Cerrado brasileiro – fauna, flora e outras características

Conheça a herança natural do Brasil: o cerrado brasileiro. Com uma diversidade em fauna e flora enorme. Saiba mais sobre as características desse bioma

O Cerrado é um dos biomas existentes no território brasileiro, sendo considerado como o segundo maior dentre os biomas do Brasil. Como bioma entende-se um conjunto de diferentes ecossistemas existentes num dado local, onde há a predominância de vegetações baixas e árvores retorcidas, adotando certa homogeneidade visual. 

O que é o bioma do Cerrado?

O Cerrado é um dos biomas que compõe o território brasileiro, juntamente com os biomas da Amazônia, Mata Atlântica, Caatinga, Pampa (campos sulinos) e Pantanal. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o ponto de partida para definição dos biomas é a formação vegetal, ou seja, o tipo predominante de planta existente em uma área específica.

O Cerrado foi, por bastante tempo, considerado como um bioma pobre em espécies. Isso ocorria pela falta de estudos e conhecimento sobre o bioma, visão esta que se modificou em anos mais recentes, sendo que hoje o bioma Cerrado é visto como um ambiente rico em biodiversidade. O Cerrado é conhecido como Savana brasileira, por suas características similares as do bioma das Savanas.

Cerrado brasileiro – fauna, flora e outras características

Foto: Reprodução/EBC/Marcelo Camargo

Onde está localizado o Cerrado?

O bioma do Cerrado ocupa uma extensa área do território brasileiro, a qual corresponde a cerca de 24% das áreas do país. Este bioma está presente nas regiões Centro-Oeste, Norte e Nordeste do Brasil, com abrangência da totalidade do Distrito Federal, bem como uma ampla porção de Goiás, Tocantins, Maranhão, Piauí, Bahia, Mato Grosso, do Mato Grosso do Sul e ainda de Minas Gerais. Com menor expressividade, é possível se verificar a presença do Cerrado em estados como Amazonas, Rondônia, São Paulo, Paraná, Paraíba e ainda Pernambuco, ocupando áreas de menor proporção territorial.

Vegetação do Cerrado

A flora do Cerrado é constituída por um misto de ampla diversidade de espécies vegetais, e o aspecto do Cerrado se assimila bastante com as savanas, comumente existentes no continente africano. Os Cerrados podem apresentar ambientes com predominância de extensões com campos limpos, mas também ambientes com formação arbórea densa. Portanto, há uma heterogeneidade em relação ao tipo vegetativo dos Cerrados.

São comuns no bioma as formações vegetais com plantas de médio porte, as quais misturam-se com gramíneas que se estendem por vastos espaços. É comum ainda que os Cerrados apresentem dois estratos de plantas, sendo um deles formado por árvores de pequeno porte, as quais possuem um formato retorcido em seus troncos. Enquanto o outro estrato é constituído por vegetação rasteira, com ampla predominância das gramíneas.

Cerrado brasileiro – Tronco Retorcido

Foto: Reprodução/Caliandra do Cerrado

Fauna do Cerrado

Diferentemente do que foi por muito tempo imaginado, o Cerrado é um bioma com grande diversidade faunística, o que significa que existem várias espécies animais que vivem neste bioma. Por sua localização geográfica, o Cerrado recebe espécies animais advindas da Amazônia, da Mata Atlântica, do Pantanal e da Caatinga, o que transforma o Cerrado em um ambiente de grande diversificação em relação aos animas que vivem ou transitam pelo bioma.

No Cerrado são possíveis de serem visualizados animais mamíferos, aves, répteis, anfíbios e peixes de várias espécies. Além de insetos variados, muitos dos quais ainda pouco conhecidos pelos pesquisadores.

No Cerrado existem ainda espécies de animais que já estão na lista de ameaçados de extinção, como a onça-pintada, o tatu-canastra, e ainda, o lobo-guará, a águia-cinzenta, bem como o cachorro-do-mato-vinagre. Existem espécies endêmicas no Cerrado, ou seja, espécies de animais que só existem neste bioma, como o tamanduá-bandeira, que também integra a lista de animais ameaçados de extinção.

