Placas tectônicas

Essas placas podem possuir várias dimensões e espessuras, com milhares de quilômetros quadrados

A crosta terrestre não é um bloco rochoso único, mas sim uma estrutura dividida em enormes blocos de rochas chamados de Placas Tectônicas. Estes blocos rochosos estão em permanente movimento e são um dos elementos responsáveis pela formação do relevo terrestre, bem como por alguns dos mais importantes fenômenos naturais registrados no planeta. 

As camadas da Terra e a Litosfera

O planeta Terra é formado a partir de camadas denominadas de Núcleo, dividido em Núcleo Interno e Núcleo Externo, sendo que esta camada é a mais densa do planeta, composta basicamente por metais como Níquel e Ferro.

Essas duas camadas possuem diferentes aspectos, sendo que o Núcleo Externo se encontra em estado de fusão, enquanto o Núcleo Interno é sólido, apesar das elevadíssimas temperaturas. O Manto é a camada intermediária, formada por magma pastoso e denso em estado de fusão. E a camada mais superficial da Terra é a Litosfera, também denominada de Crosta Terrestre, sendo esta a camada mais fina dentre as demais que compõem a Terra.

Em tese, entende-se que a Litosfera pode ser também dividida em partes, sendo que a Crosta Terrestre seria a parte mais superficial da Litosfera, onde as relações de vida ocorrem. Abaixo da Crosta Terrestre estariam a Litosfera e a Astenosfera. A Crosta Terrestre não é uma camada inteiriça, mas é constituída por um aspecto de rachaduras, formada a partir de pedaços, sendo que estes vários pedaços são denominados de Placas Tectônicas.

Os limites entre esses blocos rochosos são chamados de falhas geológicas, as quais são rupturas na Crosta Terrestre, que delimitam as Placas Tectônicas. As Placas Tectônicas se movem pela Astenosfera, a qual é composta por rochas parcialmente fundidas. 

As Placas Tectônicas

A Litosfera não é uma camada rochosa contínua, mas sim formada por placas fragmentadas. Essas placas podem possuir várias dimensões e espessuras, com milhares de quilômetros quadrados e com espessuras de cerca de cem quilômetros. As Placas Tectônicas não se mantêm estáticas, mas movimentam-se lentamente, poucos centímetros por ano, sobre o manto inferior. Estas placas podem movimentar-se tanto em sentido convergente, quanto em sentido divergente, dando origem à vários fenômenos naturais.

Saiba mais: Fossas tectônicas

As Placas Tectônicas possuem limites diferenciados em relação as outras Placas Tectônicas, podendo ser eles:

  • Limites Divergentes: este tipo de limite é definido quando as placas se movimentam de modo a afastarem-se entre elas. As lacunas que são abertas na Crosta Terrestre durante este movimento são preenchidas por magma que sobe para a superfície. Esse magma sofre um processo de resfriamento e consolidação, tornando-se novamente uma rocha. Um exemplo de formação geológica que se originou em um processo divergente foram as cadeias mesoceânicas.
  • Limites Convergentes: esse tipo de limite é definido pelo movimento das placas em sentido de aproximação, ou seja, quando duas Placas Tectônicas se movimentam em sentido convergente, colidindo entre elas frontalmente. Nestes casos, a placa mais densa mergulha sob a mais leve, sendo incorporada ao material quente e fluido do manto.
  • Limites Conservativos: também conhecido como movimento das falhas transformantes, esse tipo de limite de Placas Tectônicas ocorre quando as placas se deslocam em sentido contrário uma em relação a outra, só que desta vez horizontalmente.
Placas Tectônicas - Limite Divergente

As placas se movimentam de modo a afastarem-se entre elas (Foto: depositphotos)

Placas Tectônicas - Limite Convergente

As placas estão em sentido de aproximação, colidindo entre elas frontalmente (Foto: depositphotos)

