Comunidade dos Estados Independentes (CEI)

Há autores que afirmam que a Comunidade dos Estados Independentes (CEI) é uma instituição herdeira da União Soviética, já que surge no contexto de dissolução desta, no ano de 1991, a partir dos países independentes que emergiram naquele momento.

Essa comunidade tem grandes vantagens, mas também enfrenta profundos problemas em relação ao seu contexto de organização. Isso porque a área abrangida pela CEI é muito grande, maior do que o próprio continente europeu, já que abrange parte da Europa e parte da Ásia, o que dificulta um pouco a organização regional da comunidade.

Já, por outro lado, a existência deste grandioso território é também uma enorme vantagem ao grupo. Isso porque, ele se torna praticamente autossustentável em relação aos recursos naturais, com destaque ao potencial energético, o que é muito necessário ao âmbito do desenvolvimento econômico, sendo base das atividades industriais.

O que é a Comunidade dos Estados Independentes (CEI)?

No ano de 1991 nasceu a Comunidade dos Estados Independentes, unindo as nações que formavam a agora extinta União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS).

Bandeira da CEI

Formada em 1991, a CEI possui atualmente 11 países em sua formação (Foto: depositphotos)

Originalmente, a formação da CEI teve como base a criação de uma federação no lugar do antigo regime autoritário soviético, o qual detinha o poder centralizado em Moscou, na Rússia.

Naturalmente, as coisas não se sucederam totalmente harmoniosas, já que haviam conflitos históricos e marcas negativas deixadas pela atuação soviética junto a estes países.

Diante da não estabilização, três das antigas repúblicas da União Soviética não manifestaram interesse em participar do grupo, sendo elas Lituânia, Estônia e Letônia, enquanto a Geórgia dele se retirava.

Havia um desejo muito forte dos países não russos em se tornarem independentes de Moscou, como Geórgia, Azerbaijão, Armênia, Ucrânia, Moldávia, dentre outros. No entanto, quando independentes, perceberam que haviam grandes dificuldades em seguir de forma totalmente autônoma, e sentiram necessidade de estabelecer relações com demais países.

Assim, no contexto de formação da CEI, foram apenas 12 países que compunham esta, ficando os três países bálticos de fora em um primeiro momento.

Apesar de tudo, o medo de um novo domínio russo (maior, mais populoso e mais desenvolvido dos países da CEI) estava sempre cercando os países que formavam o grupo, por isso, houveram muitas idas e vindas entre os membros da Comunidade dos Estados Independentes.

A CEI ainda não conseguiu estabilidade em alguns aspectos nos dias atuais, sendo que em muitos países existe mais de uma moeda oficial, por exemplo. Além disso, os constantes conflitos por questões bélicas dos países da CEI com a Rússia, fazem com que o grupo seja visto com restrições por outras partes do mundo.

Aspectos físicos da CEI

A Comunidade dos Estados Independentes ocupa uma imensa área física, a qual se estende pelos territórios do continente europeu (Rússia, Ucrânia, Geórgia, Armênia, Belarus, Moldávia e Azerbaijão) e asiático (maior parte da Rússia, demais países).

Assim, estima-se que a CEI esteja distribuída por uma extensão de mais de 22 milhões de quilômetros quadrados, o que lhe dá imensas vantagens em relação a outros blocos econômicos mundiais.

No sentido Leste para Oeste, a extensão da CEI vai desde o mar Báltico até o extremo Oriente, no continente asiático, no Oceano Pacífico. Já no sentido Norte para Sul, a extensão da CEI vai desde o Oceano Glacial Ártico até as fronteiras com a China, a Mongólia e os países do Oriente Médio.

Assim, nota-se que os países da CEI apresentam uma ampla diversidade de aspectos físicos, mas também de elementos culturais, o que dificultam em muito a formação de uma noção identitária com base em aspectos da cultura destes países, mesmo com um passado histórico comum na URSS.

Entende-se que os países da CEI sejam autossuficientes em relação aos recursos naturais, já que o tamanho do território tenha a capacidade de suprir as necessidades destes em relação a matéria-prima para produção.

No entanto, em alguns locais, algumas atividades produtivas são inviabilizadas pelas condições físicas, especialmente climáticas, como é o caso da porção Leste da Sibéria. Nessa região encontram-se alguns países da CEI (parte Oriental da Rússia), onde as baixas temperaturas fazem com que os solos fiquem congelados por alguns meses do ano.

Já na região do Turcomenistão, especialmente na porção que compreende as terras entre o mar Cáspio e o mar de Aral, próximo ao Oceano Glacial Ártico, o clima é também bastante seco. Nesse caso, possibilita, inclusive, a formação de longas áreas desérticas, onde as atividades produtivas são escassas e limitadas pelos elementos físicos do território.

Apesar disso, a área de abrangência da CEI é muito privilegiada em relação às possibilidades de atividades produtivas que podem ser empregadas nesta.

A dissolução da URSS e a formação da CEI

No âmbito da dissolução da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, os países que antes eram dominados por essa superpotência, estavam agora sem essa base, tornando-se países independentes.

Naquela ocasião, foram 15 os países independentes, sendo eles: Rússia, Azerbaijão, Armênia, Belarus, Cazaquistão, Estônia, Geórgia, Letônia, Lituânia, Moldávia, Quirguízia, Tajiquistão, Turcomenistão, Ucrânia e ainda Uzbequistão.

Estes países são frutos, ou heranças, das ações da URSS no contexto da Guerra Fria, sendo que até os dias atuais eles possuem dificuldades de estabilização, por conta das marcas deixadas pelas décadas em que foram parte de uma união político-territorial e de planificação econômica.

Embora considerados como independentes, até nos dias atuais estes países acabam tendo uma interdependência, embora alguns não aceitem as relações com a Rússia, pelos conflitos históricos e pelas consequências deixadas pela URSS.

As economias dos países herdeiros da URSS são em parte interligadas, sendo que as indústrias de um, por exemplo, compram matéria-prima de outro, usando da energia de um terceiro, e assim por diante.

Essa interdependência é, até mesmo, uma forma de buscar progredir nos anos posteriores a dissolução da URSS, como forma de fortalecimento conjunto para retomada de sua identidade e de seus setores produtivos.

Assim, talvez a maior herança da URSS seja a formação de uma comunidade ainda nos anos de 1991, a qual ficou conhecida como Comunidade dos Estados Independentes (CEI) e que existe até os dias atuais.

Referências
BRASIL. Congresso Nacional. “Comunidade dos Estados Independentes (CEI)“. Disponível em: http://www.camara.leg.br/mercosul/blocos/CEI.htm. Acesso em 18 dez. 2017.

MOREIRA, João Carlos; SENE, Eustáquio de. “Geografia“. São Paulo: Scipione, 2011.

VESENTINI, José William. “Geografia: o mundo em transição“. São Paulo: Ática, 2011.

Sobre o autor

Avatar
Mestre em Geografia e Graduada em Geografia pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), Especialista em Neuropedagogia pela Faculdade Alfa de Umuarama (FAU) e em Educação Profissional e Tecnológica (São Braz).