Cerrado brasileiro – Onça

Foto: Pixabay

Solos do Cerrado

Os solos do bioma Cerrado são formados por espessas camadas de sedimentos, constituindo solos profundos. A cor deste solo costuma ser vermelha ou vermelho-amarelada, sendo que são solos porosos com alto potencial de drenagem. Os solos do Cerrado possuem baixa fertilidade, ficando ao entorno de 3% até 5% em relação ao teor de matéria orgânica. Em algumas regiões, encontram-se solos bastante ácidos, especialmente por conta dos elevados índices de alumínio, ferro e ainda de manganês. Além disso, são solos bastante antigos e, justamente por isso, também intensamente intemperizados.

Problemas no Cerrado

O Cerrado é o segundo bioma que mais sofreu as consequências da intervenção humana no Brasil, ficando atrás apenas da Mata Atlântica. Um dos maiores impactos no bioma dos Cerrados é a presença histórica dos garimpos nos locais que abrangem o bioma. A atividade mineradora promove a contaminação dos rios com elementos químicos, como o mercúrio, e este tipo de atividade ocasiona o assoreamento do leito dos rios.

Apesar da importância da ação mineradora na devastação do bioma dos Cerrados, a ameaça mais recente e mais impactante no bioma é o avanço das atividades da monocultura intensiva, com a plantação de grãos, em geral para exportação. E ainda, a pecuária extensiva, dotada de baixo investimento e uso de poucas tecnologias, o que denota ampliação das áreas para sua realização. Atrela-se a isso também o uso demasiado de produtos como agrotóxicos e fertilizantes, os quais também contaminam e desestabilizam o bioma.

Estima-se que cerca de 80% das áreas totais do Cerrado já tenham sido impactadas pelas ações antrópicas, especialmente com atividades relacionadas a expansão agropecuária, mas também com a ampliação de áreas urbanas e a construção de infraestrutura, como estradas necessárias para o escoamento da produção. O uso indiscriminado das áreas do Cerrado tem gerado um alerta sobre os impactos em sua biodiversidade, com a consequente perda de espécies vegetais e animais.

Unidades de conservação no Cerrado

O bioma do Cerrado abrange uma extensão de 2.036.448km² do total do território brasileiro, sendo considerada como a Savana mais rica em biodiversidade do mundo. No entanto, apesar de sua abrangência, apenas 8,21% de sua extensão é preservada legalmente por meio de unidades de conservação. Dentre as principais áreas de conservação do Cerrado estão o Parque Nacional das Emas, o Parque Nacional Grande Sertão Veredas, o Parque Nacional da Chapada dos Guimarães, o Parque Nacional da Serra da Canastra, o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros e ainda o Parque Nacional de Brasília.

Cerrado brasileiro – fauna, flora e outras características

Imagem: Reprodução/Senado

Referências

» AMEAÇAS ao Cerrado. WWF Brasil. Disponível em: <http://www.wwf.org.br/natureza_brasileira/questoes_ambientais/biomas/bioma_cerrado/bioma_cerrado_ameacas/>. Acesso em: 05 de junho de 2017.

» BRASIL. Instituto Sociedade, População e Natureza (ISPN). Fauna do Cerrado. Disponível em: <http://www.ispn.org.br/o-cerrado/biodiversidade/fauna-do-cerrado/>. Acesso em: 05 de junho de 2017.

» BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. Cerrado. Disponível em: <http://www.icmbio.gov.br/portal/unidadesdeconservacao/biomas-brasileiros/cerrado>. Acesso em: 05 de junho de 2017.

» RIOS, Eloci Peres; THOMPSON, Miguel. Biomas brasileiros. São Paulo: Melhoramentos, 2013.

» UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Departamento de Ecologia. Aspectos do Cerrado: conservação. Disponível em: <http://ecologia.ib.usp.br/cerrado/aspectos_conservacao.htm>. Acesso em: 05 de junho de 2017.

» VESENTINI, José William. Geografia: o mundo em transição. São Paulo: Ática, 2011.

Sobre o autor

Graduada em Geografia pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), Especialista em Neuropedagogia pela Faculdade Alfa de Umuarama (FAU) e Mestre em Geografia (Unioeste)