O planeta Netuno

Netuno desperta curiosidade acerca de sua constituição

O Sistema Solar é um complexo interessantíssimo do qual fazem parte vários astros que estão em constante dinâmica tendo o Sol como centro. No Sistema Solar existem duas grandes categorias de planetas, sendo eles os Telúricos e os Gasosos, além de planetas anões e corpos celestes menores.

Dentre os planetas existentes no Sistema Solar está Netuno, um gigante gasoso de coloração azulada. Com a categorização que passou a considerar Plutão como planeta anão, Netuno passou a ser o último planeta em ordem de distância em relação ao Sol.

Assim, como os demais planetas do Sistema Solar, Netuno desperta curiosidade acerca de sua constituição, o que é ainda mais intensificado pela posição que ocupa, com grande distância em relação ao Sol.

Como Netuno foi descoberto?

O planeta Netuno foi descoberto em setembro de 1846

Netuno desperta curiosidade acerca de sua constituição (Foto: depositphotos)

A descoberta de Netuno está relacionada com os estudos efetuados sobre Urano, planeta que está localizado em uma posição anterior a Netuno em relação ao Sol.

Ao pesquisar Urano, os cientistas perceberam que este não seguia o caminho orbital que era previsto pelos astrônomos. Com isso, desconfiaram que algum objeto ainda desconhecido estaria afetando a órbita de Urano, passando a investigar o fenômeno.

A desconfiança de que havia outro objeto ocasionando uma atração gravitacional em Netuno fez com que através de observações fosse descoberto o planeta Netuno. O planeta Netuno foi descoberto em setembro de 1846, juntando informações sobre a influência deste em Urano e também através de cálculos matemáticos efetuados na ocasião.

Das luas conhecidas de Netuno, apenas a maior delas, denominada de Tritão, foi descoberta antes do século XX, todas as demais foram reconhecidas apenas posteriormente.

Veja também: Qual é a diferença entre astronomia, astrofísica e cosmologia?

Quais são as características de Netuno?

Existem duas categorias principais de planetas no Sistema Solar, sendo elas os planetas Telúricos, ou seja, aqueles formados a partir de rochas, ou planetas rochosos e os denominados de planetas Gasosos ou Jovianos, que são planetas prioritariamente gasosos.

Os planetas gasosos existentes no Sistema Solar são Júpiter, Saturno, Urano e Netuno, os quais são gigantes em dimensão e formados principalmente por Hidrogênio, Hélio e Metano. Assim, Netuno é um planeta gasoso com grandes dimensões, com um diâmetro aproximado de 49.244 km, ligeiramente menor que seu vizinho Urano.

Netuno, último planeta do Sistema Solar

Por muito tempo Netuno foi considerado como o penúltimo planeta do Sistema Solar, mas com a reclassificação realizada em 2006, a qual denominou Plutão de planeta anão, Netuno passou a ser o último planeta reconhecido do Sistema Solar.

Após muitas pesquisas e, principalmente, as informações coletadas com a passagem da sonda espacial Voyager 2 em 1989 nas proximidades de Netuno, descobriu-se que Urano e Netuno apresentam muitas características em comum, com uma composição bastante similar.

Veja também: A órbita de todo planeta é uma elipse

O planeta Netuno é formado por um manto de Hidrogênio líquido, e sua atmosfera é constituída por gases como Hélio, Metano e ainda Amônia (muito tóxicos aos seres humanos!). Na parte superior da atmosfera do planeta o gás Metano sofre um processo de congelamento, formando com isso uma nuvem de gelo.

O vento em Netuno, em algumas faixas específicas de sua atmosfera, pode chegar aos 2000 km por hora, uma velocidade inimaginável diante da velocidade do vento no planeta Terra (exemplo: um tornado na Terra, evento de grandes proporções e que causa muitas catástrofes, pode ultrapassar os 400 km/h, quando atinge o maior nível na Escala Fujita – F5).

