Cretáceo

O Cretáceo é um dos Períodos da Era Mesozoica, o qual pode ser subdividido em três grandes momentos: o Cretáceo Inferior, o Cretáceo Médio e o Cretáceo Superior.

Dentre os principais elementos de destaque do Cretáceo está o apogeu dos dinossauros no planeta, sendo que é no final deste mesmo Período que há a extinção destes gigantes.

A história evolutiva do planeta Terra é dividida em momentos definidos internacionalmente por padrões, o que facilita a compreensão dos principais acontecimentos que afetaram o planeta.

Assim, os maiores tempos geológicos são os chamados Éons, os quais são divididos em Eras, as quais, por sua vez, são subdivididas em Períodos. Estes momentos históricos delimitados são marcados por eventos relevantes, como a extinção ou surgimento de espécies.

O Cretáceo

Em relação ao tempo geológico, ou escala geológica, o Cretáceo é um dos Períodos da Era Mesozoica, compondo o Éon Fanerozoico. Este Período sucede o Jurássico, precedendo o Paleogeno da Era Cenozoica do mesmo Éon.

Dinossauros na água

Durante o período cretáceo houve o apogeu dos dinossauros (Foto: depositphotos)

Dos Éons terrestres, o mais recente é o chamado Fanerozoico, sendo ele subdividido em três Eras: Cenozoico (Quaternário, Neogeno e Paleogeno), Mesozoico (Cretáceo, Jurássico e Triássico) e o Paleozoico (Permiano, Carbonífero, Devoniano, Siluriano, Ordoviciano e Cambriano).

No Éon Fanerozoico ocorreram muitas importantes coisas no planeta Terra, principalmente a expansão da vida, surgindo a biodiversidade que hoje é conhecida. O Cretáceo ocorreu em um momento depois do Jurássico, podendo ser dividido em três momentos, são eles: Inferior, Médio e Superior.

Houve uma consolidação de muitos eventos que vinham ocorrendo desde momentos históricos anteriores na Terra. Como exemplos podemos citar consolidação das florestas tropicais em vários locais do globo, havendo também a expansão das plantas com flores (angiospermas).

Com um clima mais ameno e úmido (comparado ao temperado tropical), houve o desenvolvimento intenso de florestas densas, o que também intensificou a variedade de espécies de vida, constituindo as bases da biodiversidade mundial, com ambientes riquíssimos.

Essas condições foram essenciais para o desenvolvimento das espécies da fauna também, com destaque aos répteis, principalmente os dinossauros, os maiores animais que já habitaram o planeta Terra. Dos répteis, houve o surgimento também das aves e dos mamíferos de tipos variados.

Fragmentação dos continentes

Foi no contexto do Cretáceo também que teve destaque a separação dos dois grandes continentes existentes após a fragmentação da Pangeia, continente único. Quando Laurásia e Gondwana se separaram, formando novos e menores continentes, o que ocorreu de forma efetiva no contexto do Cretáceo Superior.

Houve a separação da América do Sul e da África, começando de Sul para Norte ainda no final do Jurássico, consolidando-se no Cretáceo. Outras fragmentações separaram a Groenlândia da Europa, Madagascar da África, dentre outros, sendo que a Índia já havia se soltado e estava em direção ao continente asiático.

Entre os terrenos da América do Norte e da América do Sul começava a se formar um estreito de ligação, o que hoje constitui a América Central.

Divisão do Cretáceo

O Cretáceo é um Período que está compreendido entre os 142 milhões e os 65 milhões de anos, salvo divergências entre os pesquisadores.

A porção que se estende entre os 100 milhões de anos e os 65 milhões de anos, denomina-se de Cretáceo Superior. Nesse caso, houveram importantes acontecimentos no planeta Terra, como a proliferação de espécies de plantas, com a evolução de terem flores e frutos, em vários locais.

Ainda, foi um contexto de intensas atividades geológicas, especialmente terremotos, os quais foram ocasionados pelos choques entre as placas tectônicas e as fragmentações da crosta. Foi o momento do domínio dos grandes répteis, como os conhecidos dinossauros, havendo uma ampla variedade destes.

Neste momento, houve ainda a formação das grandiosas cadeias montanhosas, as quais se originaram pelas movimentações e choques entre as placas tectônicas. Com as separações entre os fragmentos de crosta, formaram-se as bacias sedimentares, nas quais acumularam-se restos orgânicos de animais e plantas, formando as reservas carboníferas que são conhecidas hoje.

Surgiram ainda as variadas espécies de peixes, além de haver um aumento das espécies de mamíferos e aves no planeta. O clima no planeta Terra apresentava condições mais quentes do que as existentes no contexto atual.

Já o Cretáceo Inferior do Período Cretáceo, ocorreu entre os 142 milhões de anos e os 100 milhões de anos. É neste momento que houve o surgimento de espécies de dinossauros além das já conhecidas. Além de plantas angiospermas, ou seja, cujas sementes são protegidas por uma estrutura denominada fruto.

Destaca-se também o surgimento de espécies de pássaros e plantas monocotiledôneas, como o capim, cana-de-açúcar, milho, arroz, trigo, aveias, cevada, bambu, centeio, lírio, alho, cebola, banana, bromélias, orquídeas, dentre outros.

Na porção mais recente do Cretáceo, quando chegava seu final, a Terra passou por uma verdadeira crise biótica. Portanto, acredita-se que um asteroide tenha impactado o planeta, causando a extinção dos dinossauros e de várias espécies de animais e plantas.

Transição de Eras

Foi neste contexto que houve a transição da Era Mesozoica para a Cenozoico, com o Período Paleogeno. Mas os pesquisadores não entram em consenso quanto aos acontecimentos naquele momento.

Isso porque, alguns acreditam que as transformações ocorridas naquele momento foram motivadas pela intensificação das atividades vulcânicas no planeta Terra. Com isso, teria aumentado a emissão de gases tóxicos, os quais comprometeram o desenvolvimento da vida.

O conhecimento sobre as condições de vida em momentos tão passados, como Eras anteriores, só é possível através das evidências encontradas em materiais achados e que se remetem aquele contexto. Exemplos disso são os fósseis, que são registros históricos muito importantes para o conhecimento de todo processo evolutivo do planeta Terra.

Os grandiosos animais que já vinham se desenvolvendo desde o Período anterior ao Cretáceo, o Jurássico, são basicamente de três agrupamentos com várias espécies, sendo eles gigantescos dinossauros (da terra), Plesiossauros (na água) e os Pterossauros (no ar).

Embora existam algumas contradições acerca disso, existe uma especulação que afirma que a origem da palavra Cretáceo seria uma referência à “Creta”, que em sua origem faria relação com a palavra “giz”. O nome do Período geológico foi assim escolhido pois foram encontradas muitas camadas de giz no Cretáceo.

Referências
MOREIRA, João Carlos; SENE, Eustáquio de. “Geografia“. São Paulo: Scipione, 2011.

VESENTINI, José William. “Geografia: o mundo em transição“. São Paulo: Ática, 2011.

Sobre o autor

Avatar
Mestre em Geografia e Graduada em Geografia pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), Especialista em Neuropedagogia pela Faculdade Alfa de Umuarama (FAU) e em Educação Profissional e Tecnológica (São Braz).