Caligrafia artística

Esse tipo de escrita é comum em tipografias, logomarcas e até mesmo em anúncios e arte sacra

Você sabe o que é caligrafia artística? Nesse post você irá descobrir o que é e qual a origem dessa técnica de escrita.

Antes de mais nada é preciso explicar o que é caligrafia. Caligrafia é uma junção de duas palavras gregas. Sendo uma delas cali ou kalli, que significa beleza e grafia ou graphẽ, que significa escrita. Desse modo a junção dessas duas palavras é o nome dado a técnica de arte da escrita bela, como também é chamada.

A técnica da caligrafia é bastante usada atualmente para ilustrar convites, principalmente de casamentos e outros eventos importantes. Também é comum o uso em arte sacra, anúncios e logotipos. Por isso, mesmo que não muito comum a caligrafia ainda é bastante utilizada.

O que é caligrafia artística?

Durante a nossa infância era muito comum se fazer uso dos chamados cadernos de caligrafias, que ajudavam a melhorar as letras das crianças através do treino constante.

Como já foi falado anteriormente, a caligrafia é uma técnica de escrever de maneira bela. Disso, surgiu também a chamada caligrafia artística. Nessa técnica, o calígrafo, como é chamado o profissional que trabalha com as letras, usa de procedimentos de arte para criar um trabalho único.

É possível usar a caligrafia artística em convites de casamento

O calígrafo é o profissional que trabalha com as letras de forma artística (Foto: depositphotos)

Esse processo é bastante usado para a criação de tipografias ou em convites para eventos importantes. A caligrafia artística é bastante apreciada hoje, com diversos cursos online que se propõem a ensinar os recursos para iniciantes.

Para fazer a caligrafia artística são usados instrumentos específicos, como canetas com bicos de pena e tintas especiais. Tudo isso serve para dar um efeito único aos trabalhos realizados por cada profissional.

Como e quando surgiu?

As técnicas de caligrafia começaram a ser usadas pela igreja católica na escrito dos documentos oficiais. No entanto, no início eram usadas apenas as técnicas comuns para a época, que mesmo assim eram ensinadas para poucos.

Mas se engana quem pensa que o ocidente foi o primeiro a usar os modos de escrita de forma artística. Se estima que o surgimento da caligrafia como arte foi na China, entre os séculos 12 e 13. Lá, a caligrafia ganhou o status de arte, sendo preciso dominar quatro habilidades essenciais para uma boa escrita. Essas habilidades são: o espírito, força, ritmo e qualidade estética ou bom gosto.

Veja também: Escrita árabe: a conhecida caligrafia islâmica

Durante o início da idade média apenas a alguns artesãos talentosos eram ensinadas as técnicas de caligrafia. Esses artesãos eram afastados de todas as suas funções para se dedicarem inteiramente à escrita. Essa técnica rendia dinheiro e prestígio para os que faziam uso das letras.

No entanto foi apenas no século 15 que começaram a surgir as técnicas de caligrafia artística. Essas técnicas foram criadas pelo clero, para ilustrar os documentos e textos bíblicos da igreja católica.

Em 1522, um famoso calígrafo de Veneza publicou um livro ilustrado com todas as técnicas de trabalho. Ainda assim, o método era restrito para documentos oficiais e textos bíblicos.

Em que é utilizada?

A caligrafia artística era restrita ao uso em documentos redigidos pelas casas nobres, que podiam pagar por um calígrafo, e em documentos e textos bíblicos da igreja católica. Essa última porque desenvolveu o estilo ocidental e treinava os monges para fazer esse trabalho constante.

Hoje em dia, mesmo que a escrita seja algo comum, o trabalho artístico não é tão comum. Os trabalhos de caligrafia artística são geralmente utilizados em convites de casamento ou outros eventos importantes. Eles também são comuns em tipografias, logomarcas e até mesmo em anúncios e arte sacra.

Quais os principais tipos de caligrafia artística?

Desde a criação da caligrafia artística ocidental, existem quatro tipos principais de estilos. Esses estilos foram influências por questões históricas e geográficas e sofreram constantes mudanças ao longo do tempo.

A caligrafia artística pode seguir técnicas inglesas, italianas e alemã

Existem várias vertentes que trabalham a escrita em forma de arte (Foto: depositphotos)

Em primeiro lugar existe a caligrafia inglesa. Esse estilo de caligrafia é derivado da caligrafia irlandesa que era ensinada por missionários católicos por volta do século 12. Ela possui características de uso de muitos ângulos e inclinações.

Logo depois existe a caligrafia comercial, essa é a mais usada nos dias de hoje e perdeu boa parte do seu aspecto artístico. Ela também sofreu diversas mudanças ao longo do tempo e continua se adaptando ao uso comum.

Existe também a caligrafia comercial alemã. Ela possui traços finos e elegantes e as letras minúsculas são escritas em formatos diferentes das maiúsculas.

Uma outra variação é a caligrafia italiana, que é considerada uma variação bastarda da latina. Foi a caligrafia oficial da Itália entre os séculos 3 e 5, sendo hoje usada quase que exclusivamente em lápides e documentos oficiais.

Existe ainda a caligrafia coulée, que é considerada uma versão ilegítima da italiana. Ela é bastante usada até hoje na França. A coulée possui as hastes mais alongadas e uma leve inclinação para o lado esquerdo.

Por fim, existe a caligrafia ronde. Esse também é um estilo francês, que é ensinado até hoje nas escolas de arte. A grafia das letras nesse estilo é reta e redonda, sem nenhuma inclinação para os lados.

Veja também: Descubra como escrever em letra cursiva. Treine seguindo essas dicas

Todos esses estilos são usados até os dias de hoje, mesmo que com modificações desde a época em que foram criados. Também é possível aprendê-los nos diversos cursos de caligrafia que são oferecidos atualmente.

Como aprender?

Caso tenha ficado interessado em caligrafia artística após ler esse texto, a boa notícia é que é possível encontrar diversos cursos completos e aulas grátis disponíveis na internet. Alguns deles, como os do Senac e do Senai, buscam formar profissionais calígrafos habilitados para trabalhar na área.

Ambos os cursos são presenciais e precisam de uma idade mínima de 16 anos para o ingresso. Eles também cobram um valor de investimento, por isso vale a pena acessar os sites das unidades e verificar a disponibilidade para a sua área. Os valores podem variar entre R$300,00 e R$540,00.

Fora esses dois cursos, existe também um curso introdutório a caligrafia no site Eduk, que é um site de cursos por assinatura. Os cursos são totalmente onlines, por meio de vídeo aulas. É possível encontrar planos a partir de R$240,00 ao ano na plataforma com valores que podem ser divididos em até 12 vezes.

Vale a pena aprender caligrafia artística?

Sim, mesmo que não deseje fazer um investimento para uma profissionalização, os cursos de caligrafia artística podem ser bastante úteis. Isso porque muitas pessoas procuram calígrafos para escrever cartas ou até mesmo frases que servirão de estampas e quadros.

Por isso, dedicar tempo e esforço para aprender essas técnicas pode ser útil para complementar a renda mensal, através da venda desses artigos. Outro ponto que vale a pena é aprender uma atividade artística que pode se transformar em uma atividade prazerosa de ser feita.

Veja também: O que é disgrafia e como tratar isso?

Sobre o autor

Avatar
Jornalista (MTB-PE: 6770) com formação completa no curso de Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo (UniFavip-DeVry). Experiência prática de dois anos em produção jornalística para TV e rádio.