Mata Atlântica – Fauna, flora e fotos

Conheça um pouco sobre a Mata Atlântica, sua fauna e flora e detalhes do problema do desmatamento. Veja também algumas fotos

A Mata Atlântica é um dos biomas brasileiros, sendo considerada a segunda maior floresta tropical em tamanho no território brasileiro, ficando apenas atrás da Amazônica. É um bioma que foi amplamente devastado desde a colonização brasileira, restando apenas uma pequena parcela da mata nativa. Assim, é considerada uma área que demanda cuidados, especialmente ações preservacionistas.

Como é a Mata Atlântica?

Devido à sua extensão territorial, a Mata Atlântica não comporta apenas um tipo climático, sendo que o clima predominante é o tropical úmido. Ainda assim, na porção sul do bioma há a presença do clima subtropical úmido, enquanto nas porções mais próximas à Caatinga, as características climáticas se aproximam mais do clima semiárido. Assim, há uma ampla diversidade climática, o que se reflete no tipo vegetativo de cada região. De modo mais amplo, pode-se considerar que o bioma da Mata Atlântica apresenta temperaturas elevadas durante o ano todo, bem como altos índices de umidade.

Vegetação desse bioma

A vegetação da Mata Atlântica está relacionada com os microclimas que ocorrem nesta, influenciados por fatores como teor de oxigênio, iluminação, umidade e ainda temperatura. A Mata Atlântica possui condições para formação de um dossel em seu estrato superior, ou seja, as árvores mais altas têm suas copas próximas, formando um aspecto contínuo que controla a luz que atinge as árvores e vegetações mais baixas.

Tipos mais comuns

São comuns o manacá-da-serra, pau-brasil, cedro, canela, ipê, jacarandá, jatobá e jequitibá. Como são árvores com troncos sem galhos laterais, acabam crescendo muito rapidamente. Nas regiões em que a luz do Sol atinge os estratos inferiores do dossel, há o crescimento de árvores menores, além das trepadeiras e plantas que se desenvolvem nos troncos das árvores.

A Mata Atlântica é, portanto, um tipo de bioma no qual se desenvolvem vários tipos de plantas, em estratos. O estrato inferior ao dossel é formado por árvores herbáceas. São comuns arbustos de pequeno porte, além de ervas e gramíneas, musgos e brotos. É frequente que as árvores do estrato inferior tenham folhas mais longas, pois não estão constantemente expostas ao Sol, devido à interferência do dossel, então as folhas maiores lhes ajudam a filtrar a luminosidade, garantindo sua sobrevivência.

Mata Atlântica - Fauna, flora e fotos

Foto: depositphotos

Solos da Mata Atlântica

Os solos da Mata Atlântica são, comumente, pobres, uma vez que são pouco iluminados, fator este que os mantêm úmidos por muito tempo. Essas características lhes competem pouca profundidade, elevada acidez e pouca oxigenação, fatores que contribuem para que os solos não tenham expressiva fertilidade. Por outro lado, há um grande acúmulo de matéria orgânica nos solos, originada da decomposição das folhas dos estratos superiores. Essa matéria orgânica abastece com nutrientes plantas e animais que vivem da decomposição.

Fauna da Mata Atlântica

Mata Atlântica - Fauna, flora e fotos - Onça Pintada

Foto: depositphotos

Assim como a vegetação diversificada, a fauna da Mata Atlântica também é destaque pela variedade de espécies. Várias espécies originárias da Mata Atlântica estão em extinção, destacando-se os micos-leões, as lontras, as onças-pintadas, dentre outros. Existem várias espécies endêmicas no bioma, ou seja, espécies animais que só existem neste tipo de bioma. A diversidade da fauna da Mata Atlântica advém da própria biodiversidade vegetativa, além da expressiva extensão territorial ocupada pelo bioma no território brasileiro.

Onde está localizada a Mata Atlântica?

A Mata Atlântica é um tipo vegetativo que se estendia originalmente desde o Rio Grande do Norte até o Rio Grande do Sul, ao longo da costa brasileira. Ela está presente na ampla maioria dos estados brasileiros, sendo eles: Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Goiás, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Bahia, Alagoas, Sergipe, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Ceará e Piauí. No entanto, pouquíssimos resquícios da mata original são visualizados atualmente no território brasileiro, conforme mostra o mapa:

Mata Atlântica - Fauna, flora e fotos - Mata original

Imagem: Reprodução/SOS Mata Atlântica

O bioma da Mata Atlântica abrange a região que era originalmente constituída por este tipo de vegetação, ocupando cerca de 13% até 15% do território nacional. Por ser um tipo de bioma que está presente em várias partes do Brasil, é composto por diversos tipos de ecossistema, variando em conformidade com os locais nos quais se localizam, formando conjuntos diferenciados de fauna, vegetação, solo, relevo e clima. Apesar disso, vários elementos são idênticos, o que são as bases de formação do bioma da Mata Atlântica.

Problemas ambientais na Mata Atlântica

Originalmente, a Mata Atlântica, estendia-se por 17 estados brasileiros, abrangendo uma área de 1.315.460 km² de extensão. Atualmente, segundo a Organização Não Governamental (ONG) SOS Mata Atlântica, restam apenas restam 8,5% de remanescentes florestais da Mata Atlântica. Pela sua importância no território brasileiro, a Mata Atlântica foi considerada Reserva da Biosfera pela Unesco e Patrimônio Nacional (Constituição Federal, 1988), afinal, mais de 70% da população brasileira vive nas áreas compreendidas por este bioma.

O alto contingente populacional que vive na área de abrangência da Mata Atlântica acaba sendo um risco para sua manutenção, uma vez que são mais de 140 milhões de pessoas que vivenciam na referida região, causando um importante impacto ambiental. Além disso, historicamente a Mata Atlântica foi devastada, quando houve a extração do Pau-Brasil, no contexto da colonização, e posteriormente durante os ciclos econômicos brasileiros, como o do açúcar, café, dentre outros. Também a exploração da madeira e de espécies vegetais é um risco nas áreas de Mata Atlântica, especialmente diante da biodiversidade do bioma.

As atividades produtivas realizadas pelos homens são constantemente uma ameaça ao que restou do bioma, especialmente em relação às atividades agrícolas e agropecuárias, realizadas, comumente, de forma insustentável. Além disso, a exploração industrial também é um dos elementos que ameaçam a sobrevivência da Mata Atlântica. Outro fator é o crescimento urbano demasiado e muitas vezes sem planejamento, ocupando áreas de suscetibilidade ambiental, situação ainda mais agravada com a presença de lixo e poluições.

Curiosidade

  • Para saber mais sobre a Mata Atlântica e as ações que têm sido realizadas para preservá-la, acesse o site do SOS Mata Atlântica, no link: https://www.sosma.org.br/.
  • Dia 27 de Maio é considerado o Dia da Mata Atlântica, um dia para relembrar o papel histórico desta mata na história do Brasil, bem como conscientizar sobre a importância de sua preservação.

*Luana Caroline Kunast é mestre em Geografia.

Referências

» LUCCI, Elian Alabi. Geografia: homem e espaço. 22ª ed. São Paulo: Saraiva, 2012.

» RIOS, Eloci Peres; THOMPSON, Miguel. Biomas Brasileiros. Como eu ensino. São Paulo: Melhoramentos, 2013.

» VESENTINI, José William. Geografia: o mundo em transição. São Paulo: Ática, 2011.