira, já que a Constituição da República Federativa do Brasil de 1988, lei mais importante do país, afirma que a República Federativa do Brasil é formada pela união indissolúvel dos Estados, ou seja, não pode haver uma separação dos Estados que hoje formam o território brasileiro.

Referências

» Site oficial do movimento São Paulo Livre: http://www.saopaulolivre.org/.

» Site oficial do movimento O Sul é meu país: https://www.sullivre.org/.

» Site oficial do movimento Pernambuco Independente: https://www.pernambucoindependente.com/.

» Constituição da República Federativa do Brasil de 1988: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm.

Sobre o autor

Avatar
Mestre em Geografia e Graduada em Geografia pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), Especialista em Neuropedagogia pela Faculdade Alfa de Umuarama (FAU) e em Educação Profissional e Tecnológica (São Braz).