Frutose

Frutose é um tipo de carboidrato que fornece energia

Considerada o açúcar mais doce que existe, a frutose, ou o açúcar das frutas, também é conhecida como levulose. O ingrediente, além de ser encontrado na natureza, é utilizado na indústria para fabricar refrigerantes, sucos e doces em geral.

Nesse artigo você vai encontrar respostas sobre o que é a frutose mais detalhadamente, qual a sua utilização e como ela funciona dentro do organismo humano. Além disso, entende o que são os carboidratos e suas diferentes classificações. Acompanhe!

O que é a frutose?

A levulose, como também é conhecida, é um tipo de carboidrato chamado de composto orgânico pertencente ao grupo dos monossacarídeos, ou seja, de moléculas que não sofrem com a ação da hidrólise – processo que quebra moléculas a partir da água.

Cesta de frutas

Frutose é uma substância presente nas frutas (Foto: depositphotos)

De fórmula química C6H12O6, a frutose é bem parecida com a glicose. A diferença encontra-se apenas no grupo químico, já que a primeira pertence às cetonas, enquanto a segunda aos aldeídos.

Sua obtenção se dá através da hidrolise da inulina, substância encontrada nos vegetais, ou na sacarose, que é a junção de frutose mais glicose, que pode ser encontrada em frutas, vegetais, cereais e também no mel.

Utilização da frutose

Utilizada industrialmente através das frutas ou do xarope de milho, a frutose é encontrada na produção de doces, sucos, frutas em conserva ou desidratadas, refrigerantes e produtos processados.

Frutose no organismo

A frutose, quando ingerida, é metabolizada e se transforma em glicose, nutriente que por sua vez fornece energia ao organismo. Porém, seu consumo excessivo pode alterar a produção de insulina, aumentar o nível da glicemia e desenvolver diabetes.

Portanto, opte pela ingestão natural através das frutas, que carregam outros nutrientes como as fibras, que melhoram a digestão e evitam o desequilíbrio metabólico.

Frutose atrapalha o treino?

A frutose é um tipo de carboidrato, e, portanto, é responsável por fornecer energia. Porém, como é pertencente ao grupo dos carboidratos simples ou de alto índice glicêmico, ou seja, aqueles que são digeridos e transformados rapidamente em energia, ela é responsável por aumentar os picos de insulina, ação que atrapalha os efeitos da musculação ou dos exercícios aeróbicos.

Na alimentação que antecede treino, independente se a função dele seja queimar gordura localizada ou ganhar massa muscular, não é indicado incluir alimentos que geram energia rapidamente.

Isto porque a intenção dos exercícios aeróbicos é queimar gorduras que já estão armazenadas e, a ingestão de um alimento que gera energia imediatamente suprirá as necessidades do organismo e então o esforço não surtirá efeito. Ou seja, a frutose inibe a queima de gordura localizada.

Carboidratos ou glicídios

Também conhecidos como açúcares, os carboidratos são os grandes fornecedores imediatos de energia para os seres vivos. São fabricados pelas plantas no processo de fotossíntese e apresentam em suas moléculas átomos de carbono (C), hidrogênio (H) e oxigênio (O).

Além de fornecedores de energia, possuem também a função estrutural, como a celulose, encontrada revestindo as células vegetais; e constituindo os ácidos nucleicos (material genético). Os carboidratos podem ser classificados em três grupos: monossacarídeos, dissacarídeos e polissacarídeos.

Monossacarídeos

Os monossacarídeos são os glicídios mais simples. A fórmula geral de suas moléculas é CnH2nOn. Os monossacarídeos são formados por pequenas moléculas que não se dividem na presença de água, portanto, não sofrem hidrólise.

Os exemplos mais comuns encontrados nos organismos vivos são: glicose (produzida pelos vegetais na fotossíntese), frutose (encontrada nas frutas doces), galactose (encontrada no leite) e ribose e desoxirribose (componentes dos ácidos nucleicos).

Os nomes dados aos monossacarídeos dizem respeito ao número de átomos de carbono da molécula:

  • Trioses: com três átomos de carbono – C3H6O3
  • Tetroses: com quatro átomos de carbono – C4H8O4
  • Pentoses: com cinco átomos de carbono – C5H10O5
  • Hexoses: com seis átomos de carbono – C6H12O6

Para os organismos, os principais monossacarídeos são as pentoses e as hexoses. Entre as pentoses existem duas particularmente importantes: a ribose e a desoxirribose, que participam da constituição dos ácidos nucleicos, respectivamente do RNA e do DNA. Como principais exemplos de hexoses, citamos a glicose, a frutose e a galactose, importantes fontes de energia para os seres vivos.

Dissacarídeos

São carboidratos constituídos pela união de dois monossacarídeos. Na ligação de dois ou mais monossacarídeos, estamos ingerindo dissacarídeos ou polissacarídeos. Nosso sistema digestório os transforma em monossacarídeos para que possam fornecer energia para a célula. Todos os dissacarídeos têm função energética e os principais são:

  • Sacarose: é o açúcar da cana e da beterraba. É formada pela união de glicose + frutose
  • Lactose: é o açúcar do leite. É formada pela união de glicose + galactose
  • Maltose: é o açúcar encontrado em raízes, caules e folhas dos vegetais. É formada pela união de glicose + glicose.

Na reação entre duas moléculas de monossacarídeos, há liberação de uma molécula de água e fala-se em síntese por desidratação. Inversamente, na quebra de um dissacarídeo, há entrada de uma molécula de água e fala-se em quebra por hidrólise, processo geralmente envolvido na digestão química de muitos alimentos.

Os dissacarídeos são solúveis em água, mas não são imediatamente aproveitáveis como fonte de energia. Para isso, precisam ser quebrados por hidrólise, dando origem a dois monossacarídeos, que então podem ser absorvidos.

Polissacarídeos

Os polissacarídeos são moléculas grandes, constituídas por ligação de muitos monossacarídeos, principalmente glicose. Os polissacarídeos não são solúveis em água e podem ser desdobrados em açúcares simples por hidrólise.

Alguns são reserva de energia, como o amido, outros fazem parte da estrutura esquelética da célula vegetal, como a celulose. Alguns polissacarídeos apresentam nitrogênio ou enxofre em sua fórmula.

A insolubilidade dos polissacarídeos é vantajosa para os seres vivos por dois motivos: permite que eles participem como componentes estruturais da célula ou que funcionem como armazenadores de energia.

Como em cada ligação entre dois monossacarídeos há perda de uma molécula de água, a fórmula geral dos polissacarídeos formados a partir de hexoses é C6nH10nO5n. Os principais polissacarídeos são:

  • Amido: formado por inúmeras moléculas de glicose. Encontrado nos vegetais, funcionando como reserva de energia
  • Celulose: formado por inúmeras moléculas de glicose. Encontrado revestindo externamente as células vegetais, funcionando como reforço estrutural
  • Glicogênio: formado por inúmeras moléculas de glicose. Encontrado nos animais, funcionando como reserva de energia.
Referências

BARREIROS, Rodrigo Crespo; BOSSOLAN, Grasiela; TRINDADE, Cleide Enoir Petean. Frutose em humanos: efeitos metabólicos, utilização clínica e erros inatos associados. Revista de Nutrição, p. 377-389, 2005.

Sobre o autor

Avatar
Natália Duque é Graduada em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro.