Entenda o porquê das nuvens de chuva serem cinza

Nesse artigo você vai poder conferir como por que as nuvens de chuva têm a cor cinza. Veja também o que são as nuvens, como elas se formam, como se precipitam e quais os tipos existentes. Isso e muito mais você confere a seguir!

Diante das dinâmicas do mundo atual, muitas vezes as pessoas não tiram mais um tempo para observar os fenômenos atmosféricos. Antigamente as populações prestavam atenção nas mudanças atmosféricas para terem conhecimento dos eventos que poderiam ocorrer, se precavendo de situações não esperadas.

Assim, através da observação constante do céu e de outros elementos da natureza, podia-se perceber se um ano seria mais chuvoso ou mais seco, se a chuva viria em breve ou se haveria ventos fortes.

Essa capacidade auxiliou a humanidade no seu desenvolvimento. Hoje, com tantos instrumentos sofisticados, pode-se mensurar com precisão as condições climáticas, bem como as manifestações atmosféricas.

Muitas pessoas não saem de casa sem antes consultar a previsão do tempo, para saber se o dia será chuvoso, quais as temperaturas, e assim se prevenir.

As nuvens verdadeiramente não têm cores

As nuvens são importantes elementos da natureza para viabilizar a vida na Terra (Foto: depositphotos)

Com isso, as novas gerações foram perdendo a capacidade de compreensão dos fenômenos atmosféricos pela observação. Ainda assim, existem muitas pessoas que gostam de olhar para o céu, e neste momento, surgem muitas dúvidas.

Por que as nuvens de chuva são cinzas?

As nuvens são importantes elementos da natureza para viabilizar a vida na Terra, já que elas funcionam como uma forma de barreira para que os raios solares não atinjam com tanta intensidade a superfície terrestre.

Ainda assim, a maioria dos raios solares consegue ultrapassar as gotículas que formam as nuvens. Quando as nuvens ficam mais espessas, com maior concentração de gotículas de água, são formadas camadas de vapor de água e gelo, as quais podem alcançar quilômetros de extensão.

Veja tambémChuva ácida – Causas e consequências

Com esse adensamento das nuvens, os raios solares não conseguem ultrapassá-las totalmente, deixando a nuvem com aspecto mais escuro, principalmente em sua base. Quando as nuvens são vistas totalmente brancas, isso não representa que elas sejam de fato desta cor.

O que ocorre é que há uma grande quantidade de cristais de gelo e de gotículas de água, formando prismas que decompõem a luz solar nas sete cores que formam o arco-íris, sendo elas vermelho, laranja, amarelo, verde, azul, anil e violeta.

Com isso, as partículas nas nuvens dispersam igualmente todas as referidas cores, o que faz com que as pessoas vejam a cor branca, que é a soma de todas essas cores. Portanto, as nuvens não são de fato brancas, mas um fenômeno físico faz com que os seres humanos as vejam com essa coloração.

Da mesma forma, as nuvens que são vistas em dias de chuvas, as quais são nuvens “carregadas”, escuras ou quase negras, não apresentam de fato essas cores, mas sofrem também um processo físico.

Quando uma nuvem se torna mais densa, mais espessa, é porque houve uma saturação ou um aumento excessivo de gotículas de água, mas também de cristais de gelo. Quanto mais espessa essa nuvem fica, mais ela espalha a luz, já que a radiação solar não consegue penetrar e ultrapassar sua consistência densa.

Não passando luz solar, elas mostram aos olhos dos observadores uma cor mais escura. As bases das nuvens são geralmente mais escuras, já que há uma dificuldade ainda mais de os raios solares alcançarem esse local.

Compara-se essa situação com um oceano, pois ocorre basicamente o mesmo processo. Quando mais se aprofunda em relação as águas de um oceano, mais escuro esse vai ficando, já que a luz solar não consegue atingir as profundidades.

Já na porção mais superficial, é mais claro, pois há de fato a infiltração da radiação solar. Na porção de baixo das grandes nuvens carregadas e escuras, podem aparecer nuvens menores também bastante escuras.

Veja também: Quais são os tons da cor cinza?

