Clima equatorial

As regiões de Clima Equatorial possuem uma enorme biodiversidade em relação a fauna e flora

Existem vários tipos de climas no mundo, os quais são formados com base em três atributos principais, sendo eles a temperatura, a umidade e a pressão atmosférica. Existem ainda vários fatores climáticos que alteram as condições do clima de um dado local, como a latitude, a altitude, as massas de ar, a continentalidade e a maritimidade, as correntes marítimas, a vegetação e o relevo. O Clima Equatorial é mais um dos climas existentes no mundo, e como o próprio nome diz, ocorre nas regiões próximas da Linha do Equador.

Onde ocorre o Clima Equatorial?

O chamado “Clima Equatorial” ocorre na zona climática mais quente do planeta, nas zonas de baixas latitudes situadas ao entorno da Linha do Equador. Ou seja, o Clima Equatorial ocorre nas regiões do globo em que há maior incidência dos raios solares sobre a Terra, e onde se concentram também os mais elevados índices de chuvas, especialmente nas áreas mais próximas a Linha do Equador.

As regiões de Clima Equatorial não apresentam as estações do ano bem definidas, sendo que a amplitude térmica anual é baixa, ou seja, não existem significativas variações de temperaturas no decorrer do ano.

No caso do Brasil, o Clima Equatorial ocorre na região da Amazônia, norte de Mato Grosso e oeste do Maranhão, nas proximidades da Linha do Equador.

Segundo a definição criada por Arthur Newell Strahler, no caso brasileiro, o Clima Equatorial pode ser denominado de Clima Equatorial Úmido da convergência dos alísios, o qual abrange a região amazônica, sendo influenciado pela Massa Equatorial Continental, a qual é uma massa com aspecto quente e úmido e que influencia o clima da região durante todo o ano.

Veja também: Clima temperado

Normalmente as massas de ar continentais são secas, no entanto, esta que atua sobre a Amazônia é úmida, por conta da presença da Floresta Amazônica e dos importantes rios existentes na região, os quais promovem sistemas de evapotranspiração.

A Massa Equatorial Continental (mEc)

As massas de ar são enormes porções de ar que conservam características de temperatura, pressão e umidade homogêneas, e que afetam as dinâmicas climáticas no globo. A Massa Equatorial Continental é basicamente quente e úmida, e possui atuação em partes específicas do território brasileiro, tendo origem na porção central da Amazônia.

Existem fatores associados a existência dessa massa de ar naquela região, principalmente a Zona de Convergência Intertropical (ZCIT). Por conta da ZCIT, os ventos da região se deslocam para um mesmo local, em uma região coberta por nuvens, a chamada região equatorial, que fica entre os trópicos de Capricórnio e de Câncer.

A ZCIT recebe ventos advindos dos dois hemisférios, Norte e Sul, e os concentra sobre a região intertropical, estes ventos são chamados de alísios. 

Quais são as características do Clima Equatorial?

O Clima Equatorial é caracterizado por temperaturas elevadas, cujas médias mensais giram ao entorno dos 25ºC, com baixa amplitude térmica, tanto diária, quanto anual. Isso significa que as temperaturas durante o dia e a noite apresentam poucas variações, e que durante os meses do ano também não se alteram significativamente as temperaturas.

Os índices pluviométricos na área de abrangência do Clima Equatorial variam em conformidade com a região, sendo que nas áreas de maior incidência, podem ultrapassar os 3000 milímetros ao ano.

Veja tambémClima desértico

Já nas regiões com menores índices pluviométricos, podem ser registrados cerca de 1500 milímetros ao ano, sendo que nestas regiões, com menor incidência de chuvas, podem ocorrer meses de estiagem, geralmente entre os meses de junho e setembro. Alguns locais da região de Clima Equatorial não apresentam meses secos, sendo registradas chuvas regulares durante todos os meses. 

Vegetação no Clima Equatorial

A vegetação que se desenvolve nas áreas de Clima Equatorial é a das Florestas Tropicais, ou seja, que se encontram na região entre os trópicos de Capricórnio (Hemisfério Sul) e Câncer (Hemisfério Norte). Especificamente na região de abrangência do Clima Equatorial destaca-se a Floresta Amazônica, a qual abrange cerca de 50% do território brasileiro, se estendendo ainda para outros países da América do Sul, como Bolívia, Colômbia, Venezuela, Equador, Peru, Guiana, Suriname e Guiana Francesa.

A vegetação que se desenvolve nas regiões de Clima Equatorial é densa e exuberante, por conta das condições climáticas propícias ao desenvolvimento de espécies vegetais, atrelando calor e umidade. São comuns variações neste tipo de vegetação, com plantas mais adaptadas aos alagamentos e outras que se desenvolvem nas partes de terra firme.

Biodiversidade

Além das florestas de alta densidade, as regiões de Clima Equatorial possuem uma enorme biodiversidade em relação a fauna, sendo que muitas espécies de animais sobrevivem nas florestas equatoriais.

As regiões de Clima Equatorial possuem uma enorme biodiversidade

A vegetação que se desenvolve nas áreas de Clima Equatorial é a das Florestas Tropicais (Foto: depositphotos)

As condições climáticas propícias, com elevadas temperaturas e altos índices pluviométricos, transformam a região em uma espécie de “estufa”, onde há o desenvolvimento de uma ampla quantidade de espécies vegetais.

Extrativismo

Atrelado a isso, há a prática do extrativismo, o qual acaba se tornando um problema socioambiental na região, já que há a retirada de elementos florísticos do meio exacerbadamente, desde o desmatamento até a biopirataria. A região de abrangência do Clima Equatorial é formada pelas chamadas terras baixas, especificamente planícies, depressões e planaltos sem grande expressividade de altitudes.

A população relativa (habitantes por quilometro quadrado) da região é considerada baixa, justamente pela presença da Floresta Amazônica e as áreas de preservação ambiental, sendo que estes elementos são aspectos que limitam os deslocamentos. Boa parte da população na região de Clima Equatorial vive ao longo dos expressivos rios existentes na região.

Veja tambémClima de altitude

Atividades agropecuárias

A expansão das atividades agropecuárias também tem destaque nas regiões de Clima Equatorial, embora variem em relação a região, com Clima Equatorial Úmido ou Subúmido, as quais são impulsionadas pelas extensões de terras com relevo relativamente plano, propícios ao uso de maquinários agrícolas modernos, os quais permitem a intensificação da produção.

Essas atividades são algumas das principais responsáveis pelo desmatamento na região, atividade esta que promove uma perda da biodiversidade regional, ocasiona mudanças em relação ao clima e interfere na questão dos territórios das populações tradicionais.

Referências

» MOREIRA, João Carlos; SENE, Eustáquio de. Geografia. São Paulo: Scipione, 2011.

» TAMDJIAN, James Onnig. Geografia: estudos para a compreensão do espaço. São Paulo: FTD, 2012.

» VESENTINI, José William. Geografia: o mundo em transição. São Paulo: Ática, 2011.

Sobre o autor

Graduada em Geografia pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), Especialista em Neuropedagogia pela Faculdade Alfa de Umuarama (FAU) e Mestre em Geografia (Unioeste)