,

Por que os Estados Unidos são tão atingidos por furacões e tornados?

Só nos quatro primeiros meses de 2017 foram registrados 650 tornados no país, um número muito expressivo

É comum ver os Estados Unidos da América ser noticiado nos jornais do mundo todo, seja na editoria de Política, Economia, Cultura ou qualquer outra. Por ser uma potencial mundial, as mídias destacam esse país sempre que possível. Nos últimos meses deste ano, por exemplo, os EUA tem ganhado espaço nos telejornais devido à alta quantidade de tornados e furacões que assolam a nação.

Além dos ocorridos recentes, a história dos norte-americanos é marcada por grandes tragédias nesse sentido. Quem não lembra do furacão Katrina? Assim como esse desastre, outros se tornaram parte da historicidade do país.

Mas, por que será que os Estados Unidos são tão atingidos por esses fenômenos naturais? A resposta para esta pergunta, de acordo com especialistas, refere-se ao clima do país. É tanto que os maiores incidentes surgem em épocas específicas do ano.

Razões pelas quais os Estados Unidos são tão atingidos por tornados e furacões

De acordo com o meteorologista Anderson Nedel, em material divulgado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), tornado é um “intenso redemoinho de ventos, formado por um centro de baixa pressão durante tempestades”.

Dependendo de sua intensidade, o furacão deixa rastro de destruição

Até abril de 2017, 650 furacões atingiram os EUA (Foto: depositphotos)

Aproximadamente 75% dos tornados ocorrem nos Estados Unidos, que tem uma média de mil por ano. Este fenômeno é classificado por uma escala chamada de Fujita, na qual há medidas que variam entre zero a cinco, dependendo do grau de intensidade, quanto mais próximo do cinco mais violento é.

A explicação dada por especialistas para justificar a presença de tornado de forma comum nos Estados Unidos é o clima do país. Os fenômenos começam a se intensificar na primavera, mas apresentam maior risco durante o verão americano.

Já o furacão é um fenômeno de baixa pressão, mas de grande escala. Segundo o Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG) da Universidade de São Paulo (USP) esse sistema de ventos fortes surge sobre determinadas localidades onde há água.

“Eles [furacões] se formam em águas quentes dos oceanos e mares tropicais (regiões tropicais e subtropicais), uma vez que nessas regiões ocorre uma grande evaporação de água. Por esse fato, eles atuam principalmente em regiões costeiras, onde existe uma grande densidade demográfica”, explica o IAG.

Sendo assim, várias regiões dos Estados Unidos estão propensas a apresentarem esse fenômeno natural, principalmente durante o verão.

Segundo o portal de notícias da Rede Record, o R7,  2017 está sendo um ano acima da média. Isto porque, especialistas afirmam que só nos quatro primeiros meses do ano foram registrados 650 tornados no país. Isto levando em consideração a média anual de 1000 casos.

Os maiores tornados e furacões da história do EUA

Por onde os tornados e furacões passam há a certeza de destruição, mortes, desabrigados e feridos. Durante toda a história do país, alguns nomes de fenômenos naturais entraram na lista dos mais devastadores.

Maior tornado dos Estados Unidos

Um grande exemplo de tornado devastador na história dos Estados Unidos foi o que ocorreu no dia 8 de março de 1925, atingindo três regiões do país: Missouri, Illinois e Indiana.

Este fenômeno é considerado o mais mortal de todos os tempos para os norte-americanos, uma vez que deixou 700 mortos após sua passagem. Além disso, os estados atingidos tiveram suas estruturas físicas muito abaladas e milhares de pessoas ficaram desabrigadas.

Maior furacão da história dos Estados Unidos

De todos os furacões que passaram pelo território norte-americano, o Katrina foi o mais intenso e devastador. Em 2005, este fenômeno natural deixou, aproximadamente, 2 mil mortos, um prejuízo de 108 bilhões de dólares e milhares de famílias desabrigadas.

Furacão da categoria 3, ele atingiu com mais intensidade a cidade de Nova Orleans, no estado da Luisiana. Além disso, também afetou estados americanos como Flórida, Mississippi e Alabama. Na escala elaborada pelo NOAA, sigla em inglês do órgão dos EUA que monitora condições dos oceanos e da atmosfera, o Katrina fica em primeiro lugar quando o assunto é maiores danos contabilizados.

O Furacão Matthew, um dos mais poderosos do Atlântico

Furacão Irma e suas consequências

Outro furacão que tem tirado o sono dos norte-americanos é o Irma. Esse fenômeno avançou para Flórida em setembro deste ano e após sua passagem já matou mais de 50 pessoas. Segundo o site da BBC Brasil, este é o furacão mais forte no Atlântico referente aos ventos máximos, desde 2005, ano do furacão Wilma.

Antes do Irma, o país já sofreu com os estragos provocados pelo Harvey, durante o mês de agosto. De acordo com a Agência de Notícias, este é considerado o maior furacão a atingir os Estados Unidos em 12 anos.