Principais características dos desertos

A palavra “deserto” é comumente utilizada para se referenciar a um ambiente ríspido, onde as dificuldades são inerentes. Tanto que quando uma pessoa passa por uma dificuldade em sua vida, pode afirmar que está passando por um período de “deserto” em sua existência.

Ou seja, um local onde a vida se torna difícil e o sofrimento é iminente. Basicamente, o uso comum da palavra tem um sentido lógico, já que os desertos são ambientes onde a sobrevivência é dificultada pelas condições físicas do ambiente, as quais criam limitações para o desenvolvimento da vida em suas variadas formas.

O que são os desertos?

Os desertos constituem mais um dos biomas terrestres, sendo que os biomas são conjuntos de ecossistemas nos quais se desenvolvem espécies de vida similares e que se familiarizam com as condições daquele ambiente físico.

A principal característica de um deserto é a aridez, ou seja, a escassez dos índices de chuvas

Existem também desertos frios (Foto: Pixabay)

Pela grande dimensão do planeta Terra, existem vários biomas nesta, os quais são influenciados, principalmente, pela localização diante das latitudes, sendo que a incidência do calor solar é um dos fatores primordiais ao desenvolvimento dos tipos de vida. Ao contrário do que muitas pessoas pensam, os desertos não são apenas locais onde as temperaturas são extremamente elevadas, pois existem também desertos frios.

A principal característica de um deserto é a aridez, ou seja, a escassez dos índices pluviométricos, ou de chuvas. Os desertos são, portanto, ambientes secos. Por conta da aridez, tanto as plantas, quanto os animais dos desertos, precisam ter condições adaptadas em seu biológico para suportar os longos períodos sem chuvas.

Maiores desertos do mundo

São alguns dos maiores desertos do mundo: a Antártida (13.829.430 km2), a qual, como se sabe, é um deserto gelado, também chamado de deserto polar. O Ártico (13.726.937 km2), o qual, igualmente a Antártida, é um deserto gelado, onde a vida se torna dificultada.

O Saara na África (9.100.100 km2), este sim o deserto quente, onde são vistas extensões gigantescas de areia, sem que haja o registro de formas de vida expressiva. O Deserto da Arábia no Oriente Médio (2.300.000 km2), igualmente quente. O Deserto de Gobi, entre a China e a Mongólia (1.300.000 km2), também um deserto com característica de elevadas temperaturas.

O Deserto de Kalahari na África (900.000 km2), um dos mais mostrados através de documentários e mesmo em filmes com temáticas afins. Ainda, a Patagônia na Argentina (670.000 km2), o Grande Deserto de Vitória na Austrália (647.000 km2), o Deserto Sírio na Ásia (520.000 km2), o Deserto da Grande Bacia nos Estados Unidos (492.000 km2) e ainda o famoso Deserto do Atacama na América do Sul (140.000 km2). Além destes, existem vários outros desertos no mundo em menores dimensões territoriais.

(Imagem: Reprodução/UFCG)

Quais são as características dos desertos?

Os desertos são ambientes que possuem certa homogeneidade entre si, embora se diferenciem em relação a fatores como temperatura, podendo haver desertos frios e quentes. São algumas das principais características dos desertos a existência de regiões caracterizadas pela aridez, ou seja, onde os índices pluviométricos (chuvas) são baixíssimos.

Nos ambientes áridos pode até ocorrer a precipitação, mas o elemento mais marcante é que as precipitações pluviais são inferiores à evaporação. Ou seja, há uma maior perda de umidade por parte das plantas, por exemplo, do que efetivamente registro de pluviosidade. Neste sentido, somente plantas e animais que possuem características de adaptação à estas características é que conseguem sobreviver.

Poeira que flui a partir da costa oeste da África (à direita) para a América do Sul (Foto: Reprodução/NASA)

Vegetação do deserto

Nos desertos, a vegetação é rara e espaçada, o que representa que existem imensas extensões sem que haja a presença de qualquer tipo de vegetação. Um viajante, por exemplo, pode andar durante dias no deserto sem que encontre nenhuma planta. São plantas comuns de desertos as chamadas xerófitas, as quais são conhecidas pelas cactáceas.

Veja também: Biomas terrestres

São plantas que possuem adaptações para sobreviverem longos períodos sem água, sendo que para tanto, possuem condições de armazenamento de líquidos nas polpas de seus troncos, os quais são cobertos por espinhos, como forma de proteção. Ainda, desenvolvem-se nos desertos plantas pratófitas, as quais possuem raízes demasiadamente longas, adquirindo água para sua sobrevivência nas partes mais profundas da superfície, como nos lençóis freáticos.

. São plantas comuns de desertos as chamadas xerófitas, as quais são conhecidas pelas cactáceas

Essas plantas possuem adaptações para sobreviverem longos períodos sem água (Foto: Pixabay)

Outra importante característica dos desertos é que os solos ficam expostos permanentemente, por conta da escassez da vegetação existente. Quando há precipitação, essa é mal distribuída no decorrer do ano.

A elevada amplitude térmica dos desertos

É destaque ainda a elevada amplitude térmica diária, sendo que durante o dia são registradas elevadas temperaturas, enquanto as noites nos desertos podem ser bastante frias. Isso ocorre por vários motivos, sendo um deles os solos arenosos, os quais não retém o calor solar para aquecer aquele ambiente durante a noite.

Além disso, não há a expressiva formação de nuvens nos desertos, por conta da baixa quantidade de vapor de água na atmosfera, fazendo com que o calor não fique retido próximo da superfície durante o período noturno. Assim, todo calor irradiado durante o dia, retorna para a atmosfera, deixando as noites bastante frias. Assim, os desertos podem registrar 50ºC durante o dia, por exemplo, e 10ºC negativos à noite, se tornando mais um dos fatores da difícil adaptação de espécies vegetais e animais nas regiões desérticas. 

Tipos de desertos na Terra

Os desertos mais comumente conhecidos são aqueles com características de elevadas temperaturas. No entanto, existem mais tipos de desertos no planeta Terra. Os desertos tropicais são aqueles que são quentes e secos na maior parte do ano, apresentando poucas plantas em sua abrangência. Um exemplo desse tipo de deserto é o Saara.

Há ainda os desertos temperados, que são aqueles nos quais as temperaturas registradas são altas nos verões e baixas nos invernos. Neste tipo de deserto há maior incidência de precipitação do que nos desertos tropicais. Um exemplo desse tipo de deserto é o de Mojave.

Já os desertos frios são aqueles nos quais os invernos são rigorosos, no entanto os verões são mornos, e onde a precipitação é baixa. Destaca-se nesta categoria o deserto de Gobi.         

Sugestão complementar

Um filme muito legal para assistir e que mostra um pouco da vida no deserto é “Os deuses devem estar loucos”, principalmente em suas versões 1 e 2. O roteiro de passa no Deserto do Kalahari, e mostra cenas da vida dos Bosquímano, povos que habitam o deserto.

 

Referências

» RODRIGUES, Andréa. Biomas e ecossistemas aquáticos. Universidade Federal de Campina Grande. Disponível em: http://www.hidro.ufcg.edu.br/twiki/pub/CienciasAmbienteAndrea/MaterialDaDisciplina/Aula6_Biomas.pdf. Acesso em 07 set. 2017.

» VESENTINI, José William. Geografia: o mundo em transição. São Paulo: Ática, 2011.

Sobre o autor

Avatar
Mestre em Geografia e Graduada em Geografia pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), Especialista em Neuropedagogia pela Faculdade Alfa de Umuarama (FAU) e em Educação Profissional e Tecnológica (São Braz).