,

Descubra quais as principais obras de Oscar Wilde

Oscar Wilde escreveu peças de teatro, dramas, novelas, poesias, contos infantis e o famoso romance “O Retrato de Dorian Gray”

Oscar Fingal O’ Flahertie Wills Wilde, mais conhecido simplesmente por Oscar Wilde, foi um importante escritor, poeta e dramaturgo britânico de origem irlandesa. Reconhecido como um dos grandes talentos da literatura mundial, Oscar Wilde nasceu em Dublin, na Irlanda, no dia 16 de outubro de 1854.

Filho do médico Willian Wilde e da escritora Jane Francesca Elgee, Wilde destacou-se na vida acadêmica desde cedo, recebendo prêmios na escola e na universidade. O escritor de origem irlandesa escreveu peças de teatro, dramas, novelas, poesias, contos infantis e o famoso romance “O Retrato de Dorian Gray”, publicado pela primeira vez em julho de 1890.

Principais obras de Oscar Wilde

Oscar Wilde

Foto: Reprodução/Wikimedia Commons

No ano de 1892, Oscar Wilde deu início a uma série de histórias que hoje são considerados clássicos da dramaturgia britânica. Dentre as peças que escreveu estão: “O leque de Lady Windermere” (1892); “Salomé” (1891); “Uma mulher sem importância” (1893) e “Um Marido Ideal” (1895) e “A Importância de ser Prudente” (também publicado em 1895).

No drama poético intitulado “Salomé”, Wilde apresenta ao leitor a sensual personagem Salomé, em uma apresentação artística de um relato do Novo Testamento.

O escritor de origem irlandesa também publicou contos como “O Príncipe Feliz”, “O Gigante Egoísta” e “O Rouxinol e a Rosa”.

Na novela “O Fantasma de Canterville”, o autor narra a história de um atormentado fantasma que há mais de trezentos anos habita no castelo dos Canterville. Assim como em outras novelas, Wilde critica o patriotismo da sociedade.

Oscar Wilde também escreveu contos infantis, como “O Filho da Estrela”, preocupando-se em passar algumas lições de moral por meio do emprego de uma linguagem simples.

O escritor escreveu apenas um romance: “O Retrato de Dorian Gray” (1890), que ganhou diversas adaptações para o cinema e teatro. No romance, Wilde aborda a arte, a vaidade e as manipulações humanas, revelando almas que se entregam a paixões. Na obra, a personagem principal, Dorian Gray, expressa o desejo de vender a alma em troca da eternidade de sua beleza.

“De Profundis” é o título de uma obra de Wilde escrita em 1897. Criado em forma de uma longa carta de recriminações dirigida ao seu amante Lord Alfred Douglas, este texto foi escrito na prisão de Reading, onde o escritor cumpria pena pela acusação de homossexualismo após perder o julgamento para o pai de Douglas.

Wilde também escreveu poesias, como as conhecidas “Rosa Mystica” e “Flores de Ouro”.

 

*Débora Silva é graduada em Letras (Licenciatura em Língua Portuguesa e suas Literaturas).