O que é uma mandala?

A mandala é instrumento para a meditação, podendo ser usada para aliviar ansiedades e estresse

Você sabe o que é uma mandala? As mandalas são desenhos que causam fascinação em muitas pessoas e elas realmente trazem benefícios para a mente. Antes de mais nada é preciso saber que criar desenhos em forma de círculo é algo muito antigo.

Os primeiros registros de mandalas são datados do século VIII, na região do Tibete. Estando espalhadas também em diversos outros países do oriente, como Índia, China e até mesmo no Japão. Em todos os locais a palavra mandala é uma expressão derivada do sânscrito, que significa círculo. Geralmente elas são usadas em rituais religiosos ou como forma de concentração durante a meditação.

Nesse artigo você vai conhecer mais sobre a história desta arte milenar e que continua viva até os dias de hoje e ainda descobrir quais os benefícios delas para o corpo e a mente. Até porque é bem comum de serem encontrados livros para colorir e tatuagens que representem os mais diversos tipos de mandala.

O que são mandalas?

Mandala é uma palavra do idioma sânscrito, que é considerada uma língua morta, e significa círculo. No entanto, até hoje o sânscrito é considerado um dos 23 idiomas oficiais da Índia, devido a sua importância para o hinduísmo e budismo.

Várias mandalas coloridas

As mandalas são importantes para várias religiões, como: hinduísmo e budismo (Foto: depositphotos)

Sendo assim, mandalas são desenhos de formas geométricas concêntricas. Ou seja, que se desenvolvem a partir de um mesmo centro. Desde o princípio, os desenhos são denominados de yantras, que é uma palavra derivada dos idiomas falados na península indostânica para instrumento. Isso é, as mandalas são um meio para se chegar a um certo objetivo e não o objetivo em si. 

Esse objetivo pretendido muda de acordo com cada uma das culturas onde elas são observadas. Na maior parte delas, as mandalas servem como uma forma de concentração para a meditação. Sendo não apenas a concentração nas formas, mas a construção do desenho de extrema importância.

As formas podem ser criadas com diversos materiais, mas sempre são extremamente coloridas. O meio mais comum de criar mandalas é através de tintas coloridas em papel ou tela. Contudo, alguns templos budistas guardam a tradição da confecção de mandalas com ferro ou madeira.

Há ainda um outro método de criação de mandalas ainda mais especial, que é feito por monges budistas de alguns templos ao redor do mundo. Nesses templos os monges estudam por anos a arte da criação de mandalas usando areia colorida. A confecção do desenho pode se estender por horas ou dias e quando o desenho é completado ele é imediatamente destruído. Só então o material usado é descartado em algum rio. Essa arte serve para representar que tudo na vida é passageiro.

Veja também50 frases filosóficas para reflexão 

Onde e quando elas foram criadas?

Os primeiros registros de criação de mandalas data do século 8, na região em que fica localizado o Tibete. Desde o princípio os desenhos eram usados na religião budista como uma forma de concentração e auxílio na meditação.

No mesmo período também foram encontradas mandalas nas regiões da Índia, China e mais tarde no Japão. Fazendo parte assim, não só do budismo, bem como do hinduísmo e até do taoismo, onde os símbolos yin e yang são considerados uma mandala.

Contudo, todas as religiões tratam os desenhos como algo sagrado, sendo muitas vezes a representação do círculo da vida. Em algumas vertentes do budismo, as mandalas são representadas como sendo os palácios das divindades e portanto sagrados. 

No entanto, mesmo que os primeiros registros oficiais tenham vindo do oriente, foi descoberto que o nativos do continente americano também faziam uso de formas geométricas concêntricas em rituais. Principalmente nos cultos relacionados a cura. Já entre os séculos 16 e 18 a igreja começou a usar os desenhos em artes sacras e vitrais de prédios importantes.

No mesmo período, foi disseminada a ideia de alquimia, onde centenas de cientistas estudavam formas de transformar materiais. Nisso, as mandalas também foram incluídas, já que os desenhos aparecem em diversos textos herméticos escritos na época. Sendo assim, se sabe que o ser humano sempre teve certo fascínio pelo modo de construção dos desenhos, o que se prolonga até os dias de hoje.

Qual o significado?

Como já foi dito, a tradução literal da palavra mandala do idioma sânscrito é círculo. Esse círculo é usado há séculos como uma representação da passagem da vida ou até mesmo de palácios de divindades que devem ser reverenciados. No entanto, isso pode variar entre cada cultura onde ela é encontrada.

Por exemplo, no hinduísmo as mandalas são usadas para representar a vida de acordo com os desígnios do universo. Aqui, elas representam a integração e harmonia em tudo que deve ser feito.

Já no budismo, elas são instrumentos de meditação poderosos, já que possuem a capacidade de atrair a atenção para as suas formas e cores. Na religião elas ainda podem ser usadas para representar a brevidade da vida, quando são preparadas com areia e as moradas dos deuses.

