Significado da bandeira da Bielorrússia

Todos os países possuem símbolos que os identificam no cenário mundial, os quais são incorporados aos próprios preceitos identitários destes países.

Mais do que meros objetos, desenhos ou canções, as bandeiras, os brasões e os hinos nacionais são exemplos que um processo de perpetuação da cultura daquele país. São elementos oficialmente utilizados como identificadores de um dado local, com seus elementos históricos, culturais, religiosos e mesmo naturais.

Estes simbolismos reforçam a ideia de soberania, afloram um sentimento de patriotismo e de pertencimento. As bandeiras são elementos muito utilizados pelas diversas nações como forma de reconhecimento, de mostra-se presente e portador de uma autonomia política.

A cultura e história da Bielorrússia estão diretamente ligadas ao simbolismo de sua bandeira

Essa bandeira foi definida a partir de um plebiscito no ano de 1995 (Foto: depositphotos)

A bandeira da Bielorrússia

A bandeira de Belarus, ou Bielorrússia, foi definida a partir de um plebiscito no ano de 1995, anos após sua independência em relação a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas. Entre os anos de 1951 e 1991, a então chamada República Socialista Soviética da Bielorrússia, tinha outra bandeira que a caracterizada, a qual foi alterada, configurando a bandeira atual.

Formas e símbolos

Na ocasião da oficialização, foi também adotado um novo brasão de armas, os quais configuram os atuais símbolos oficiais do país. Para o povo da Bielorrússia, a bandeira representa o símbolo oficial daquele Estado Soberano, e é configurada a partir de um tecido em formato retangular, sendo que apenas duas cores forma faixas longitudinais (horizontais) sobre o tecido.

Uma primeira faixa, mais larga (dois terços), está disposta na parte de cima da bandeira, enquanto outra faixa, mais estreita (um terço), está na porção inferior da bandeira. A faixa superior é vermelha, a faixa inferior é verde.

Há ainda na bandeira um diferencial em relação à boa parte das bandeiras mundiais que adotam faixas verticais ou horizontais. Há na bandeira da Bielorrússia, ou Belarus, uma faixa em sentido vertical, ocupando a porção esquerda da bandeira, a qual é apresentada em cor branca.

Sobre esta faixa estão dispostos desenhos em cor vermelha, os quais representam simbolismos bielorrussos. As proporções da bandeira são de um metro por dois metros, e a haste da bandeira deve ser de cor dourada.

Veja também:

Cores

Assim, basicamente, a bandeira possui três cores: o vermelho, representando o antigo Exército Vermelho dos Operários e dos Camponeses, um exército da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas; e o verde, representando o sentimento de esperança, de um futuro promissor, representa o renascimento da vida.

O símbolo na faixa vertical branca, representa a cultura bielorrussa, a qual tem forte relação com os elementos culturais dos russos e ucranianos.

O que é a Bielorrússia?

A Bielorrússia, oficialmente denominada de República da Belarus, ou também conhecida simplesmente como Belarus, é um país soberano localizado na porção Oriental do continente europeu. A Bielorrússia faz fronteira com a Rússia em sua porção Leste, com a Ucrânia ao Sul, também com a Polônia a Oeste e ainda com a Lituânia e a Letônia ao Norte.

Este país não é muito conhecido pelos brasileiros, talvez pelo tamanho deste território, o qual é bastante pequeno. A capital de Belarus é Minsk, ou ainda, Minsque, constituindo-se na maior cidade daquele país.

O território da Bielorrússia tem apenas 207.595 km² de extensão, sendo que este país foi um dos que compuseram a antiga União das Repúblicas Socialistas Soviéticas – URSS, tendo obtido sua independência em 1991 com a dissolução da URSS.

Veja também: Acidente nuclear de Chernobyl

Características

Na Bielorrússia, os dois idiomas oficiais são a Língua Bielorrussa e a Língua Russa, e a religião predominante na região é o Cristianismo.

A população é composta pelos bielorrussos, os russos, ucranianos, poloneses, sendo populações mais próximas daquele local, e minorias advindas de outras regiões.

Há uma predominância de população vivendo na zona urbana do país, e apesar de ser considerada como “a última república soviética”, Belarus tem apresentado um expressivo índice de desenvolvimento, ocupando a posição de número cinquenta em relação ao Índice de Desenvolvimento Humano – IDH no mundo, considerado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento como um país com alto desenvolvimento humano.

Tal desenvolvimento se traduz em relação as principais atividades do país, dentre elas um expressivo setor de indústrias automotivas e de máquinas e implementos, enquanto o setor da agricultura é desenvolvido em condições de mecanização, o que demonstra que há recursos técnicos e um desenvolvimento em curso no país.

Curiosidade sobre Belarus

A Bielorrússia hoje é mais conhecida como Belarus, e seu território sofreu em décadas passadas um forte impacto socioambiental, quando de um acidente nuclear ocorrido na Ucrânia. O território de Belarus recebeu 70% da radiação vazada da Usina de Chernobyl, na Ucrânia, em 1986.

O acidente com Chernobyl é considerado como um dos maiores acidentes químicos e nucleares da história, quando houve uma sequência de explosões nos reatores da usina nuclear. As explosões químicas geraram, na ocasião, uma imensa nuvem radioativa de iodo-131 e césio-137, a qual alcançou a antiga União Soviética, partes da Europa Oriental, a Escandinávia e ainda o Reino Unido.

As causas do acidente foram técnicas, mas também humanas, já que tiveram a participação de técnicos que testavam o funcionamento dos reatores.

Veja também: A vida animal que avança em Chernobyl

O acidente em questão foi ainda mais prejudicial do que os danos ocasionados com as bombas de Hiroshima e Nagasaki no Japão, no contexto da Segunda Guerra Mundial.

Os danos de Chernobyl alcançaram longas distâncias, promovendo mortes, contaminações graves, com inúmeros nascimentos de crianças com doenças e malformações, bem como milhares de casos de câncer atrelados ao acontecido. Além disso, as atividades desenvolvidas nos países afetados foram comprometidas, como é o caso da agricultura, quando se estima que pelo menos um quinto da produção de Belarus tenha sido perdida com a radioatividade.

Pesquisadores que estudam sobre os efeitos da radioatividade, analisam que os efeitos de Chernobyl podem demorar até 300 anos para acabarem, enquanto isso, as atividades nas áreas afetadas ficam suspensas, sob risco de contaminação.

A mortalidade ligada a causas do acidente ainda é muito alta, especialmente com doenças desenvolvidas por conta do elevado índice de radiação, como é o caso do câncer.

Para complementar o aprendizado assista ao documentário “O Desastre de Chernobyl”:

 

Referências

»VEJA como está Chernobyl, 30 anos após pior acidente nuclear da história. BBC Brasil. 2016. Disponível em: . Acesso em 12 de março de 2018.

Sobre o autor

Avatar
Mestre em Geografia e Graduada em Geografia pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), Especialista em Neuropedagogia pela Faculdade Alfa de Umuarama (FAU) e em Educação Profissional e Tecnológica (São Braz).