Tornado

Saiba o que é um tornado e como se forma este destrutivo fenômeno natural, que forma um espiral de vento reunindo a força e umidade

Os tornados são fenômenos naturais que deixam um rastro de destruição por onde passam. Basicamente, os tornados são nuvens em forma de funil que ligam a base de uma cumulonimbus (nuvem de amplo desenvolvimento vertical) à superfície terrestre. A partir de seu deslocamento, causam estragos em conformidade com suas proporções. 

O que são os tornados?

Os tornados são considerados os mais graves fenômenos atmosféricos registrados pelo homem, por conta dos intensos danos que ocasionam por onde passam. Os tornados são constituídos a partir de uma coluna de nuvem que gira muito rapidamente, tomando forças neste momento, e que se liga entre a nuvem e o chão.

Os ventos dos tornados podem chegar aos 500 km/h, enquanto o tamanho dos tornados pode ficar em média nos cem metros. Os danos ocasionados pelos tornados advêm do seu caráter afunilado, o que representa que amplas áreas possivelmente não serão afetadas, como em uma tempestade comum, mas que apenas os locais pelos quais o tornado passar, serão atingidos. No entanto, a força fica acumulada neste, com uma zona de baixa pressão atuante, o que faz com que haja uma intensa sucção das coisas para dentro do tornado.

Tornado

Foto: Pixabay

Como se formam os tornados?

Embora ainda existam algumas dúvidas entre os pesquisadores sobre as formas pelas quais um tornado é formado, sabe-se que este fenômeno natural tem início em meio a intensos temporais, quando há instabilidade atmosférica. Há uma mudança na direção dos ventos atrelado à um aumento da velocidade do mesmo, o que cria uma rotação horizontal muito intensa destes ventos na atmosfera. O ar ascendente da baixa atmosfera entra nesta tempestade e o ar que estava em rotação horizontal, passa para posição vertical (forte vorticidade vertical), ligando a nuvem ao chão.

Assim, os requisitos básicos para a formação de um tornado são a superposição de massas de ar ascendentes e ainda que existam campos de rotações de ventos. As nuvens que comumente formam os tornados são as cumulonimbus, as quais são nuvens com grande desenvolvimento vertical (imagem abaixo), e que são conhecidas por produzirem relâmpagos, chuvas severas e temporais.

Tornado - Nuvem cumulonimbus

Foto: Pixabay

Características dos tornados

Os tornados são fenômenos naturais extremamente poderosos, sendo que se estima que produzem energia equivalente a uma bomba atômica de 20 quilotons (quantificação da energia liberada por uma bomba em explosão), potência essa que pode ser intensificada em conformidade com a força atingida pelo tornado. Os tornados possuem um movimento giratório próprio de alta intensidade, o que faz com que girem rapidamente com muita força. No entanto, sua dinâmica não se esgota nisso, pois eles se deslocam também rapidamente, tanto em linha reta, quanto em sentido sinuoso.

 Classificação dos tornados

Em homenagem ao cientista de tornados Dr. Ted Fujita (nascido em 1920, falecido em 1998) da Universidade de Chicago, a escala que mede a intensidade dos tornados é a Escala Fujita. A intensidade dos tornados é medida a partir dos estragos que eles ocasionam, e não necessariamente pelo seu tamanho, o que seria um processo de difícil análise. Portanto, são averiguados os danos materiais e sociais ocasionados, e então define-se a escala do tornado. A Escala Fujita abrange seis níveis de intensidade:

