Quem foi Pablo Escobar? Conheça a biografia desse narcotraficante

Você sabe quem foi Pablo Escobar? Ele foi um dos personagens mais polêmicos da América Latina e, por isso, tudo que gira em torno desse narcotraficante desperta curiosidade, desde a forma como ele morreu, passando pelos filhos, fortuna, esposa e ligações perigosas.

Neste artigo, você descobrirá um pouco mais sobre a atividade de Pablo Escobar, sua vida, biografia, aventuras e crimes. Não é à toa que existem dezenas de livros, filmes e até séries inspiradas na atuação desse colombiano. Conheça mais agora.

Quem foi Pablo Escobar

Pablo Escobar nasceu em 1949 em Rionegro, Antioquía, na Colômbia. Filho de um casal sem posses, Escobar tinha um pai caseiro de um sítio e uma mãe que dava aulas nessa mesma localidade.

Desde jovem sempre desenvolveu algum tipo de trabalho, desde ajudar a embalar compras nos mercados à flanelinha nos estacionamentos. Na sua juventude também atuou como segurança. Porém, a vida fácil logo lhe atraiu e ele começou a praticar pequenos furtos e contrabandos de cigarro, maconha e, depois, cocaína.

Pablo Escobar foi um narcotraficante colombiano conhecido por sua fortuna, influência e crueldade

Pablo Escobar ficou conhecido por ser o mais conhecido narcotraficante da América Latina (Foto: Reprodução | Wikimedia Commons)

Inicialmente, ele só traficava a droga. Mas aos 25 anos deu início à produção da própria cocaína para distribuição. Não demorou muito para que ele se tornasse poderoso e o mais influente criminoso da Colômbia e de toda a América.

Isso porque a extensão do seu império do tráfico tomava proporções gigantescas nos Estados Unidos e até em países da Europa.

Lema

O traficante conseguiu tornar-se tão poderoso que praticamente virou uma lenda viva na Colômbia. Seu lema era “plata o plomo”. Em tradução para o português significa “prata ou chumbo”. Na prática, isso mostra a crueldade como agia Pablo Escobar.

Ou seja, ou dinheiro ou morte. A postura de Pablo era tão violenta que alguns pesquisadores creditam a ele mais de 6 mil homicídios, seja a seu mando ou ele mesmo cometendo o ato. Para você ter uma ideia, ele era tão frio que mandou derrubar um avião. Matando centenas de pessoas inocentes.

Veja tambémColômbia – Economia, turismo e imagem de sua bandeira

Fortuna de Pablo Escobar

Por conta da sua atividade com o tráfico, Escobar acumulou uma grande fortuna. Era tanto dinheiro que ele não tinha nem onde guardar. Nas obras literárias e cinematográficas que contam a sua biografia, chega-se a falar que ele precisava enterrar as notas de dinheiro, tamanho era a quantidade.

Isso acontecia, pois ele trabalhava ilegalmente e, por isso, não podia deixar seu dinheiro em bancos ou guardado oficialmente. Além disso, a desvalorização do dinheiro colombiano era grande, o que gerava grande número de notas até mesmo para valores menores. Por isso, o traficante usava carrinhos de mão para transportar dinheiro e o enterrava nas duas propriedades espalhadas pelo país.

Com tanto dinheiro, Escobar também adquiriu propriedades como casas de luxo, carros e até aviões. Ele foi considerado em 1989, o sétimo homem mais rico de todo o mundo, com uma fortuna estimada em 25 bilhões de dólares. Obviamente, tudo isso foi perdido quando ele morreu.

Vida pública

Você deve estar imaginando que com tantas atividades ilegais sobre suas costas como tráfico e assassinatos, Escobar vivia escondido em um cativeiro. Nada disso! O traficante vivia em público e nada o parava.

A exposição era tanta que ele chegou a ser eleito como deputado suplente em 1982. Isso aconteceu pois Escovar era visto como um herói nacional. Ele ajudava a construir casas e distribuía dinheiro aos moradores das favelas de Medellín. Não deu outra: Pablo era adorado pela população mais carente que o elegeu político pelo partido “Civismo em Marcha”. Porém, Pablo foi rechaçado da assembleia e não pode assumir o cargo.

