Significado da palavra bug

A informática trouxe diversas formas de interpretar palavras que já existiam, entre elas o significado da palavra bug. Há 20 anos, expressões como backup, data base, download, login, link, online, UBS, wireless, upload entre outras nem sequer eram conhecidas ou faziam parte do nosso cotidiano.

Mas tudo mudou. O idioma brasileiro, assim como diversas línguas ao redor do mundo, absorveu dezenas de palavras americanas para nomear objetos e ações relacionadas ao mundo da computação, como bug. Quer saber o seu significado? Continue a leitura.

O que significa a palavra bug?

A tradução literal da palavra inglesa para o português significa bicho. Isso mesmo! Bug está relacionado a bichinhos, tipos percevejos ou um besouro. Embora inicialmente cause estranheza, a palavra é muito empregada hoje em dia.

O que acontece é que nem toda tradução pode ser feita literalmente. A palavra bug quando empregada na informática não pode ser entendida como realmente ela é no dia a dia. Bug foi escolhida na computação para dizer algo mais. Que você descobrirá no próximo tópico.

Significado da palavra bugado

Se bug quer dizer, na tradução literal, bicho, bugado é algo como bichado. Você já ouviu alguém falar assim? “Esse teto está bichado”. Ou seja, cheio de cupim e não serve mais para nada.

Pois bem, essa expressão é muito utilizada quando os computadores estão com algum erro ou danificação. Desta forma, os especialistas chamam de bug no computador.

Homem correndo com computador pegando fogo

Bug quer dizer bicho, literalmente (Foto: depositphotos)

Embora, a máquina não esteja realmente com bicho dentro dela, mas é como se fosse uma espécie de dano que precisa ser consertado. Desta forma, a expressão bugado, nada mais é que bichado, ruim, com problemas. O sistema está com bug ou bugado, significa que ele está com erro, bichado, com defeito.

O mais interessante disso tudo é que a língua é um organismo vivo, que se renova, absorve e deixa para trás algumas palavras. Logo, a palavra bug com significado em português logo foi adotada pela norma coloquial e muitas pessoas já a utilizam fora do universo da informática.

Por exemplo, se alguém está confuso, cometendo alguns erros, dizem: “ela está bugada”. A mesma expressão serve para outros equipamentos eletrônicos como celulares ou eletrodomésticos, “deu bug na máquina de lavar”, por exemplo.

Ou seja, a palavra bug embora na tradução literal signifique bicho, atualmente ela é empregada para referir-se ao erro no computador ou adaptada para situações do dia a dia nas quais as pessoas querem dizer que as coisas não estão corretas, estão “bugadas”.

Veja também: A evolução dos computadores

O que é bug do milênio

Essa expressão, bug, veio à tona no final da década de 90. Ela estava em capas de revistas especializadas e de negócios, ocupou os jornais e foi pauta de matérias de televisão, isso porque ela estava relacionada a outro problema muito maior do que um pequeno erro em um computador individual.

O bug do milênio nada mais era do que um erro coletivo em todos os sistemas de computadores do mundo. Isso deveria acontecer na virada de 1999 para o ano 2000.

Para você entender o que foi o bug do milênio, precisa compreender como funcionam os sistemas de computadores à época da criação das primeiras máquinas.

Na década de 60, quando os computadores começaram a ganhar fama e passaram a ser produzidos em uma escala maior, adotou-se alguns padrões de hardware e software.

Uma grande parte dos sistemas utilizavam a linguagem Cobol que mudava apenas os dois últimos dígitos a cada ano. Os dois primeiros para economizar memória, eram repetidos como 19. Ou seja, na virada de 1991 para 1992, o computador só precisava mudar os dois últimos números: 91 para 92. O 19 da frente era só repetido, estático.

Isso foi projetado assim pela enorme necessidade de se economizar espaço e memória das máquinas que eram mínimos.

Dessa forma, começou o burburinho sobre os possíveis erros que bancos de dados, bancos, instituições, empresas ou qualquer outra mídia sofreria na virada do ano 1999 para 2000.

Simplesmente, o sistema iria pular do 99 para 00, como já era previsto, entretanto o 19 iria permanecer estático, ou seja, os computadores iriam fazer a leitura da data como 1900.

Na prática, isso iria dar um bug nos sistemas mais antigos. Se você partir para a complexidade do fato, iria ter muita confusão com arquivos e processos já em andamento, pois de uma hora para outra, a data automaticamente iria retroceder: boletos iriam ter 100 anos de atraso, juros em cima de juros e inúmeros danos aos patrimônios seriam criados.

Previsões catastróficas do bug

Os especialistas temiam que uma série de erros pudesse comprometer os sistemas do mundo inteiro. É claro que grande parte dos sistemas já havia sido atualizada, portanto, esse temor do bug do milênio foi feito principalmente por pessoas que não entendiam do assunto.

Veja também: O que é 5G

Imagem com computador quebrado e triste

O bug do milênio se referia a um erro coletivo em todos os sistemas de computadores do mundo (Foto: depositphotos)

Porém, caso os sistemas não tivessem mesmo passado por atualizações, os danos seriam grandes, como por exemplo: transportes como metrô sem funcionar direito, contas bancárias zeradas, pois o ano voltaria a ser 1900, quando boa parte dos investimentos sequer teriam sido feitos. Aviões sem rotas, fornecimento de energia e água cortados e cadeados e cofres eletrônicos sem bloqueio etc.

Como se resolveu o bug do milênio

Apesar da correria para tentar consertar o bug do milênio e evitar prejuízos aos bancos, credores e instituições, o evento foi menos inofensivo do que se previa.

Isso aconteceu, pois, as grandes empresas buscaram especialistas para solucionar o problema antes que ele acontecesse. Profissionais do mundo inteiro se uniram e divulgavam processos e ações que precisavam ser feitos para evitar um erro nos sistemas.

A adoção de novos sistemas também evitou o bug do milênio. Atualmente, essa ameaça é vista como um exagero da época, pois grande parte dos computadores e sistemas já sabiam interpretar a virada do milênio. Apenas algumas poucas empresas mantinham sistemas tão antigos, cuja origem remontava as décadas de 60, 70 ou 80.

Empresas que ainda sofreram com o bug do milênio

O mundo inteiro gastou mais de 300 bilhões para evitar o bug do milênio. Mas na realidade somente alguns sistemas “bugaram”.

Os sistemas de transporte público da Austrália e França apresentaram erros nas datas. No Japão também algumas marcas de equipamento de radiação e na Inglaterra, alguns equipamentos médicos também apresentaram erro na virada de 1999 para 2000. Tudo muito distante da catástrofe que se previu.

Veja tambémSupercomputadores, gigantes processadores de dados

Sobre o autor

Avatar
Jornalista formada pela Universidade Federal da Paraíba com especialização em Comunicação Empresarial. Passagens pelas redações da BandNews e BandSports, TV Jornal e assessoria de imprensa de órgãos públicos.