Quando começa o horário de verão?

Você sabe quando começa o horário de verão? E como foi que surgiu e para que serve essa prática? Quando termina o horário de verão? Nesse post você vai descobrir as respostas para todas essas perguntas e ainda descobrir algumas curiosidades sobre isso.

O horário de verão é uma tradição de alguns estados brasileiros desde 1985, quando passou a ser adotado anualmente. Dessa maneira, todos os anos no terceiro domingo do mês de outubro os relógios das regiões sul, sudeste e centro-oeste são adiantados em uma hora. Contudo, nem sempre foi assim, já que até 2008 o horário de verão não possuía uma data pré-estabelecida para ter início.

O objetivo do horário de verão é aproveitar a luz natural e diminuir os gastos com energias. Por esse motivo é adotado até hoje em diversos países do mundo, incluindo o Brasil.

Quando começa o horário de verão no Brasil? E quando termina?

No Brasil foi estipulado em 2008 que o horário de verão sempre começaria na terceira semana de outubro e terminaria na terceira semana de fevereiro. Isso aconteceu devido aos prejuízos e tempo perdido para o ajuste manual do período de horário de verão.

Relógio adiantado

O horário de verão consiste em adiantar em uma hora os relógios em algumas regiões (Foto: depositphotos)

Isso acontecia em alguns setores, como a computação, já que o início do período não era pré-estipulado. Por causa disso foi decidida em data anual para início e término do horário de verão.

O que é o horário de verão?

O horário de verão é o nome dado a prática de ajustar os relógios durante a estação do verão. Sendo assim, todos os relógios das regiões onde é adotado devem ser adiantados em uma hora.

Essa mudança ocorre justamente no verão por causa dos movimentos naturais da terra, que fazem com que os dias sejam mais longos nessa época do ano. Isso começa a acontecer na primavera e vai diminuindo gradativamente até o final do verão.

Dessa maneira, os defensores do horário de verão informam que esse ajuste é uma forma de fornecer um melhor aproveitamento da luz natural. Consequente a isso virá uma diminuição no consumo de energia elétrica.

Quando e por que foi criado?

A primeira menção ao horário de verão da história é atribuída a Benjamin Franklin, que fez inúmeras descobertas importantes a respeito da eletricidade. Franklin teria proposto a prática de adiantar os relógios em 1784 após perceber que quanto mais luz solar, menor era o gasto com velas.

No entanto, a sua proposta não foi bem recebida pelos governantes da época. A ideia só voltou a tona mais de um século depois, em 1895. Dessa vez sendo trazida pelo entomologista natural da Nova Zelândia, George Vernon Hudson. Em 1898 ele publicou uma pesquisa a respeito da importância e dos benefícios da mudança de horário.

Contudo, foi apenas em 1916 que o horário de verão foi adotado pela primeira vez. A Alemanha, que se tornou o primeiro país do mundo a adotar a prática, foi motivada pela economia de carvão. Isso foi de extrema importância para a época, já que o carvão era matéria prima essencial para a campanha do país na primeira guerra mundial.

Desde então diversos países do mundo vem adotando a prática, que pode obter uma economia de 5% dos gastos com energia elétrica. Isso pode não parecer muito, mas se for levar em consideração o valor total de gastos do país ele se torna uma grande economia.

Veja tambémQuando termina o horário de verão?

Como funciona?

O horário de verão funciona da seguinte maneira: todos os relógios da região onde a prática é adotada devem ser adiantados em uma hora, na data estipulada pelo governo.

Com isso é possível aproveitar melhor a luz do sol, já que se acorda uma hora mais cedo. Da mesma forma, quando se sai do trabalho ou escola o dia ainda estará claro, dando mais oportunidades de aproveitar a luz solar em atividades ao ar livre. Algumas pesquisas informam que na adoção do horário de verão as pessoas saem e praticam mais exercícios, por causa da maior incidência de luz solar.

No entanto, as pesquisas também alertam sobre os efeitos negativos da mudança de horário no corpo. Esses efeitos vão desde a aceleração do ritmo cardíaco e, em casos mais graves, até mesmo depressão.

Vale lembrar que o horário de verão só funciona em países afastados da linha do equador. Isso acontece porque os países localizados mais próximos da linha, não sofrem interferência do clima. Portanto, não há grande variação na duração do dia durante o verão.

Por causa disso apenas alguns estados brasileiros adotam o calendário do horário de verão, já que nos estados no Norte e Nordeste a economia de energia seria mínima.

Quando foi adotado pela primeira vez no Brasil?

O horário de verão foi adotado pela primeira vez no Brasil em primeiro de outubro de 1931. Sendo adotado em todos os estados brasileiros. No entanto a prática não foi anual e passou por vários períodos em que não foi adotada.

A partir de 1985 a prática passou a ser anual. Durante vários anos todo o território nacional devia aderir a prática, até que foi constatado que as regiões Norte e Nordeste não apresentavam economia durante o período. Sendo assim, a partir de 2003 essas regiões passaram a ficar de fora das mudanças de horário.

Isso acontece porque os estados dessas duas regiões ficam mais próximos a linha do equador. Dessa maneira, não sofrem com tanta intensidade a influência das mudanças de estação. Por isso possuem o dia e a noite com quase o mesmo período de duração durante todo o ano.

Até 2007 as datas em que deveriam ocorrer as alterações nos relógios eram definidas pelo presidente da república. Prática que mudou a partir de 2008 quando foi instituído através do decreto de número 6558, as datas específicas para o início e o fim do horário de verão e inverno.

Quais regiões do Brasil adotam o horário de verão?

Como já foi falado, apenas países ou regiões afastados da linha do equador apresentam benefícios com a adoção do horário de verão. Por esse motivo, desde 2003, apenas as regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste sofrem a alteração no horário.

Nessas cidades a economia nos gastos com eletricidade ficam na média dos 5% anuais. No total de gastos, esse valor é uma redução significativa. Essa economia ultrapassa a linha dos R$160 milhões todos os anos.

E em outros países?

Como já foi dito, o horário de verão não é uma adoção exclusivamente brasileira, já que cerca de 30 países do mundo optam pela prática. No entanto, as datas podem mudar de acordo com cada país. Os países membros da União Europeia, Reino Unido, Rússia, Turquia e até a Cuba, adotam o horário de verão entre os períodos de março a outubro.

Na América do Norte o período do horário de verão é entre os meses de abril e outubro. Em países do hemisfério sul como Austrália e Nova Zelândia o horário de verão tem início em outubro e termina em março. Na América do Sul, além do Brasil, apenas o Chile adota o horário de verão. No país o horário se inicia no mesmo período que no Brasil, entre os meses de outubro e fevereiro.

Veja também: Solstício de verão, marco da estação mais quente do ano

Qual a importância?  

O horário de verão pode ser incômodo para algumas pessoas, já que muda todo o relógio biológico que precisa se acostumar com o novo horário por quatro meses. No entanto, os benefícios econômicos que a mudança traz são bem maiores.

Setores como o de esportes e o varejista são os principais beneficiados, já que tomam proveito do maior período de sol. Dessa maneira, os movimentos nesses setores apresentam um aumento significativo nesse período.

Sendo assim, o horário de verão não influencia apenas na economia de gastos com a produção, distribuição e consumo de energia elétrica, que ultrapassa os R$100 milhões. Como também ajuda a movimentar setores importantes da economia.

Sobre o autor

Avatar
Jornalista (MTB-PE: 6770) com formação completa no curso de Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo (UniFavip-DeVry). Experiência prática de dois anos em produção jornalística para TV e rádio.