,

Como é feito o leite em pó

O produto é muito popular nos lares brasileiros, mas sua produção não é conhecido pela maioria. Saiba agora

Quando o leite em pó surgiu, em 1832, ele tornou-se uma solução viável para um mundo que ainda não conhecia a geladeira ou outros métodos modernos de conservação. Nesse aspecto, o químico russo M. Dirchoff foi genial.

Mas há quem diga que a ideia nem foi tão original assim. Pois o navegador italiano, Marco Polo relatou que os mongóis, em pleno século 13, já secavam o líquido sob o Sol transformando-o em uma pasta.

Sua popularidade, porém veio com o químico alemão Justus von Liebig que o transformou em um alimento indicado para bebês. Sua fórmula inicialmente era um pó feito à base de leite de vaca, farinha de trigo e bicarbonato de potássio.

Era o início de um dos alimentos mais populares do mundo! Parte disso se deve à sua praticidade e durabilidade, depois ao seu poder nutritivo, quase que totalmente semelhante ao leite líquido.

Como acontece o processo de produção do leite em pó?

O leite em pó é feito a partir da extração da água do leite líquido

O leite em pó foi produzido pela primeira vez em 1832 (Foto: depositphotos)

Isso é garantido por conta do seu processo de produção, que tem início com a extração da água do leite líquido, fazendo com que ele se torne uma pasta. Depois, o produto passa por um equipamento com ar quente e seco, que finalmente o transforma em pó.

O melhor de tudo isso é que durante esse processo a perda de nutrientes é mínima, tornando-o bastante nutritivo, econômico e durável.

Para saber mais sobre esse produto que ocupa lugar de destaque no cardápio dos brasileiros, o Estudo Prático consultou com exclusividade Richard Gomes, gerente nacional de food service da Itambé, uma das maiores empresas de laticínios do país.

Veja também: Confira a importância do leite para a saúde

EP – As propriedades do leite em pó são as mesmas do leite líquido?

Richard Gomes: Quando comparamos o leite em pó com o leite líquido encontramos diferenças nutricionais mínimas, mas que não são significativas. Isso se deve à baixa umidade relativa do produto e a não exposição a temperaturas excessivamente altas.

EP – Quais são as vantagens de fazer uso desse tipo de leite?

Richard Gomes: O leite em pó apresenta diversas vantagens, como a maior facilidade de armazenamento e de transporte de grandes quantidades de produto, maior vida de prateleira, menor risco de proliferação microbiana devido à menor atividade de água etc.

Além disso, é amplamente utilizado pela indústria de panificação, confeitaria, queijos, sorvetes e iogurtes, pois confere estabilidade, modificação da textura, emulsificação e aumento do aporte proteico.

EP – Quais são as diferenças entre os tipos de leite em pó?

Richard Gomes: O leite em pó pode ser classificado quanto ao seu teor de gordura e quanto à sua umectabilidade. De acordo com o teor de gordura, pode ser classificado como:

  • Leite em pó integral, quando contém entre 26 e 42% de gordura;
  • Leite em pó semidesnatado, quando possui teor de gordura entre 1,5% e 25,9%;
  • Leite em pó desnatado, quando possui teor de gordura menor que 1,5%.

Já com relação à classificação por umectabilidade, há a designação “leite em pó instantâneo”, quando esse apresenta umectabilidade máxima de 60 segundos.

Para aumentar a solubilidade do leite em pó instantâneo podem ser adicionados à sua formulação umectantes como a lecitina. Por isso, é mais facilmente dissolvido quando comparado ao leite em pó tradicional.

Veja também: O que é alimentação funcional; veja e descubra

EP – Qualquer pessoa pode consumi-lo?

Richard Gomes: O leite em pó, assim como o leite fluido, pode ser consumido por todas as pessoas maiores de dois anos, com exceção das pessoas que possuem alergia à proteína do leite de vaca (APLV) e intolerância à lactose. Porém, para os intolerantes à lactose, há o leite em pó sem lactose.

Na Itambé, a linha zero lactose se chama NoLac. Considerada uma das maiores empresas de laticínios do País, a Itambé conta com três tipos de leite no mercado: leite UHT, leite em pó e leite pasteurizado.

EP – Existe alguma indicação para o seu consumo correto?

Richard Gomes: Para o consumo correto do produto, é recomendado o uso de água de boa procedência, para garantir a qualidade microbiológica da preparação, e que ela seja preferencialmente morna para dissolver com mais facilidade o leite em pó.

Devido aos diferentes tipos de leite em pó, recomenda-se, também, seguir as orientações do fabricante presentes na embalagem e utilizar instrumentos de medida.

EP – Dicas para aproveitar melhor suas propriedades.

Richard Gomes: É recomendado armazenar o leite em pó em local seco e escuro para garantir suas propriedades. Depois de aberto, conservá-lo em recipientes herméticos, evitando o aumento da umidade do produto. O alimento tem validade conforme o rótulo e, após aberto, deve ser consumido em até 30 dias.

Sobre a Itambé

A Itambé é de Minas Gerais e atualmente conta com a produção de mais de 160 produtos

Richard Gomes é gerente nacional da Itambé, uma das maiores empresas de laticínios do Brasil (Foto: Divulgação)

A Itambé nasceu em Minas Gerais, onde mantém quatro unidades industriais. A 5ª fica em Goiânia e completa o quadro de sete mil funcionários.

Os produtos fabricados pela marca são: bebida láctea fermentada, coalhadas, composto lácteo, creme de leite, doce de leite, iogurtes, leite com sabor, leite condensado, leite em pó, leite fermentado, leite longa vida, leite pasteurizado, leites premium, manteiga, petit suisse e requeijão.

Veja também: Proteínas – Função e digestão

Ao todo, a marca transforma todos os dias 2,7 milhões de litros de leite em um portfólio de mais de 160 produtos.

Sobre o autor

Avatar
Jornalista formada pela Universidade Federal da Paraíba com especialização em Comunicação Empresarial. Passagens pelas redações da BandNews e BandSports, TV Jornal e assessoria de imprensa de órgãos públicos.