Manchas escuras

Netuno possui uma característica que chama muita atenção dos cientistas, causando muitas dúvidas, que são as enormes manchas escuras existentes em sua superfície.

Acredita-se que estas manchas sejam tempestades ciclônicas, as quais foram observadas em 1989 em Netuno quando da passagem da sonda espacial. Outra característica relevante de Netuno é que este possui um campo magnético fortíssimo, bem como um conjunto de quatro anéis, dois grossos e dois mais finos.

Estes anéis são compostos de partículas escuras em variadas dimensões. As luas reconhecidas de Netuno são: Tritão (maior delas e primeira descoberta), Laomedeia, S/2004 N 1, Proteu, Nereida, Halimede, Despina, Galateia, Psámata, Sao, Náiade, Talassa, Neso e Larissa. Tritão se encontra há cerca de 4.500 milhões de quilômetros em relação ao Sol, e foi descoberta logo após o descobrimento de Netuno, ainda em 1846.

Alguns dados relevantes sobre Netuno são que ele desenvolve seu movimento de rotação em 16 horas e 11 minutos, e seu movimento de translação em 164 anos. A temperatura média do planeta é de 163ºC negativos, justamente pela sua distância em relação ao Sol, ocasionando uma temperatura extremamente baixa, já que orbitando distante do Sol, o planeta recebe pouco calor.

Fenômenos atmosféricos em Netuno

Os fenômenos atmosféricos em Netuno são bastante intensos, especialmente os ventos, os quais encontram barreiras limitantes como montanhas, as quais poderiam diminuir a intensidade do vento. Assim, a falta de atrito da atmosfera com a superfície do planeta ocasiona a livre circulação dos ventos de Netuno. São estes ventos que configuram os intensos furacões conhecidos em Netuno, alguns com dimensões do tamanho do planeta Terra, como aquele que foi denominado de Grande Mancha Negra – GMN.

A coloração azulada de Netuno é um dos mais interessantes e curiosos aspectos deste, tanto que Netuno é denominado comumente como “Planeta Azul”. Essa coloração surge da absorção do vermelho pelo metano na atmosfera do planeta, somando-se a isso efeitos ainda pouco conhecidos pelos cientistas, sendo que o que se pode afirmar sobre isso até o momento é que tal coloração advém da existência em abundância do gás metano na atmosfera de Netuno.

Veja também: A primeira observação do trânsito de Vênus

Vida humana em Netuno

Por mais óbvio que pareça, é impossível o desenvolvimento da vida humana no planeta Netuno (pelo menos por enquanto!), isso por conta das condições adversas que o gigante azul apresenta, com ventos em intensidade acima dos 2000 km por hora, furacões da dimensão do planeta Terra, um frio congelante (podendo chegar aos 200ºC negativos).

Além disso, o planeta Netuno é formado basicamente por gases como Hélio, Metano e Amônia, os quais são altamente tóxicos para a vida humana. Não contendo Oxigênio, gás essencial para o desenvolvimento da vida como conhecida na Terra.

 

Referências

» NETUNO. Centro de Divulgação Científica e Cultural da USP. Disponível em: http://www.cdcc.usp.br/cda/dispositivos/pdf/08-NETUNO-245x620mm.pdf. Acesso em 05 dez. 2017.

» NETUNO: o planeta azul. NASA. Disponível em: https://heasarc.gsfc.nasa.gov/nasap/docs/solar2_p/neptune_p.html. Acesso em 05 dez. 2017.

» PASTOR, Eduardo Dutra; CAMPOS, Lissa; MAGNO, Lucas; BERNARDINELLI Pedro Henrique. Civilização em Netuno. 2013. Disponível em: http://www.astro.iag.usp.br/~aga0215diurno/pdfs/netuno.pdf. Acesso em 05 dez. 2017.

Sobre o autor

Avatar
Mestre em Geografia e Graduada em Geografia pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), Especialista em Neuropedagogia pela Faculdade Alfa de Umuarama (FAU) e em Educação Profissional e Tecnológica (São Braz).