Perseguição a Pablo Escobar

Até meados da década de 80, Pablo Escobar era visto como um herói pela população carente de Medellín e tinha virado uma espécie de pai das comunidades. Contudo, sua atuação acaba sendo ainda mais violenta e repressora. Quem se juntava a ele ou aceitava seus favores, acaba vendendo sua alma ao diabo e ficava aprisionado à sua revelia.

Entretanto, isso começou a mudar em 1986, logo após as eleições de Virgílio Barco. Esse presidente virou a jogo e declarou guerra a Pablo Escobar. Primeiro ele ameaçou mandar Escobar para os Estados Unidos, onde uma longa lista de crimes o condenava.

A ideia do presidente era mandá-lo para a Terra do Tio Sam, pois se dependesse a justiça local certamente ela seria comprada ou ameaçada. Diante da ameaça, Pablo e todo o Cartel de Medellín declararam guerra também à presidência. Eles coordenaram ataques e mataram centenas de pessoas.

Guerra paralela

Já não bastasse toda a perseguição do Governo,Escobar ainda iniciou conflitos com o Cartel de Cali, seus inimigos na busca por território para venda de drogas. Esse embate foi sangrento e levou muitas pessoas à morte.

A fortuna de Pablo Escobar era tão grande que ele enterrava em suas propriedades

Escobar passou a produzir e distribuir sua própria cocaína aos 25 anos (Foto: depositphotos)

Somente a partir desse período é que Pablo passou a viver escondidos para que nem o Cartel de Cali o achasse, tampouco o Governo colombiano ou americano.

Veja também: Milícia: Significado, como funciona e outras informações

Prisão de Escobar

Em 1991, Pablo resolveu se entregar e para isso exigiu que construísse a própria cadeia. Isso só foi possível, pois o presidente Cesar Gaviria fez um acordo para acabar com a extradição na Colômbia. Ou seja, uma vez preso, Escobar não iria ser mandado para os Estados Unidos, seu maior temor.

A partir disso, Pablo viveu até 1922 nessa prisão luxuosa, chamada de “La Catedral”, onde recebia mulheres, amigos e visitas e controlava de lá todo o tráfico internacional de cocaína.

Fuga

Apesar de controlar a sua prisão particular, Escobar passou a ficar com medo que a extradição para os EUA acontecesse. Em 1992, ele fugiu da prisão e procurou viver mais recluso. Esse ano foi decisivo para o abatimento do maior narcotraficante da América Latina, pois ele ficou isolado, praticamente sem ver a família e tendo que fugir constantemente para não ser encontrado.

Morte de Pablo Escobar

Em 2 de dezembro de 1993, depois de mais de um ano que saiu da sua prisão, Pablo Escobar foi morto por policiais em Medellín quando tentava fugir pelo telhado. Dessa forma, acaba a história do homem que chegou a controlar 80% de toda cocaína distribuída no mundo na década de 80 e começo dos anos 90.

Filhos

Os filhos de Pablo Escobar são dois: Juan Sebastián Marroquín Santos e Joana Manuela Marroquín. Ambos tiveram que se refugiar na Argentina junto à mãe, assim que o traficante foi assassinado.

Juan já lançou um livro e se apresenta constantemente na mídia para conceder entrevistas e falar sobre o seu pai. Embora o reconheça como um criminoso, ele não esconde a admiração que sente pelo genitor. Já Manuela pouco foi vista em público e nada se sabe sobre ela.

Veja tambémCrime organizado no Brasil; origem e modo de operação

Esposa

Maria Victoria Henao era esposa de Pablo Escobar. Ela o conheceu aos 13 anos e tornou-se sua esposa logo em seguida. Também teve que se refugiar na Argentina onde conseguiu abrigo para seus filhos.

Sobre o autor

Avatar
Jornalista formada pela Universidade Federal da Paraíba com especialização em Comunicação Empresarial. Passagens pelas redações da BandNews e BandSports, TV Jornal e assessoria de imprensa de órgãos públicos.