,

Geopolítica

A geopolítica é uma área do conhecimento geográfico que se preocupa com as dinâmicas políticas no mundo. Para isso, leva em consideração as relações internacionais, as estratégias de dominação e ocupação dos territórios, e os jogos de poder existentes entre os Estados.

Esse estudo abarca a discussão sobre as fronteiras e como estas são estabelecidas e vivenciadas. Além de tratar das formas pelas quais o espaço mundial foi organizado e dinamizado ao longo do tempo.

Existem vários autores importantes no âmbito da geopolítica, e que são referências não apenas para a geografia, mas no contexto geral das discussões geopolíticas clássicas e contemporâneas.

A geopolítica tem um vasto campo de estudos em todos os continentes, debruçando-se sobre questões como a produção de energia no mundo, as disputas pelo petróleo e a formação dos Estados territoriais.

Dentre os demais temas de relevância geográfica estão: expansão do domínio dos países sobre outros territórios, as potências mundiais, os países emergentes e a industrialização.

A base da geopolítica na geografia

De forma bastante ampla, a geopolítica é uma área dos estudos geográficos, a qual tem como objetivo principal desenvolver interpretações sobre os fatos políticos ocorridos no mundo, utilizando-se, para tanto, de conceitos geográficos.

Mundo com peças de xadrez

Esse estudo entende que tudo o que acontece no mundo acaba por interferir na forma como o espaço está concebido (Foto: depositphotos)

A geopolítica busca compreender as relações existentes entre o poder político nacional e o espaço geográfico, tendo como finalidades a orientação da atuação governamental diante do cenário mundial, bem como a realização de análises mais precisas e aprofundadas sobre as relações internacionais e os reflexos destas no espaço geográfico.

Vários são os autores que se interessaram historicamente pelas questões geopolíticas, dando suporte teórico para os debates nesta área da geografia. O maior expoente da geopolítica é Friedrich Ratzel (1844 – 1904), o qual foi um geógrafo e etnólogo alemão. Ele é o autor do termo “Lebensraum”, traduzido para “Espaço Vital”, muito referenciado na geografia.

O principal livro de Ratzel foi publicado em 1882 sob o nome de “Antropogeografia – fundamentos da aplicação da Geografia à História”. Essa obra é considerada como a fundadora da geografia humana, pois coloca o homem no âmbito das discussões geográficas, as quais ficavam mais estritas ao conceito físico até aquele momento.

Ratzel definiu que o objeto da geografia seria o estudo da influência que as condições naturais exercem sobre os homens, tanto em seu caráter fisiológico, quanto psicológico, expandindo-se para a sociedade.

Segundo ele, a natureza atuaria nas possibilidades de expansão de um dado povo, criando obstáculos para tal, ou acelerando esse processo. Apesar de ainda estar pautado no determinismo geográfico, Ratzel traz o homem para as discussões geográficas, privilegiando o elemento humano.

Autores e pensamentos

Com base nas contribuições de Ratzel, houve uma valorização das questões referentes à história e ao espaço. Com isso, abre-se espaço para discussões como a formação dos territórios, a expansão dos homens no globo, a distribuição dos povos no mundo, a questão do isolamento e das áreas habitadas.

Assim, além de ser considerado como base da geografia humana, Ratzel é destaque como precursor da geopolítica e do determinismo geográfico. A geopolítica sob base de Ratzel é o estudo da dominação dos territórios, especialmente em relação ao poder do Estado sobre o espaço.

Vários autores posteriores foram importantes nos referidos estudos, como Kjellen, Mackinder e Haushofen, embasando a área que viria a ser chamada de geopolítica.

Os principais autores desse campo de estudo (Kjellén, Mahan, Mackinder, Haushofer, dentre outros) concordam em algumas questões acerca das discussões que importam sobre o poder e o espaço.

Ambos enfatizam em suas obras a questão do poderio militar, bem como o papel das guerras na reorganização do espaço, debatendo o papel das grandes potências no cenário mundial.

Todos os autores demonstraram em suas obras uma preocupação em especial com o Estado nacional no qual viviam, bem como a expansão e fortalecimento deste, o que também ocorreu com Ratzel (Alemanha).

Os autores também têm como base de análise a criação de ideias estratégias e pragmáticas que nem sempre colocam o Estado como sujeito, bem como uma visão estratégia do poder, de modo que a geopolítica não está separada da geoestratégia.

O conhecimento do espaço é uma poderosa arma de dominação, de modo que quando um povo conhece seu território, adquire vantagens em um conflito.

Geopolítica e conteúdos

O estudo da questão geopolítica mundial tem como elemento central a compreensão de que tudo o que acontece no espaço geográfico acaba por interferir, positivamente ou negativamente, na forma como este espaço é organizado.

Neste sentido, a preocupação está em analisar as relações de poder que são estabelecidas entre os Estados e os territórios existentes no mundo.

O cenário geopolítico mundial é marcado por vários eventos importantes, que reorganizam as relações sociais e a forma como o espaço está concebido, como as relações de poder, os conflitos armados por variados motivos e as disputas por territórios, as ações de grupos de poder paralelo ao Estado, como os grupos terroristas, as tensões diplomáticas entre os Estados, dentre muitos outros.

Existem grandes eventos da história da humanidade e que possuem uma base de análise geopolítica, pois envolvem as relações de poder e a organização do espaço geográfico. Algumas delas são a Primeira Guerra Mundial (1914-1918), a Segunda Guerra Mundial (1939-1946) e ainda a Guerra Fria (1947-1991).

O mundo se organiza segundo características do desenvolvimento dos países existentes, de modo que já se esteve sob a égide de um mundo unilateral, ou unilateralismo. Neste caso, quando os Estados Unidos detinham o poder decisório concentrado.

No entanto, posteriormente, no contexto da Guerra Fria, o poder mundial estava embasado em uma lógica bilateral, disputado pelos Estados Unidos (capitalista) e a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (socialista).

Mas, no contexto da globalização, houve uma descentralização deste poder, instaurando-se o chamado mundo multilateral, quando emergem várias potências. Estes são alguns dos temas que possuem uma base de estudos geopolítica e que cabem a esta área da geografia especificamente.

A geografia, sendo uma ciência que tem como base a compreensão das relações entre o homem e o espaço, tem profunda preocupação com as questões geopolíticas, de modo que estas abarcam transformações importantes no cenário mundial, as quais se refletem nas demais escalas geográficas.

Referências
MARTINEZ, Rogério; VIDAL, Wanessa Pires Garcia. “Novo Olhar: Geografia“. São Paulo: FTD, 2013.

MORAES, Antonio Carlos Robert. “Geografia: pequena história crítica“. 21 ed. São Paulo: Annablume, 2007.

MOREIRA, Ruy. “O que é Geografia“. 2 ed. São Paulo: Brasiliense, 2012.

Sobre o autor

Avatar
Mestre em Geografia e Graduada em Geografia pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), Especialista em Neuropedagogia pela Faculdade Alfa de Umuarama (FAU) e em Educação Profissional e Tecnológica (São Braz).