,

Verbos abundantes

Talvez você já tenha passado pela situação de se perguntar o seguinte: “aceito” ou “aceitado”, qual é o correto na Língua Portuguesa? O verbo “aceitar” é apenas um dos exemplos que causam dúvidas entre os usuários da língua.

Na Língua Portuguesa, encontramos os verbos irregulares, que são aqueles que se diferenciam dos demais verbos por não seguirem regularmente as conjugações as quais pertencem. Alguns destes verbos são conhecidos como anômalos, defectivos e abundantes. Lembra-se do exemplo do “aceito”/”aceitado”? Trata-se de um exemplo dos verbos abundantes.

Verbos abundantes

Foto: Reprodução

Os verbos abundantes são aqueles que apresentam mais de uma forma de conjugação, ou seja, possuem duas ou mais formas equivalentes para o mesmo tempo e pessoa. Isto ocorre principalmente na forma do particípio do verbo, pois existem dois tipos de particípio: um com a forma regular – com as terminações ado, ido, ada e ida -, e outro com a forma irregular, apresentando a terminação diferente das previstas.

Exemplos de verbos abundantes

Como já foi dito, existem dois tipos de particípio, o regular e o irregular. Para diferenciá-los, basta prestar atenção na sua terminação. Os particípios regulares são empregados na voz ativa (ter e haver); já os irregulares são utilizados na voz passiva (ser, estar, ficar etc.). Entretanto, atualmente nem sempre se seguem essas formas.

Confira a seguir uma lista com alguns exemplos de verbos que possuem duas formas no particípio, ou seja, são verbos abundantes:

InfinitivoParticípio regularParticípio irregular
AceitarAceitadoAceito
AcenderAcendidoAceso
AssentarAssentadoAssento
CorrigirCorrigidoCorreto
EncherEnchidoCheio
EntregarEntregadoEntregue
ExpressarExpressadoExpresso
ExtinguirExtinguidoExtinto
FixarFixadoFixo
FritarFritadoFrito
LimparLimpadoLimpo
MisturarMisturadoMisto
MorrerMorridoMorto
PagarPagadoPago
SuspenderSuspendidoSuspenso
TingirTingidoTinto
VagarVagadoVago

Observações importantes

É importante destacar que existem alguns verbos que possuem apenas o particípio irregular. São eles: abrir – aberto; cobrir – coberto; dizer – dito; escrever – escrito; fazer – feito; pôr – posto; ver – visto; vir – vindo.

Com relação aos verbos “ganhar”. “gastar” e “pagar”, prefira usar “ganho”, “gasto” e “pago”, tanto na voz ativa quanto na passiva, pois já não se utilizam as formas “ganhado”, “gastado” e “pagado”.

O particípio do verbo “pegar” só é usado, no português atual, na voz passiva. Por exemplo: Ele foi pego em flagrante. Nos outros casos, é utilizada a forma “pegado”, tanto na voz ativa quanto na passiva.

Outra importante observação é a respeito do verbo “imprimir”, pois, quando está empregado no sentido de realizar movimento, este não é um verbo abundante.

*Débora Silva é graduada em Letras (Licenciatura em Língua Portuguesa e suas Literaturas)