  • F0 – considerado fraco, atinge ventos que se estendem desde os 64 até 116 Km/h – Os danos registrados são galhos de árvores quebrados e telhas arrancadas. Raramente há registros de pessoas feridas nesta categoria de tornado.
  • F1 – considerado ainda fraco, atinge ventos de 117 até 180 Km/h – Nesta categoria são registradas árvores arrancadas ou derrubadas, podendo haver ainda danos maiores em telhados, bem como tombamento de trailers e desabamento de barracos.
  • F2 – considerado de intensidade média, são aqueles cujos ventos se estendem de 182 até 253 Km/h. Nesta categoria são registradas árvores voando e arrastadas pela força dos ventos. Além disso, pequenas estruturas vão ao chão.
  • F3 – considerados médios, abrangendo ventos de 254 até 332 Km/h. Esse tipo de tornado é mais severo, quando carros tombam e paredes são derrubadas. Comumente árvores são arrancadas com raízes neste tipo de tornado.
  • F4 – considerado como um tornado violento, pode atingir velocidades entre 333 e 418 Km/h. Esse tipo de tornado provoca devastação no local atingido e casas são parcialmente destruídas.
  • F5 – são tornados considerados violentos, sendo que atingem velocidades entre 420 e 512 Km/h. Neste contexto, estruturas de aço do tamanho de carros podem mover-se, edifícios podem ser arrancados do chão.
Tornado - Escalas de destruição

Imagem: Reprodução/Google Imagens

Tornados no Brasil

A Universidade Estadual de Campinas estima que desde os anos de 1990 até pelo menos 2015, o Brasil tenha sido atingido por mais de 250 tornados. Portanto, pode-se dizer que o país está na rota dos tornados, e que o fenômeno natural, embora ainda pouco conhecido, possa acontecer muitas vezes no Brasil nos próximos anos.

O que torna mais grave a situação dos tornados, é que ainda não existem meios precisos para detectar a formação do fenômeno, medida esta que certamente salvaria muitas vidas. Alguns dos tornados que atingiram o Brasil são um em Xanxerê (SC) no ano de 2015, quando na ocasião, houveram muitos danos infraestruturais e ainda duas mortes contabilizadas, além de mais de 100 pessoas feridas (foto abaixo); no mesmo ano (2015), houve também um tornado em Marechal Cândido Rondon (PR), onde uma “família de tornados” deixou um rastro de destruição.

Além destes, em 2013, o município de Taquarituba (SP) também enfrentou a força de um tornado, deixando duas pessoas mortas e mais de 60 feridas, além de danos. No mesmo ano (2013), a cidade de Limeira (SP) também sofreu com um tornado, deixando danos na área urbana e rural da cidade. Além dos muitos outros episódios que já aconteceram no Brasil, destaca-se ainda o ocorrido no ano de 2009, quando três cidades de Santa Catarina foram atingidas por tornados, sendo elas Guaraciaba, Salto Veloso e Santa Cecília, na ocasião mais de 15.000 pessoas tiveram suas residências destruídas pelo fenômeno. Acredita-se que o primeiro registro formal de tornado no Brasil tenha sido no ano de 1985, na cidade de São Paulo (SP), sendo ele de baixa intensidade (F0).

Para saber mais sobre o histórico de tornados no Brasil, consulte o site “Vivo Verde”, no link: http://vivoverde.com.br/historico-dos-tornados-no-brasil/

Luana Caroline Kunast é mestre em Geografia.

Referências

» NORONHA, Aurélio Wildson Teixeira de. Estudo qualitativo sobre a formação dos “tornados” e descrição dos eventos acontecidos nos anos de 2006 a 2009 no estado do Ceará. 2010. 63 f. TCC (Graduação) – Curso de Licenciatura em Física, Centro de Ciências e Tecnologia, Universidade Estadual do Ceará, Ceará, 2010. Disponível em: <http://www.uece.br/fisica/index.php/arquivos/doc_download/98->. Acesso em: 18 de junho de 2017.

» PARANÁ. Secretaria de Estado da Educação. Dia a Dia Educação. Escala Fujita. Disponível em: < http://www.geografia.seed.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=279>. Acesso em: 18 de junho de 2017.

» TORNADOS, Furacões, e Tufões. Biblioteca da Prefeitura de Santo André (SP). Disponível em: < http://www.santoandre.sp.gov.br/biblioteca/bv/hemdig_txt/080507001.pdf>. Acesso em: 18 de junho de 2017.