, , ,

Como funcionava a voz robótica de Stephen Hawking

O físico britânico Stephen Hawking é considerado o nome mais importante depois de Einsten. Acometido pela Esclerose Lateral Amiotrófica, ele se submeteu a uma  traqueostomia em 1985, que o deixou sem falar.

Para isso, ele se comunicava por meio de um computador. Entenda agora como funcionava a voz robótica de Stephen Hawking.

Imagem criada pelo Estudo Prático

O cientista ficou famoso no mundo inteiro depois de popularizar temas complexos da física quântica, como buracos negros e origem do universo. Amante da ciência, ele também aproveitou da tecnologia para continuar se comunicando por meio de um sintetizador de voz. Saiba detalhes sobre essa invenção.

O que é um sintetizador de voz?

Sintetizador de voz é um programa que transforma texto em som de uma voz humana

A voz robótica de Stephen Hawking vinha de um sintetizador de voz desenvolvido por ele (Foto: Reprodução | Slash Gear)

Sintetizador de voz é um programa de computador que transforma texto em som de uma voz humana. Há muitos desenvolvedores de softwares que desempenham essa função.

A iniciativa permite que pessoas com dificuldades na fala possam digitar as suas palavras e se expressarem através do som, como Stephen Hawking fez durante anos.

Stephen Hawking

(Foto: reprodução/internet)

Esse mecanismo também serve para pessoas que querem falar em outro idioma. É possível digitar em inglês, por exemplo, e ouvir a voz no idioma americano.

Veja também: Frases de Stephen Hawking

As pessoas cegas ou com dificuldades de enxergar também podem fazer uso dos sintetizadores para ler notícias na internet, por exemplo. É só escolher o texto e ouvi-lo por meio da voz robótica.

As tentativas de desenvolver um sintetizador de voz começaram ainda na década de 30, quando as pessoas digitavam em uma espécie de teclado e um sistema eletrônico reproduzia as palavras. Mas, os avanços reais só apareceram com a popularização dos computadores, com o advento da internet e, mais recentemente, com os aplicativos para celular.

Como funcionava o sintetizador de voz de Stephen Hawking

Aos 21 anos, Stephen Hawking descobriu a Esclerose Lateral Amiotrófica. Inicialmente, os médicos disseram que ele só viveria, no máximo, mais três anos. A garra do cientista o permitiu conviver ainda mais 55 anos com o diagnóstico.

Apesar de ter parado de andar em 1970 e de falar em 1985, Hawking foi extremamente produtivo e conservou a sua mente brilhante até o ano da sua morte em 2018. Aliás, essa é uma das características dessa doença. Ela não atinge o cérebro, apenas os músculos do corpo. Logo, por mais imobilizado que o paciente estivesse, sua cabeça permanece ativa.

Logo que se submeteu a traqueostomia, Hawking ficou sem falar e, com a piora do seu quadro, mal conseguia digitar suas palavras para serem lidas. A partir daí, ele utilizava o software Equalizer, onde escrevia as frases tocando com as mãos. Mais adiante, um sintetizador agregou o som da fala, mesmo que robótica.

Com seu humor característico, Stephen Hawking reclamava que o sintetizador lhe dava um sotaque americano, brincando com a velha rixa entre os sotaques dos Estados Unidos e o inglês.

Veja também: ELA: A doença de Stephen Hawking

Mas o fato é que a tecnologia o ajudou bastante a se comunicar. Durante 20 anos ele fez uso do Equalizer. Contudo, com o passar do tempo, ele não mais conseguia mover as mãos. Nessa fase, Hawking passou a usar o ACAT (Kit de Ferramentas Assistivas Cientes do Contexto).

O sistema foi desenvolvido pela Intel e SwiftKey com a colaboração de Hawking. E levou três anos para ser desenvolvido e tornou possível, uma escrita e navegação com mais velocidade por meio de sensores instalados na bochecha e de um interruptor infravermelho instalado nos seus óculos.

A interface do ACAT se tornou muito mais simples, uma vez que no sistema anterior Hawking poderia levar até três minutos para abrir um documento arquivado no computador, além de precisar de ajuda para anexar esse documento a um e-mail, por conta da utilização de mouse.

Com o novo sistema, o físico só precisava introduzir 20% do que ele queria falar, pois o software já complementava o restante, baseado em um amplo vocabulário específico incluído na máquina de Stephen.

Mesmo com todas as modernizações na qualidade do som das vozes, deixando-as mais humanas possíveis, Hawking pediu para não mudar a voz sintetizada pela qual ele é conhecido.

Atualmente, o ACAT pode ser baixado gratuitamente para a plataforma de Windows e conta com uma versão em português.

Como Stephen Hawking dava palestras

Para poder proferir suas palestras, Stephen Hawking já deixava os seus textos prontos e ia aos poucos soltando as frases para deixar mais natural, ao invés de deixar o texto correr na íntegra.

Para isso, Stephen Hawking possuía um tablet acoplado nos braços da cadeira de rodas. O sistema era todo facilitado por meio de palavras em ordem alfabética e a opção soletrar.

Veja também: Livros de Stephen Hawking; conheça todos

O físico selecionava as frases por meio dos movimentos da bochecha direita. Quando elas já estavam formuladas era enviadas para o sintetizador, que reproduzia a som que saia por trás do computador.

Já em casa, o físico britânico contava com outra cadeira de rodas que era comandada por ele remotamente para realizar pequenas tarefas, como ligar eletrodomésticos e portas.

Sobre o autor

Avatar
Jornalista formada pela Universidade Federal da Paraíba com especialização em Comunicação Empresarial. Passagens pelas redações da BandNews e BandSports, TV Jornal e assessoria de imprensa de órgãos públicos.