Conflitos étnicos ao redor do mundo

Os movimentos étnicos geram as guerras civis. Quer saber mais sobre este problema e os principais conflitos do mundo? Confira

Há historicamente no mundo movimentos discriminatórios contra grupos étnicos considerados diferentes, especialmente pelos elementos culturais tão distintos existentes, os quais são considerados como motivos para a não aceitação ou mesmo agressão aos que possuem uma identidade étnica diferenciada. 

O que é Etnicidade?

Diferentemente do tão criticado conceito de raça, que via os agrupamentos humanos diferenciados unicamente pelos fatores biológicos, a ideia de Etnicidade é um conceito que se refere ao contexto das diferenças sociais entre os grupos. A Etnicidade diz respeito às particularidades das práticas sociais e crenças que um determinado grupo preserva e reproduz.

As diferenças sociais ocorrem a partir do contato de um indivíduo ou grupo com outros indivíduos ou agrupamentos com diferenças culturais. Portanto, a noção de identidade é construída sempre por meio do contato com o diferente. Só é possível para um sujeito se reconhecer dentro de uma dada cultura, quando ele percebe que esta possui diferenciações em relação às demais culturas.

Preconceito e discriminação

Há uma equivocada tentativa de enquadrar todos os sujeitos sociais em uma visão cultural homogênea, o que de fato não ocorre, porque a história dos grupos humanos é diferenciada, variando em conformidade com os locais nos quais viveram, bem como com os processos evolutivos pelos quais passaram.

Ainda assim, existem sujeitos que não aceitam o diferente, o que se torna ainda pior quando além do desprezo, geram-se atos violentos contra aqueles que são considerados distintos. O preconceito é pautado em opiniões e posturas negativas em relação aos elementos que diferenciam os sujeitos, já a discriminação diz respeito às ações de separação cultural, alguns grupos aceitam apenas membros de sua própria cultura, rejeitando os demais.

A etnofobia é um conceito que tem sido utilizado como forma de explicar o mesmo fenômeno do racismo, em um contexto em que se evita falar em raça, por conta do peso estritamente biológico da ideia, substituindo pela noção de etnia, que abrange a realidade social, entendendo-se que os homens são constituídos a partir das práticas sociais históricas.

 Principais conflitos étnicos no mundo

Conflitos étnicos ao redor do mundo

Foto: depositphotos

Os conflitos étnicos dificilmente são puramente motivados por questões culturais. Geralmente eles envolvem questões territoriais e políticas, sendo, portanto, de difícil delimitação os conflitos étnicos no mundo.

Hutus x Tutsi

Um dos principais eventos que envolveram duas etnias diferentes foi o caso de Ruanda, na África, entre os agrupamentos Hutus (predominância em Ruanda) e os Tutsi, os quais dominaram o país durante muito tempo, mesmos constituindo uma minoria. Entre os anos de 1959 e 1961 houve um profundo conflito entre os grupos, tendo como consequência a transição de Ruanda de uma colônia da Bélgica, dominada pelos Tutsi para uma república independente sob domínio dos Hutus.

Catalães x Bascos

Na Espanha, os movimentos étnicos também estão presentes, quando dois estados autônomos da Espanha, sendo eles a Catalunha e o País Basco, que lutam pela separação de seus territórios em relação ao território espanhol. Os Catalães possuem uma identidade própria, inclusive representado por sua linguagem particular, o Catalão.

Da mesma forma, os habitantes da região do País Basco – os Bascos – possuem elementos culturais bem específicos e uma linguagem sua, a Língua Basca. Para conquistar seu estado de independência enquanto etnia, ambos lutam pela separação da Espanha, o que se intensificou ainda mais com a crise econômica espanhola em anos recentes.

Palestinos x Israelenses

Outro importante conflito étnico que vem se estendendo historicamente é a disputa do território da Palestina, que é uma região localizada geograficamente entre o Mar Mediterrâneo, o Rio Jordão e o Mar Morto, no Oriente Médio. Essa região é disputada por Palestinos e Israelenses, por ser considerada sagrada para muçulmanos, judeus e também católicos, supostamente a “Terra Santa”.

O Estado de Israel foi criado no ano de 1948 na antiga região da Palestina, sendo que os judeus migraram massivamente para aquela região. A Organização das Nações Unidas (ONU) tentou, frustradamente, constituir um Estado duplo na região, unindo árabes e judeus, o que não deu certo e só acirrou as disputas. Assim, os Palestinos e os Israelenses vêm lutando para garantir seus direitos, tornando aquela região em uma das mais tensas do globo.

Conflitos étnicorraciais no Brasil

Apesar dos problemas étnicos parecerem se manter apenas em regiões do mundo como a África, por suas muitas mesclas culturais, e o Oriente Médio, no Brasil também ocorrem problemas relacionados à diversidade étnica.

Como o caso brasileiro de maior destaque é a ampla presença de sujeitos de origem africana na composição da população brasileira, denomina-se de questões étnicorraciais as discussões neste sentido. O Brasil é um país que historicamente utilizou-se da força de trabalho de indígenas e africanos no contexto de sua constituição, e neste processo, as pessoas de matriz africana foram marginalizadas no acesso aos bens e serviços por muito tempo, sendo o Brasil um dos últimos países a abolir a escravidão.

Apesar disso, ainda existem muitos preconceitos étnicos na sociedade brasileira, o que impulsiona os governos a adotarem medidas de inclusão social destas parcelas da população, seja por meio de programas que auxiliam o acesso aos recursos de educação (como as cotas em universidades), bem como incentivos na área de atendimento à saúde e acesso ao mercado de trabalho. São algumas medidas que visam dar possibilidade de igualizar a situação destas pessoas que possuem prejuízos históricos motivos pela escravidão.

No entanto, apesar das melhorias, os preconceitos étnicos ainda são muito presentes em todo mundo, o que inclui o Brasil, o que fica evidente diante da intensificação dos processos migratórios em anos mais recentes, quando milhares de pessoas, especialmente do continente africano e de partes da Ásia tem deixado seus países e buscado melhores condições de vida em países emergentes ou desenvolvidos.

Neste contexto, novamente surgem grupos que praticam violências étnicas, despertando sentimentos xenofóbicos, ou seja, uma aversão às pessoas que são estrangeiras, que possuem culturas e costumes diferentes. Essa realidade ocorre em várias partes do mundo, especialmente em regiões desenvolvidas como os Estados Unidos e partes da Europa muito visadas pelos imigrantes, nos quais os estrangeiros sofrem por conta das diferenças étnicas que possuem em relação às populações locais.

Referências

» ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS – ONU. Guia de Orientação das Nações Unidas no Brasil para Denúncias de Discriminação Étnico-racial. Disponível em: <https://nacoesunidas.org/docs/etnico-raciais/>. Acesso em: 18 de junho de 2017.

» GIDDENS, Anthony. Sociologia. 6 ed. Porto Alegre: Penso, 2012.

» VESENTINI, José William. Geografia: o mundo em transição. São Paulo: Ática, 2011.

Sobre o autor

Graduada em Geografia pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), Especialista em Neuropedagogia pela Faculdade Alfa de Umuarama (FAU) e Mestre em Geografia (Unioeste)