,

Manifestações de maio de 68 na França: Saiba o que foi este movimento

As manifestações de maio de 68 na França começaram com protestos estudantis pedindo por reformas na educação. O movimento teve início com alunos, mas acabou ganhando corpo e conquistou a adesão também dos trabalhadores.

Para você ter uma ideia, em maio de 1968, as Manifestações promoveram uma greve geral. Ao todo, 9 milhões de pessoas cruzaram os braços, integrando a maior paralisação da história mundial. O que começou nos campus universitários, contagiou os operários e acabou abalando até mesmo o governo forte de Charles de Gaulle.

Para você entender mais sobre o que foi o movimento ocorrido na capital francesa em maio de 1968, leia este artigo na íntegra.

Afinal, o que foram as manifestações de maio de 68 na França

Tudo começou na Universidade de Nanterre, que fica nessa cidade distante apenas 11 quilômetros da capital, Paris. O seu campus é o segundo maior da França.

O que os estudantes da Universidade de Nanterre queriam eram os alojamentos mistos. O fim desse sexismo de ter acomodações exclusivas para homens ou mulheres, era a principal reivindicação deles.

As Manifestações de Maio de 68 promoveram uma greve geral

Essa manifestação culminou na maior paralisação da história mundial (Foto: depositphotos)

Porém, o que parecia ser um apelo com forte conotação sexual, acabou ganhando outros contornos. Pois os estudantes não só pediam para ficar mais próximos do sexo oposto, como também reivindicavam por mais espaço nas decisões do centro universitário.

Tudo parecia ser um conflito local, não fosse pelo fato como as autoridades francesas veriam os protestos dos estudantes de Nanterre: uma ameaça que precisava ser reprimida. Foi aí onde tudo mudou.

Por conta da violência aplicada contra os estudantes, outras universidades foram aderindo às manifestações. Aos poucos, a Universidade de Sorbonne e a Universidade de Paris aderiram às causas e começaram também a pedir por reformas educacionais.

Veja também: Antecedentes da Revolução Russa

Não demorou muito para a luta dos estudantes inspirar também os operários, que buscavam por melhores salários frente à inflação crescente que assolava o país e fazia com que seus salários perdessem rapidamente o poder de compra.

Em pouco tempo, os dois segmentos estavam unidos e realizando a maior greve que se tem história até hoje no mundo, com quase 10 milhões de europeus em estado de greve.

Culto à Revolução Francesa

A essência dos protestos de Maio de 68 nasceu ainda na Revolução Francesa de 1789, cujos ideais eram ‘Liberdade, Igualdade, Fraternidade’, traços marcantes do Iluminismo. Essas aspirações permaneceram firmes no espírito francês. É o que alguns especialistas chamam de ‘culto à revolução’.

Foi essa cultura que teria dado origem aos protestos de Maio, mesmo mais de 200 anos depois. O país estava mergulhado em uma cultura revolucionária que dava asas ao espírito dos estudantes universitários franceses.

Os movimentos de maio de 68 no mundo

Os movimentos na França em maio de 68, aos poucos, influenciaram outras nações. Conheça agora como ela se deu no mundo:

Estados Unidos

O ano de 1968 era o auge da Guerra Fria e os Estados Unidos, seu maior protagonista junto à União Soviética. Mas, além disso, a Terra do Tio Sam participava da Guerra do Vietnã.

A participação dos soldados americanos nesse conflito não deixava boa parte dos americanos satisfeitos. Logo, o movimento de Maio de 68 na França acabou influenciando os estudantes americanos a saírem às ruas para pedir pelo fim da participação dos conterrâneos nessa guerra em território asiático.

Na verdade, esse ano não foi o mais importante em relação às conquistas estudantis nos EUA, mas deu um bom indício do que viria nos anos posteriores, entre 1969 e 1971. Outra característica diferente do movimento francês é que os operários não aderiram ao movimento estudantil, como aconteceu no Velho Continente.

Leste Europeu

Não só as nações do Ocidente aderiram ao Maio de 68. Alguns países do Leste Europeu também promoveram manifestações.

A República Tcheca, antes Tchecoslováquia; a Polônia; e os países que hoje são Eslovênia, Croácia, Montenegro, Macedônia, Bósnia e Sérvia, antes Iugoslávia; também participaram do movimento.

Veja também: Descubra quem foi a última pessoa guilhotinada na França

Na Polônia, tudo começou quando uma peça teatral chamada de ‘Os antepassados’ foi censurada. No segundo território, os protestos foram mais brandos e logo contornados pelo primeiro-ministro juguslavo à época.

Como foi o maio de 68 no Brasil

No Brasil, as movimentações de 68 se assemelharam mais com os protestos franceses.Embora a situação, por aqui, estava ainda mais grave, pois o país enfrentava uma ditadura e, justamente, nesse ano, o governo implantou o AI-5.

As Manifestações de maio de 68 conquistou a adesão dos trabalhadores

Os reflexos das Manifestações de maio de 68 foram sentidos em vários países (Foto: depositphotos)

O Ato Institucional 5 marcou história ao aumentar ainda mais a repressão durante o governo militar. Foi o presidente Artur da Costa e Silva que instalou 12 artigos que concedia inúmeros poderes a ele próprio, como: cassar mandatos, intervir em governos locais, suspender direitos políticos.

Entre as consequências mais graves do AI-5, está a de fechar o Congresso e assumir suas funções. O que veio a ocorrer logo depois de publicado o Ato Institucional.

O cenário era de repressão e violência. O ano de 1968 marcou também o assassinato do estudante Edson Luís de Lima Souto, de 16 anos, durante um conflito com a Polícia Militar; atentados contra o Jornal Folha de S. Paulo e contra a Bolsa de Valores de SP; a Passeata dos Cem Mil, no Rio de Janeiro, organizada pelos estudantes, entre outras atividades marcantes na luta pela democracia brasileira.

Veja tambémOs principais ataques terroristas à França

Repercussões na literatura e nas artes no mundo

Se você quer saber mais sobre os protestos de Maio de 68 pode consultar inúmeras obras de literatura, cinema e até música para entender mais sobre esse época que marcou o mundo. Algumas sugestões são:

Filmes

As sugestões de filmes são: Hair, de Milos Forman; A insustentável leveza do ser, de Philip Kaufman; Os sonhadores, de Bernardo Bertolucci; Os Educadores, de Hasn Weingarther; e Batismo de Sangue, de Marcélia Cartaxo.

Músicas

Na música, destaque no Brasil para Caetano Veloso e os Mutantes com a canção ‘É proibido proibir’; Chico Buarque e Tom Jobim cantavam ‘Sabiá’ e Geraldo Vandré entoava ‘Pra não dizer que não falei de flores’.

Livros

O maior expoente brasileiro na literatura é o jornalista Zuenir Ventura com sua obra ‘1968: o ano que não terminou’; ‘Esqueça 68’ é o livro do líder estudantil Daniel Cohn-Benedit, que virou um símbolo francês durante as manifestações de 68; e ‘1968 – Eles só queriam mudar o mundo’ de Regina Zappa e Ernesto Soto.

Veja também: Significado da bandeira da França

Sobre o autor

Avatar
Jornalista formada pela Universidade Federal da Paraíba com especialização em Comunicação Empresarial. Passagens pelas redações da BandNews e BandSports, TV Jornal e assessoria de imprensa de órgãos públicos.