Na cultura taoista, a filosofia yin yang usam uma representação própria de mandala. Aqui, a junção dos dois símbolos formam um todo e representam o equilíbrio que deve ser mantido em todos os aspectos da vida. Já nos povos pré colonização, há indícios que os desenhos eram usados nas cerimônias de cura.

Veja também: Filosofia budista – Conheça seus princípios

Quais tipos de mandala que existem?

Como já foi informado, podem ser usados diversos materiais para a construção das mandalas. Desse modo, cada um representa algo diferente como saúde ou bem querer por uma pessoa, quando usado para presentear alguém. Confira aqui os principais tipos de mandalas e para que eles servem.

Monges fazendo mandala de areia

O círculo das mandalas são uma representação da passagem da vida (Foto: depositphotos)

Mandala de areia

As mandalas de areia são tradição entre monges tibetanos. Nessa arte, os desenhos são confeccionados no chão com areia colorida e é algo tradicional da cultura budista.

Antes de começar a criar as mandalas de areia, os monges estudam as técnicas por anos e fazem meditação dias antes para se preparem. O trabalho geralmente demora horas para ficar pronto e no final tudo é jogado no rio ou outra fonte de água corrente.

A ideia é representar a brevidade de todos os aspectos da vida, já que tudo irá acabar uma hora. Neste sentido, elas também representam o recomeço, já que sempre é possível criar um novo desenho de areia.

Mandala de madeira

Um outro exemplo da tradição budista são as mandalas feitas com materiais como madeira ou ferro. Aqui elas podem ganhar formatos tridimensionais e são geralmente usadas como uma representação da morada de alguma divindade.

Elas também são muito usadas para presente. Nesse sentido, o processo é regado por diversas tradições e rituais, que significam boa vontade, já que é algo bom receber uma mandala como presente de alguém.

Mandala de tinta

Na tradição hinduísta é bastante comum encontrar mandalas pintadas em diversos templos e outros locais sagrados. Nessas técnicas são utilizadas cores vivas e que muitas vezes representam os diversos chakras do corpo humano. Na tradição hindu eles são como centros de energia, que ficam espalhados pelo corpo humano.

Desse modo, o colorido das cores usadas nos desenhos seria uma forma de realinhar esses chakras e permitir uma melhor circulação da energia. Garantindo assim, uma melhora tanto no sentido espiritual como físico da vida.

Como desenhar uma mandala em casa?

Os monges estudam anos para conseguir criar as intricadas mandalas coloridas. Contudo, com um pouco de prática é possível absorver os benefícios dessa arte, sem tanto trabalho. Para isso você pode desenhar suas próprias formas seguindo algumas dicas simples e até mesmo vídeos no YouTube.

Veja também: Aprenda as origens e o significado das máscaras gregas

Antes de mais nada, é preciso traçar um círculo em um pedaço de papel, já que a mandala significa literalmente ‘círculo’. É preciso ter cuidado para fazer um desenho o mais perfeito possível´, para isso você pode usar um compasso ou um prato. Só assim será possível obter um bom resultado final.

Traçado o círculo, você precisa encontrar o meio dele e traçar uma reta. Logo depois trace outra reta na transversal e continue fazendo isso até que ache o bastante. Esse é o modelo base de todas as mandalas que você quiser criar. A partir disso basta usar a imaginação e acrescentar arcos, flores, formas geométricas e até mesmo palavras.

Mas lembre-se, elas devem ter um sentido pessoal para você e é preciso se dedicar por completo àquela confecção. Finalizado o desenho basta colorir, usando cores vivas e vibrantes.

Ideias de mandalas para colorir

As mandalas se tornaram um sucesso no mundo todo. Por isso, existem diversas opções de desenhos prontos e livros para colorir. Isso está fazendo com que muitas pessoas optem por isso na hora de buscar um escape para os problemas do dia a dia. Caso você não tenha tempo ou habilidade para criar as suas próprias mandalas, separamos aqui alguns desenhos que você pode imprimir e pintar em casa. Confira.

(Foto: Reprodução | Imagens Png)

(Foto: Reprodução | Imagens Png)

 

(Foto: Reprodução | Imagens Png)

(Foto: Reprodução | Imagens Png)

Existem realmente benefícios em desenhar mandalas?

Sim, as mandalas são usadas há séculos como forma de melhorar a concentração e apresentam benefícios reais. Com isso, pintar os desenhos pode ajudar a diminuir a ansiedade e estresse. Ajudando assim a melhorar a qualidade de vida.

Outro ponto positivo das mandalas é que, por causa do seu viés espiritual, elas podem ser de grande auxílio para quem busca uma iluminação. Já para quem apenas deseja um novo hobby, elas podem ser um ótimo treino das habilidades de desenho e pintura.

Veja tambémCaligrafia artística

Sobre o autor

Avatar
Jornalista (MTB-PE: 6770) com formação completa no curso de Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo (UniFavip-DeVry). Experiência prática de dois anos em produção jornalística para TV e rádio.