Placas Tectônicas - Limite Conservativo

As placas se deslocam em sentido contrário uma em relação a outra horizontalmente (Foto: depositphotos)

Principais Placas Tectônicas

  • Placa Pacífica: esta é uma placa tectônica oceânica, ou seja, não se estende para áreas continentais, sendo considerada como a maior placa tectônica existente no planeta Terra. Ela abrange a maior parte do Oceano Pacífico, com cerca de 103 milhões de quilômetros quadrados.
  • Placa Norte-americana: essa placa é uma das maiores do planeta (com cerca de 75.900.000 quilômetros quadrados), possuindo limites conservativos. Essa placa compreende territórios da América do Norte, a parte ocidental do Oceano Atlântico Norte, uma parte do Oceano Glacial Ártico e ainda uma parte da Sibéria.
  • Placa de Nazca: essa placa está contida em uma porção ao lado esquerdo da América do Sul, ao lado dos Andes. A Cordilheira dos Andes foi formada a partir do choque entre a Placa de Nazca e a Placa Sul-americana. Estima-se que essa placa tenha cerca de 15,6 milhões de quilômetros quadrados.
  • Placa de Cocos: é também uma placa tectônica oceânica, contida no Oceano Pacífico, ao Oeste da América Central. Essa placa não é considerada como uma das mais expressivas, justamente porque foi originada a partir do desprendimento de um fragmento da Placa de Nazca.
  • Placa do Caribe: é também chamada de Placa das Caraíbas, e está localizada em uma área subjacente a América Central, sendo uma placa oceânica. Essa placa se choca com a Placa de Cocos, ocasionando fenômenos naturais na região, como terremotos.
  • Placa Antártica: é uma placa continental que abrange a Antártica e oceanos em seu entorno.
  • Placa Sul-americana: essa placa abrange a América do Sul e o Leste da Crista Oceânica do Atlântico, com 43,6 milhões de quilômetros quadrados. Nesta placa, a fronteira Leste possui limites divergentes com a Placa Africana, enquanto na fronteira Oeste há limites convergentes com a Placa de Nazca.
  • Placa Africana: a placa em questão abrange o continente africano e colide com a Placa Euroasiática. Estima-se que esta placa tenha uma extensão de 65 milhões de quilômetros.
  • Placa da Arábia: esta é uma placa continental, a qual abrange a Península Arábica até a Turquia, o Irã e países da região. Essa região é bastante afetada por fenômenos naturais como terremotos originados pelo choque com a Placa Euroasiática.
  • Placa da Eurásia: é uma placa que está compreendida na região da Eurásia, porção que compreende os territórios do continente europeu e do continente asiático. Neste sentido, excetuam-se a Índia, a Arábia e parte da Sibéria, e incluem-se a parte oriental do Oceano Atlântico Norte.
  • Placa Indo-australiana: essa grande placa abrange o conjunto de duas placas tectônicas, a Australiana e a Indiana, incluindo ainda uma parte do Oceano Índico e uma parte do Himalaia.
  • Placa das Filipinas: é uma placa tectônica oceânica, a qual está contida no Oceano Pacífico, na região Leste das Filipinas. Estima-se que esta placa tenha 5,5 milhões de quilômetros quadrados de extensão.
Essas placas podem possuir várias dimensões e espessuras, com milhares de quilômetros quadrados

Ao todo, são 12 placas tectônicas na Crosta Terrestre (Imagem: Reprodução/Atlas Geográfico Escolar)

Referências

» MOREIRA, Igor. Mundo da Geografia. Curitiba: Positivo, 2012.

» MOREIRA, João Carlos; SENE, Eustáquio de. Geografia. São Paulo: Scipione, 2011.

» VESENTINI, José William. Geografia: o mundo em transição. São Paulo: Ática, 2011.

Sobre o autor

Graduada em Geografia pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), Especialista em Neuropedagogia pela Faculdade Alfa de Umuarama (FAU) e Mestre em Geografia (Unioeste)