Gás natural

O gás natural é um elemento formado naturalmente no meio ambiente e utilizado como combustível fóssil. Geralmente o gás natural está associado ao petróleo, mas também pode aparecer de forma não associada, por terem um processo originário similar.

Como combustível fóssil, o gás natural é considerado como limpo e eficiente, o qual tem seu uso impulsionado principalmente desde a década de 1940/1950. O gás natural pode ser utilizado como recurso energético em vários setores da economia, como na produção de eletricidade, nas atividades industriais, nas residências, no comércio e ainda no setor dos transportes.

Dentre as fontes energéticas mais usadas no mundo, o gás natural encontra-se apenas atrás do petróleo e o do carvão, em uma hierarquia de importância. 

O que é o gás natural?

O gás natural é um combustível fóssil encontrado na natureza, considerado como um elemento limpo e eficiente, embora não-renovável

Chama de fogão

O gás natural pode ser usado nas residências, industriais, comércio e transportes (Foto: depositphotos)

O gás natural é encontrado no subsolo terrestre, no interior de rochas porosas, tendo sido formado durante a história evolutiva do planeta Terra pela acumulação de restos de matéria orgânica, seja de origem animal ou vegetal.

De modo geral, o gás natural é um hidrocarboneto originado a partir da decomposição de resíduos orgânicos. Durante milhões de anos houve um processo de erosão, transporte e deposição de partículas de rochas nas áreas mais baixas do terreno, oriundas das partes mais elevadas.

Os locais de deposição destes resíduos são conhecidos como bacias sedimentares, e nestes não foram compactados ao longo do tempo apenas material mineral, mas também matéria orgânica, a qual foi sendo acumulada entre as camadas de rochas, originando tanto o petróleo, quanto o gás natural. 

Exploração

O uso do gás natural respeita uma estrutura denominada de “Cadeia de Valor do Gás Natural”, a qual é dividida em três segmentos, sendo eles: upstream, midstream e downstream.

Upstream

O primeiro momento, upstream, é o da exploração do recurso natural, quando há preliminarmente pesquisas sobre a existência e viabilidade de uso do recurso, seja em bacias terrestres (onshore) como em bacias marítimas (offshore).

Os custos de exploração são altos, tanto em relação aos investimentos de pesquisas, quanto em relação aos custos de operação, ainda mais diante da incerteza de encontrar o gás natural.

Midstream

O segundo momento do processo de exploração e uso do gás natural é o midstream, o qual diz respeito aos meios pelos quais se fará a movimentação, ou transporte, entre o local da jazida produtora e o mercado consumidor, sendo necessários investimentos em logística para isso.

Existem algumas formas de transporte possível, como aquelas desenvolvidas por via rodoviária ou marítima, no entanto, a forma mais eficaz de transporte é através dos gasodutos por impulso de pressão.

Downstream

O último momento da cadeia é o downstream, que é o contexto da distribuição do gás natural aos consumidores, tanto aos setores industrial, comercial, residencial e geração de eletricidade, quanto aos transportes. 

Gás natural convencional e não convencional

Gasodutos

A forma mais eficaz de transporte do gás natural é através dos gasodutos (Foto: depositphotos)

Existem basicamente dois tipos de gás natural, sendo eles o convencional e o não convencional.

Convencional

O convencional é aquele encontrado naturalmente no subsolo em depósitos impermeáveis, ou seja, em poros localizados no interior das rochas, podendo ou não estar associado ao petróleo.

Ele é um recurso natural não renovável, já que depende da própria natureza para se desenvolver, levando milhões de anos para sua formação. Assim, não depende dos homens a formação do gás natural, portanto, constituindo-se como elemento que não possui garantia de perpetuidade.

Não convencional

Já o não convencional é aquele cuja extração é mais complexa e custosa, sendo, portanto, menos usual. O mais conhecido é o gás xisto, presente no xisto argiloso.

Esse tipo de gás natural é bastante polêmico, já que os custos financeiros são mais elevados, mas há também custos ambientais, já que há uma possibilidade de contaminação do lençol freático durante a extração, prejudicando a qualidade da água.

Assim, o tipo de extração mais comum no Brasil é o de gás natural convencional. Veja na imagem abaixo algumas diferenças entre o gás natural convencional e o gás natural não convencional:

Gás natural no Brasil

No caso brasileiro, a indústria do gás natural começa a ter importância já no século XIX e início do século XX, quando já existia gás canalizado em dez cidades brasileiras, tendo caído em uma espécie de desuso com o advento do massivo acesso da energia elétrica no país, tendo sido retomada com a exploração petrolífera na região Nordeste.

Assim, no caso brasileiro, a exploração do gás natural está atrelada ao processo de exploração das reservas petrolíferas. No contexto atual, a maior parte de produção do gás natural no país é gás associado ao petróleo produzido pelo método offshore, ou seja, em bacias marítimas. Assim, são instaladas grandes plataformas de extração no oceano.

Dentre os países da América do Sul, o Brasil se mostra como importante exportador de gás natural, especialmente da Bolívia (pelo gasoduto) e de Trinidade e Tobago (GNL).

Já em relação a exploração do gás no território brasileiro, as atividades estão associadas a empresa Petróleo Brasileiro S.A. (Petrobras), para a qual a prioridade é a extração do petróleo, ficando o gás natural como produto secundário deste.

A exploração do gás natural no Brasil é feita através das plataformas marítimas, não sendo viável (a princípio) a exploração em bacias terrestres, por conta dos altos investimentos de escoamento, bem como os problemas relativos aos riscos que essa exploração representa ao equilíbrio ambiental e a saúde humana.

O consumo de gás natural no Brasil ainda está predominantemente associado ao setor industrial, seguido pela geração elétrica, Gás Natural Veicular (GNV), dentre outros. 

Resumo do Conteúdo
Nesse texto você aprendeu que:

  • O gás natural é um combustível fóssil encontrado na natureza.
  • O gás natural é considerado um combustível como limpo e eficiente.
  • Ele pode ser utilizado como recurso energético nas industriais, residências e transporte.
  • O gás natural é um recurso natural não renovável.

Exercícios resolvidos

1- O que é o gás natural?
R: É um combustível fóssil encontrado na natureza.
2- Onde é encontrado?
R: No interior de rochas porosas das bacias sedimentares.
3- Quais são as três etapas da Cadeia de Valor do Gás Natural?
R: Upstream, midstream e downstream.
4- Quais são os tipos de gás natural?
R: Convencional e não convencional.
5- Qual a empresa responsável pela exploração do gás no território brasileiro?
R: Petrobras.
Referências

» CONCEITOS e definições do setor de gás natural. ABRACE – Associação Brasileira de Grandes Consumidores Industriais de Energia e de Consumidores Livres. Disponível em: http://abrace.org.br/wp-content/uploads/2015/12/cartilha_gas.pdf. Acesso em: 18 de novembro de 2017. 

» GÁS NATURAL. Parte III. Fontes não-renováveis. Agência Nacional de Energia Elétrica – ANEEL. Disponível em: http://www2.aneel.gov.br/arquivos/PDF/atlas_par3_cap6.pdf. Acesso em: 18 de novembro de 2017. 

» GÁS NATURAL. Cadernos FGV Energia, nov. 2014, ano 1, nº 2, Fundação Getúlio Vargas. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/bitstream/handle/10438/13850/energia2%20%281%29.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 18 de novembro de 2017.

Sobre o autor

Avatar
Mestre em Geografia e Graduada em Geografia pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), Especialista em Neuropedagogia pela Faculdade Alfa de Umuarama (FAU) e em Educação Profissional e Tecnológica (São Braz).