Isso acontece justamente pelo mesmo fenômeno, pois não havendo infiltração de luz solar, elas não irradiam a cor branca, ficando ainda mais negras pela barreira causada pela nuvem grande em relação a radiação solar.

Portanto, as nuvens verdadeiramente não têm cores, pois são aglomerados de gotículas de água e cristais de gelo, o que forma as cores que são vistas é uma questão de física.

O que são as nuvens?

As nuvens possuem uma importância essencial para que a vida na Terra aconteça, pois elas cobrem cerca de 60% da superfície da Terra.

Elas refletem, absorvem e transmitem a radiação solar, o que possibilita o desenvolvimento da vida, elas participam do ciclo da água e ainda há o processo de precipitação que ocorre nas nuvens, o qual é fundamental para a vida humana e o meio ambiente como um todo.

Fenômenos atmosféricos, como neve, trovões e relâmpagos, arco-íris ou halos, dentre outros, dependem da existência das nuvens. Basicamente, as nuvens são agregados visíveis de pequenas gotas de água ou também de cristais de gelo suspensos no ar, podendo apresentar as duas formas da água.

As nuvens podem ser vistas tanto em maiores altitudes, quanto bem próximas do chão, apresentando formatos diferenciados.

Veja também: Qual a diferença entre temperatura e sensação térmica?

As nuvens podem ser classificadas como: Cirrus (Cirro), Cirrocumulus (Cirrocumulo), Cirrostratus (Cirrostrato), Altostratus (Altostrato), Altocumulus (Altocumulo), Stratus (Estrato), Stratocumulus (Estratocumulo), Nimbostratus (Nimbostrato), Cumulonimbus (Cumulonimbo) e ainda Cumulus (Cumulo).

A categorização depende do formato e da altitude em que a nuvem se encontra, e as nuvens são formadas a partir do arrefecimento do ar até a condensação da água, motivados pela subida e expansão do ar.

Como se formam as chuvas?

A precipitação pode ser em forma de neve, granizo, geada ou chuva

As nuvens podem ser vistas tanto em maiores altitudes, quanto bem próximas do chão (Foto: depositphotos)

O primeiro estágio do ciclo da água é a evaporação, quando há o aquecimento da superfície terrestre, o que faz com que as águas sejam transportadas à atmosfera em forma de vapor de água.

Já na atmosfera, a água em formato gasoso se resfria e condensa, por conta das menores temperaturas, transformando-se em nuvens. Quando há a formação das nuvens, influenciada pela gravidade terrestre, ocorre a precipitação desta da água contida nestas nuvens.

A precipitação pode ser em forma de neve, granizo, geada ou chuva. Essa precipitação acontece tanto sobre os continentes, quanto sobre os oceanos. Ao precipitar, parte da água é absorvida pelas plantas, as quais podem reter essa água nas raízes ou folhas, sendo que a outra parte acaba infiltrando nos solos, encharcando-os momentaneamente.

Veja também: O que são os rastros brancos que alguns aviões fazem no céu?

Não há um encerramento nesse processo, já que essa água precipitada, voltará a se transformar em vapor de água, através da evapotranspiração. Esse processo de evaporação e precipitação ocorre constantemente em todos os locais do mundo, formando o chamado ciclo da água.

 

Referências

» AS NUVENS. Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa. Disponível em: http://geofisica.fc.ul.pt/informacoes/curiosidades/nuvens.htm. Acesso em 19 de abril de 2018.

» NUVENS: formação, tipos, importância e fenômenos relacionados. Departamento de Física Aplicada da USP. Disponível em: http://www.fap.if.usp.br/~hbarbosa/uploads/Teaching/FisPoluicaoAr2016/Aula24_grupo4..pdf. Acesso em 19 de abril de 2018.

» KUNAST, Luana. Estudo Prático. Ciclo da água na natureza. Disponível em: https://www.estudopratico.com.br/ciclo-da-agua-na-natureza/. Acesso em 20 de abril de 2018.

Sobre o autor

Avatar
Mestre em Geografia e Graduada em Geografia pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), Especialista em Neuropedagogia pela Faculdade Alfa de Umuarama (FAU) e em Educação Profissional e Tecnológica (São Braz).