Teorias de Stephen Hawking

Stephen Hawking é considerado o maior físico depois de Einstein. Ele foi responsável por popularizar alguns temas complexos para o público comum por meio dos seus livros, palestras e depoimentos. As teorias de Stephen Hawking tratam de buracos negros e origem do universo.

O maior sucesso editorial de Hawking é ‘Uma breve história do tempo’. É nele que o físico trata das suas principais suposições. Traduzida para mais de 30 mil idiomas, a obra se tornou um best-seller, com mais de 10 milhões de livros vendidos. Entenda mais sobre as Teorias de Stephen Hawking.

Algumas das mais célebres teorias de Stephen Hawking

Buracos Negros, nem tão negros

Em uma de suas teorias, Hawking concluiu que os buracos negros podiam diminuir e até desparecer

Hawking afirmava que os buracos negros eram capazes de gerar radiação (Foto: depositphotos)

Na década de 1974, Stephen Hawking ganhou destaque depois que teorizou que os buracos negros podem não ser tão negros assim, pois eles produzem partículas e antipartículas, em eventos minúsculos.

Isso revolucionou a ciência, pois antes da teoria de Hawking, os buracos negros eram considerados como espaços vazios, sem qualquer atividade atômica, cuja gravidade era tão grande que nada conseguiria sair de dentro dele.

Até então, os cientistas acreditavam que os buracos negros não diminuíam, apenas aumentavam, graças ao seu poder de sugar tudo para dentro de si.

Veja tambémComo funcionava a voz robótica de Stephen Hawking

Com Hawking, nasce a teoria de que os buracos negros também eram capazes de gerar radiação, por meio da irradiação de calor e, por isso, podem sim diminuir e até desaparecer.  Essa ideia colocou abaixo a crença sobre os buracos negros que até então era totalmente contrária.

Os buracos negros podem diminuir e sumir

Na prática, a dissolução dos buracos negros, seria semelhante a uma aspirina dentro de um copo com água. Todo esse pensamento foi baseado na relatividade geral de Albert Einstein, publicada em 1915.

E para deixar de existir de vez, os buracos negros passariam por uma explosão de energia semelhante a um milhão de megatons de bombas de hidrogênio de uma vez só.

O físico foi além e contradisse outro conceito da ciência: na visão de Hawking, os buracos negros cresciam em determinado momento por conta de um fenômeno que atinge todo o universo, o da desordem do sistema que causa crescimento irreversível chamado de entropia, e não porque eles atraem tudo para dentro de si.

O físico também afirmou que os altos níveis de entropia no universo fazem com que ele fique mais desordenado com o passar do tempo.

Para ele, existem mini buracos negros que emitem mais radiação do que os buracos maiores. Essa teoria recebeu o nome de Radiação Hawking por conta do físico.

O Ponto de Singularidade de Stephen Hawking

Segundo Hawking, Big Ben e buracos negros teriam relação entre si

Uma das teorias desenvolvidas por Stephen Hawking foi a do Ponto de Singularidade (Foto: depositphotos)

Outra teoria desenvolvida por Stephen Hawking é o Ponto de Singularidade, um desenvolvimento da teoria original do físico e matemático Roger Penrose. O estudioso afirmava que o buraco negro poderia ser comprimido em um único ponto de densidade infinita. E esse seria singular.

Veja também: ELA: A doença de Stephen Hawking

Esse ponto central corrobora com a ideia de que enquanto o buraco negro se desintegra em uma explosão, o universo teria se formado em uma grande explosão. Ou seja, o mundo haveria surgido mesmo do Big Ben. Buracos Negros e Big Ben usariam a mesma forma, só que com ordens contrárias.

A essa descoberta deu-se o nome de Estado de Hartle-Hawking ou Função de Onda do Universo, cuja fórmula é representada assim: S= πAkc³/2hG. Essa fórmula, inclusive, deve constar na lápide de Hawking, a pedido do próprio físico inglês.

Alinhamento com a Teoria Geral da Relatividade de Einstein

Portanto, Hawking chegou a afirmar que a Teoria Geral da Relatividade de Einstein começa no Big Ben e acaba nos buracos negros.

Com sua personalidade marcada pelo humor, Stephen até usou uma frase do físico alemão para falar sobre o Ponto de Singularidade e Big Ben: “Einstein estava errado quando disse que ‘Deus não joga dados’. A existência dos buracos negros sugere não apenas que Deus brinca de dados, mas também nos confunde ao jogá-los onde não podem ser vistos”.

Por que Hawking não ganhou o prêmio Nobel?

Se as teorias de Stephen Hawking foram tão importantes para a ciência e física quântica, por que o cientista britânico não ganhou o prêmio Nobel? A pergunta faz sentido, mas há uma explicação para esse fato.

Essa premiação só é concedida quando o cientista não só desenvolve a sua teoria, como consegue prová-la. Porém, com a tecnologia atual ainda não há como a ciência analisar de perto os buracos negros.

Houve uma chance disso acontecer quando o primeiro grande acelerador de partículas foi lançado em 2008, na Suíça. O aparelho simulou as condições ideais do começo do mundo e houve uma grande expectativa de que até buracos negros fossem formados. O que não aconteceu.

Veja também: Livros de Stephen Hawking; conheça todos

Do contrário, os especialistas são unânimes ao afirmar que isso teria dado a Stephen Hawking o prêmio Nobel. Apesar de não ter conquistado essa honraria, o físico britânico adquiriu milhares de admiradores no mundo inteiro e obteve o respeito da comunidade científica.

Stephen Hawking foi capaz, como nenhum outro físico, de popularizar temas importantes relacionados à gravitação, cosmologia, teoria quântica, termodinâmica e teoria da informação.

Sobre o autor

Avatar
Jornalista formada pela Universidade Federal da Paraíba com especialização em Comunicação Empresarial. Passagens pelas redações da BandNews e BandSports, TV Jornal e assessoria de imprensa de órgãos públicos.