O solo

Os solos permitem o desenvolvimento de vegetais que serão a base da alimentação humana e animal

O solo é um dos elementos da paisagem, juntamente com o clima, o relevo, a hidrografia, dentre outros. O solo é, basicamente, a parte mais superficial da Litosfera, ou seja, a camada mais externa dentre as camadas terrestres.

É no solo que os homens desenvolvem suas atividades, desde as mais básicas até aquelas mais complexas. Comumente o solo é chamado de “chão”, no entanto, o solo é um elemento complexo, variando em conformidade com fatores como rochas originárias, clima (temperatura e precipitação), relevo, dentre outros.

O estudo dos solos

Por conta da importância do solo, foi criada uma área científica que se preocupa exclusivamente com as questões sobre este elemento natural, a chamada Pedologia, também referida como “Ciência do Solo”. Os estudos pedológicos são essenciais para a conservação dos solos, pois estendem-se desde o reconhecimento dos elementos que foram os solos até as melhores técnicas de manejo deste.

O solo pode ser caracterizado como material mineral ou orgânico

Comumente o solo é chamado de “chão” (Foto: depositphotos)

São algumas das possibilidades de intervenção nos solos feitas pelos profissionais da área da Ciência do Solo a correção da fertilidade natural dos solos, a neutralização da acidez dos solos, auxiliando em sua conservação e poder de produção, a identificação das culturas mais apropriadas para cada tipo de solo, promovendo seu melhor poder produtivo, sem, no entanto, degradá-lo.

Ainda, realizar o monitoramento acerca dos teores de material orgânico nos solos, podendo corrigi-los caso necessário, também promover a preservação dos solos quanto ao risco da formação de erosão, seja ela uma lixiviação, a formação de uma voçoroca ou mesmo ou deslizamento.

(Foto: Reprodução/SBCS)

O que é o solo?

O solo pode ser caracterizado como material mineral ou orgânico inconsolidados que está presente na superfície terrestre, o qual serve como meio natural no qual ocorre o surgimento, crescimento e o desenvolvimento de plantas, segundo condições específicas do ambiente.

No entanto, o solo é um elemento complexo, variável em conformidade com alguns fatores. É possível ainda, dentro dos conceitos pedológicos, pensar em uma subdivisão que leve em consideração grandes agrupamentos, sendo eles:

  • “Solum”, o qual corresponde a parte mais superior e, consequentemente mais intemperizada (degradada pelos fatores externos) do perfil do solo, o qual abrangeria os horizontes A (horizonte mineral com acúmulo de húmus) e B (horizonte de máxima expressão de cor e agregação ou de concentração de minerais removidos dos horizontes A e E).
  • Solo autóctone, o qual é um solo desenvolvido com base em um material originário proveniente de rochas imediatamente adjacentes, ou seja, que esteja situação logo em sua camada mais próxima.
  • Solo alóctone, o qual é um tipo de solo formado a partir de material de origem proveniente de rochas que são estejam em locais adjacentes, ou seja, possuem características diferentes daquelas apresentadas nas camadas adjacentes.
  • Paleossolos são solos formados em momentos históricos diferentes, e que foram recobertos por sedimentos. Estes solos podem vir para a superfície por conta de processos erosivos ou intervenções humanas no meio.

Veja também: Tipos de solos do Brasil

  • Solo azonal é um tipo de solo que não apresenta necessariamente características advindas da zona climática na qual está inserido.
  • Solo zonal são aqueles solos que apresentam características relacionadas ao contexto da zona climática na qual se desenvolveram, bem como em relação ao tipo de vegetação da região.
  • Solo halomórfico é aquele influenciado pelo excesso de sais existentes neste.
  • Solo de mangue é um tipo de solo formado sob influência das marés e com um tipo de vegetação característico das regiões de mangue.
  • Solo transportado é o solo formado a partir de depósitos superficiais não consolidados.

Os solos são elementos complexos formados por partículas minerais, sendo que estas partículas são variáveis em conformidade com o tipo de rocha originária, possuindo composição e tamanhos diferenciados. Além disso, os solos são formados também por matéria orgânica, constituída por restos de animais e vegetais decompostos, formando o chamado húmus.

Ainda, os solos são formados também por água, a qual fica retida nestes por um tempo por conta dos poros que existem nestes solos. E ainda, os solos possuem ar em sua formação, com a formação de poros não preenchidos pela água. Existem vários fatores que interferem na formação dos solos como o material de origem, o clima, o relevo, os organismos e o tempo de exposição.

Qual a importância dos solos?

Os solos são elementos essenciais para a manutenção da vida no planeta Terra, isso porque são muito mais do que apenas o “chão” que os seres vivos pisam. Os solos sustentam o crescimento das plantas, fornecendo as condições necessárias para o desenvolvimento dos variados tipos vegetativos.

O tipo de planta que irá se desenvolver num dado local depende profundamente do tipo de solo existente. Os solos possuem relação com a distribuição das águas no planeta, especialmente por suas características físicas, as quais possibilitam a infiltração e evaporação ou então o escoamento das águas.

Veja também: Degradação do solo

Os solos promovem a reciclagem dos nutrientes, bem como a destinação dos restos decompostos de animais e vegetais, formando o chamado húmus, um material orgânico proveniente da degradação de elementos vivos. O solo é o ambiente no qual se desenvolvem vários organismos, os quais também promovem a dinâmica do ar e da água no interior dos solos.

Eles são base para o desenvolvimento de elementos materiais que são parte do cotidiano das sociedades hoje, como a abertura de estradas, a criação de casas a partir dos tijolos que advém dos solos, dentre outros. Além disso, os solos permitem o desenvolvimento de vegetais que serão a base da alimentação humana e animal, sendo que um uso inadequado deste recurso pode acarretar em sérios problemas quanto ao abastecimento alimentar no mundo.

Referências

» BRASIL. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. Manual técnico de pedologia.  2 ed. Rio de Janeiro. Disponível em: < https://www.ige.unicamp.br/pedologia/manual_tecnico_pedologia.pdf>. Acesso em 10 ago. 2017.

» CIÊNCIA do Solo: Pedologia, o que é? Universidade Federal do Rio Grande do Sul. 2016. Disponível em: < https://www.ufrgs.br/divulgacaodaciencia/2016/07/16/ciencia-do-solo-pedologia-o-que-e/>. Acesso em 10 ago. 2017.

» COELHO, Maurício Rizzato; et al. Solos: tipos, suas funções no ambiente, como se formam e sua relação com o crescimento das plantas. Disponível em: <https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/94212/1/Ecossistema-cap3C.pdf>. Acesso em 10 ago. 2017.

Sobre o autor

Graduada em Geografia pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), Especialista em Neuropedagogia pela Faculdade Alfa de Umuarama (FAU) e Mestre em Geografia (Unioeste)