,

Terceira Revolução Industrial

Terceira Revolução Industrial teve seu início após Segunda Guerra Mundial e acontece até os dias de hoje

Embora alguns pesquisadores arrisquem afirmar que o mundo já está vivendo uma Quarta Revolução Industrial, ainda não existem evidências suficientes para tal afirmativa, portanto, a Terceira Revolução Industrial é o momento vivido ainda atualmente, com amplos investimentos em três grandes pilares do desenvolvimento, a Ciência, a Tecnologia e a Informação. Estas bases são desenvolvidas e aplicadas nos mais diversos campos da sociedade, desde o âmbito produtivo até nos recursos à saúde.

Quais os antecedentes da Terceira Revolução Industrial?

Primeira Revolução Industrial

Como o próprio nome denota, antes da Terceira Revolução Industrial houveram duas outras revoluções. O contexto da Primeira Revolução industrial apresentou uma transição entre os métodos artesanais, mais rudimentares de produção para uma produção feita com maquinários e técnicas mais elaboradas.

A Primeira Revolução Industrial teve início por volta dos anos de 1750 na Inglaterra, alcançando a França e a Bélgica, sendo posteriormente estendida também para a Itália, a Alemanha, Rússia, Japão e Estados Unidos. E somente mais tarde para os demais países ainda menos desenvolvidos (sendo que alguns países até hoje não possuem desenvolvimento industrial, são os chamados países subdesenvolvidos).

São destaques deste processo a invenção da máquina movida a vapor e sua aplicação no âmbito da produção têxtil, e ainda os avanços em relação ao uso de combustíveis, quando o carvão passa a ser amplamente utilizado nas atividades industriais e ainda o telégrafo, como revolução nos meios de comunicação.

Era do petróleo

Dando continuidade ao desenvolvimento industrial, a partir de 1860 tem-se um outro momento histórico, o qual irá se estender até o momento após a Segunda Guerra Mundial (1939 a 1945). Esse momento foi marcado pelo desenvolvimento de novos processos de fabricação do aço, bem como pelo aparecimento do dínamo, e ainda a invenção do motor de combustão interna.

Há ainda, no contexto, importantes avanços como o fornecimento centralizado de energia elétrica, bem como a ascensão do uso do petróleo nas mais diversas atividades produtivas (era do petróleo), o acesso aos automóveis abriu as portas para a sociedade de consumo de massa, quando as pessoas comuns podiam ter acesso ao bem. No âmbito da comunicação, os avanços mais importantes foram o acesso aos telefones, televisores e rádios.

O que é a Terceira Revolução Industrial?

Terceira Revolução Industrial teve seu início após Segunda Guerra Mundial

As bases dessa revolução foram a introdução de novas tecnologias de produção (Foto: depositphotos)

A chamada Terceira Revolução Industrial tem sua gênese no contexto pós Segunda Guerra Mundial, quando países como os Estados Unidos e seus aliados europeus e asiáticos, apoiados no Plano Marshall (um projeto de recuperação econômica dos países no contexto após a Segunda Guerra Mundial, pois vários países estavam com suas economias desestruturadas) tiveram um crescimento acelerado.

As bases da Terceira Revolução Industrial foram a introdução de novas tecnologias no processo produtivo, como a robótica e a informática, o que possibilitou o aumento da produtividade dos países envolvidos, tornando-os ainda mais competitivos, e acelerando o processo de recuperação e desenvolvimento econômico.

Neste sentido, houve um massivo investimento para alcançar um avançado patamar tecnológico, o qual necessitou de esforços das empresas e dos Estados. As mudanças ocasionadas pela Terceira Revolução Industrial não atingiram apenas o setor produtivo industrial, mas se estenderam também para o âmbito cultural, quando as pessoas passaram a ter maior acesso aos aspectos culturais globais, especialmente por meio da internet. De modo geral, esse período representa o capitalismo adentrando em sua fase técnica-científica, e como acrescentam alguns pesquisadores, também informacional.

Para o autor Jeremy Rifkin (um teórico social e econômico estadunidense, com vários livros publicados na área), os cinco pilares da Terceira Revolução Industrial são:

  • Mudança para energia renovável;
  • Transformação do patrimônio imobiliário de cada continente em microgeradores de energia para coletar energias renováveis no local;
  • Emprego de hidrogênio ou outras tecnologias de armazenamento em todas as edificações e toda infraestrutura para armazenar energia intermitentes;
  • Uso da tecnologia da internet para transformar a rede elétrica de todo continente em uma rede de compartilhamento de energia que age como a internet (quando milhões de edificações estão gerando uma pequena quantidade de energia no local, elas podem vender o excedente para rede e compartilhar eletricidade com seus vizinhos continentais);
  • Efetuar a transição da frota de transporte para veículos movidos a células de combustíveis ou elétricos que podem comprar e vender eletricidade. É uma rede de eletricidade interativa, continental e inteligente.

Os países que comandam as transformações da Terceira Revolução Industrial são os Estados Unidos, com produção na área da informática e das telecomunicações; o Japão com investimentos em pesquisas sobre robótica e microeletrônica e ainda a Alemanha, com pesquisas na área da biotecnologia. No entanto, é importante frisar que existem pesquisas e avanços em várias partes do mundo que contribuem para os avanços da ciência, da tecnologia e da informação. 

O meio técnico-científico-informacional para Milton Santos

A evolução humana ocorreu concomitantemente ao avanço dos conjuntos técnicos, sendo que quanto maior a possibilidade de criação e uso de técnicas, mais o ser humano conseguia expandir seus conhecimentos e atuação.

A ciência é o estudo que embasa a criação das técnicas no contexto contemporâneo, baseada em teoria e prática. Neste sentido, Milton Santos, importante geógrafo brasileiro, acrescenta o fator informacional no contexto das transformações técnicas e científicas. Para ele, o que é representativo do sistema de técnicas atual é a chegada da técnica da informação, por meio da cibernética, da informática, da eletrônica.

Revolução Mexicana

Ela vai permitir duas grandes coisas: a primeira é que as diversas técnicas existentes passam a se comunicar entre elas. A técnica da informação assegura esse comércio, que antes não era possível. Por outro lado, ela tem um papel determinante sobre o uso do tempo, permitindo, em todos os lugares, a convergência dos momentos, assegurando a simultaneidade das ações e, por conseguinte, acelerando o processo histórico. Assim, a Terceira Revolução Industrial tem em seu contexto a possibilidade da informação, o que a torna ainda mais intensa e amplia as possibilidades de sua expansão.

 

Referências

» RIFKIN, Jeremy. A Terceira Revolução Industrial: como o poder lateral está transformando a energia, a economia e o mundo. São Paulo: M. Books do Brasil, 2012.

» SANTOS, Milton. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. 10. ed. Rio de Janeiro: Record, 2003.

» VESENTINI, José William. Geografia: o mundo em transição. São Paulo: Ática, 2011.

Sobre o autor

Avatar
Mestre em Geografia e Graduada em Geografia pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), Especialista em Neuropedagogia pela Faculdade Alfa de Umuarama (FAU) e em Educação Profissional e Tecnológica (São Braz).