,

Ornitorrinco: 7 curiosidades sobre o mamífero

O ornitorrinco é um animal mamífero, da subclasse dos prototérios, da ordem monotremata. São os únicos mamíferos ovíparos existentes, adaptados à vida aquática. Do grego: ornis, ornithos = ave + rhynkhos = bico.

São animais exóticos e considerados um tanto esquisitos por alguns. Quando descobertos, os cientistas encontraram dificuldades para classificá-los devido às suas características atípicas. Um misto de mamífero com ave, que põe ovos, e os machos apresentam um esporão venenoso nas patas posteriores.

Ornitorrinco nadando

O ornitorrinco é um mamífero, mas põe ovos. Tem bico, dentes e pelos (Foto: depositphotos)

A julgar pela sua aparência estranha, os ornitorrincos possuem um comportamento bastante peculiar, tanto que intrigam os cientistas e pesquisadores desde a primeira vez que foi descrito, no ano de 1799. A origem do animal é apontada como sendo do continente australiano, mais precisamente da Tasmânia.

Curiosidade do ornitorrinco

1- Genes únicos

O ornitorrinco partilha genes com outros mamíferos, além de répteis e aves, revelando uma combinação única de genes. Ele ainda apresenta similaridade com os tetrápodes (como os anfíbios) e com animais eutérios (vivíparos).

2- Fóssil vivo

A começar pelas características físicas que apresenta, ele é considerado um fóssil vivo, assim como os crocodilos. Desde a Era compreendida antes da extinção dos dinossauros, pouco ou quase nada foi mudado na espécie. O fóssil mais antigo encontrado de um ornitorrinco data de 100 milhões de anos atrás, aproximadamente.

3- Única espécie viva

Atualmente, a espécie Ornithorhynchus anatinus é a única viva, sendo encontrada no leste da Austrália, de Cooktown, no norte, até a Tasmânia, no sul.

4- Cegos e surdos debaixo d’água

O ornitorrinco pode ficar até dois minutos debaixo d’água, sem respirar. Quando mergulha, os olhos, os ouvidos e as narinas ficam protegidos por membranas de pele que os deixam cegos e surdos debaixo d’água. Para se guiar, eles utilizam as terminações nervosas sensíveis contidas no bico.

5- Veneno contra rivais

Quando estão em período de acasalamento, os machos produzem uma espécie de veneno que contém por volta de 80 toxinas, sendo usado como arma de defesa contra a invasão de outros machos.

6- Nasce com dentes e cego

Os filhotes nascem cegos e sem pelos, e desde dentro dos ovos já possuem dentes, o que facilita a quebra da casca na hora do nascimento.

7- Risco de extinção

A espécie foi caçada extensivamente por seu pelo até a virada deste século.

Tudo sobre os ornitorrincos

Características físicas

Para começo de história, é bom ter um pouco de noção sobre as características físicas desse animal. Ele é um mamífero, mas diferente de outros do mesmo grupo, põe ovos.

Ornitorrinco na água

O bico do ornitorrinco muito se assemelha ao do pato (Foto: depositphotos)

O ornitorrinco apresenta um bico semelhante ao de um pato, com a extremidade arredondada. Suas patas possuem membranas, o que facilita o nado, já que ele é um animal semiaquático.

O rabo do ornitorrinco é grande, largo e achatado, bastante semelhante ao de um castor. Todo seu corpo é recoberto por pelos muito finos, mas que possibilitam que a temperatura do corpo permaneça sempre constante, independendo do ambiente.

Os machos são ligeiramente maiores que as fêmeas, chegando a cerca de 60 centímetros, pesando cerca de 2,5 quilos. E pode chegar a viver de 10 a 20 anos.

Alimentação

Sua alimentação é baseada em invertebrados, tais como: moluscos, vermes, insetos, peixes e girinos.

Habitat

São animais presentes na Austrália e Tasmânia. O ornitorrinco vive nas margens de lagos e rios, nas quais escava tocas que se abrem dentro d’água. Ele conserva certas características reptilianas, principalmente uma homeotermia (capacidade de manter a temperatura do corpo constante) imperfeita.

Comportamento

O ornitorrinco tem um comportamento predominantemente noturno em suas atividades de forrageamento (busca por alimento), sendo um carnívoro oportunista de invertebrados bentônicos, como os moluscos.

São animais homeotérmicos, mantendo sua temperatura corporal (32 ºC), mesmo enquanto procura suas presas por horas em baixo d’água.

O ornitorrinco é sensível a pequenos campos elétricos. Ele utiliza sua eletro sensibilidade para localizar a fonte de alimento no fundo dos sistemas fluviais de água doce em que vivem, porque o ornitorrinco é noturno e fecha os olhos, ouvidos e narinas quando debaixo d’água.

Acasalamento e reprodução do ornitorrinco

Apesar de não ter todo o processo reprodutivo conhecido por meio de detalhes, o que se sabe é que a reprodução dos ornitorrincos se dá entre o sexto e sétimo ano de vida. Entre os meses de julho e agosto, única estação de reprodução, seus órgãos reprodutores aumentam de tamanho, o que propicia o acasalamento.

Filhotes

Apesar dos seus hábitos aquáticos, o ornitorrinco constrói o ninho em terra, próximos à ambientes de rios. Durante a alimentação, eles têm de sugar o leite através dos poros dilatados situados entre os pelos peitorais da mãe, pois ela não apresenta mamas.

Os filhotes emergem na água, pela primeira vez, após 3 a 4 meses de criação pelas fêmeas, em lactação nas tocas.

Importância da espécie

O ornitorrinco é um ícone australiano. É parte integrante da biodiversidade de muitos ecossistemas de água doce da Austrália Oriental e é protegido pela legislação em todos os Estados em que ocorre.

Ornitorrinco em cima de mapa

O ornitorrinco é uma espécie exclusiva da Austrália (Foto: depositphotos)

Sua conservação é de considerável importância, não apenas por causa de suas características, status e nicho, mas também porque é o único representante vivo de uma linhagem significativa de animais semelhantes a ornitorrinco, com uma história fóssil de milhões de anos.

No entanto, devido aos requisitos específicos de habitat, teve que se adaptar para viver e se reproduzir em ambientes consideravelmente degradados. Sua distribuição reduziu expressivamente em algumas regiões, mas a dificuldade de medição impede uma previsão do seu status futuro de conservação.

Futuro comprometido

As populações de ornitorrinco da Austrália são tipicamente pequenas e isoladas e, como resultado, a consanguinidade e a diversidade genética reduzida aumentam seu risco de extinção. Os níveis de diversidade genética nos ornitorrincos são perigosamente baixos, o que reflete seu pequeno tamanho populacional e isolamento prolongado. Sendo assim, o futuro desse mamífero encontra-se altamente comprometido.

Referências

» GAMBON-DEZA, F .; SÁNCHEZ-ESPINEL, C .; MAGADAN-MOMPO, S. O locus da cadeia pesada de imunoglobulina no ornitorrinco (Ornithorhynchus anatinus). Molecular immunology , v. 46, n. 13, p. 2515-2523, 2009.

» BETHGE, P .; MUNKS, S .; NICOL, S. Energética de forrageamento e locomoção no ornitorrinco Ornithorhynchus anatinus. Jornal de Fisiologia Comparada B , v. 171, n. 6, p. 497-506, 2001.

Sobre o autor

Avatar
Natália Duque é Graduada em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro.