Irmandade Muçulmana: O que é, como se originou e o que propõe

Esse grupo religioso busca o protagonismo em diversos países do Oriente Médio, da África e Ásia

Quando assistimos no noticiário a atuação dos grupos orientais na Síria, Irã, Iraque, Nigéria ou em países da Europa, logo colocamos todos do mesmo lado da balança. Afinal, são muitas atrocidades cometidas por eles, uns mais e menos radicais.

Na verdade, entender como cada um se distingue, as regiões que dominam ou os seus interesses é bem complexo. Agora, você vai saber mais sobre a Irmandade Muçulmana e qual é o seu foco nesses terríveis conflitos.

O que é a Irmandade Muçulmana?

A Irmandade Muçulmana é um grupo político. O que a diferencia de outros como o Fatah, por exemplo, é que ela também é um grupo religioso que busca o protagonismo em diversos países do Oriente Médio, da África e também de outros territórios da Ásia.

A Irmandade Muçulmana é um grupo político

AIrmandade quer que o Estado adote os preceitos do islã para conduzir os países (Foto: depositphotos)

Em que acredita a Irmandade Muçulmana?

Esse grupo político radical prega que o islamismo deve servir não só para ditar a população religiosa, mas também que seja a cartilha para toda a sociedade, independentemente de ser muçulmana ou não. Além disso, a Irmandade Muçulmana quer que o Estado adote os preceitos do islã para conduzir os países.

Para isso, o código empregado seria a sharia que é um documento que explicita as leis do islamismo. Segundo a EBC, essa característica religiosa é o que mais atrapalha a Irmandade e a faz ser alvo de críticas constantes, pois enquanto uma grande parte dos partidos vai na direção contrária às religiões, a Irmandade Muçulmana não abre mão da sua.

Veja também: O Estado Islâmico

Como nasceu a Irmandade Muçulmana?

Quem fundou a Irmandade Muçulmana foi um professor chamado Hassa al-Banna. O ano era 1928 e o país, Egito. A ideia inicial era libertar o país do controle do Reino Unido, que à época colonizava a região. Mas isso só não bastava, eles queriam também afastar todo tipo de influência Ocidental no Oriente.

O slogan no grupo é que o “islamismo é a solução”. O braço mais radical se inspirou em uma seita islâmica chamada Wahabita na Arábia Saudita. Suas maiores inspirações foram dois grupos de rebeldes já bem conhecidos, a rede terrorista Al-Qaeda e o Taleban, com atuações em países como o Afeganistão e o Paquistão.

Apesar do envolvimento do grupo em alguns atentados nas décadas passadas, há mais de 20 anos que a organização não se envolve diretamente em atentados terroristas. Dizendo-se democrática.

Veja também: Civilização Islâmica – Curiosidades e história

Quem apoia a Irmandade Muçulmana?

Por conta da sua antiga existência, a Irmandade Muçulmana acabou conquistando inúmeros adeptos. Isso acontece mais com a classe média que a enxerga realmente como um partido político e que acreditam ser ela a melhor solução para os problemas locais.

Qual é o papel da Irmandade Muçulmana?

Durante a Primavera Árabe, um movimento que levou às ruas milhares de pessoas pedindo o fim dos regimes ditatoriais nos seus respectivos países, a Irmandade Muçulmana foi uma das responsáveis pelo levante que derrubou o ditador Hosni Mubarak, em fevereiro de 2011, que dominava o Egito há muitas décadas.

Pela primeira vez, ela concorreu às eleições livres e elegeu o presidente Mohamed Mursi. Apesar disso, o grupo não conseguiu manter-se no poder, pois um golpe de estado no ano de 2013, depôs o então presidente. Quem assumiu em seu lugar foi o ministro da defesa chamado Abdul Fatah Khalil Al-Sisi.

Veja tambémO conflito Árabe-Israelense

Atualmente, o líder da Irmandade Islâmica encontra-se preso pelo atual regime e já foi julgado e condenado três vezes: à morte, à prisão perpétua e a 20 anos de prisão.