Características da literatura Barroca

A literatura Barroca se concentra em marcar antíteses, principalmente entre o pensamento católico e os desejos mundanos. Veja as características e autores


Caracterizado pelos contrastes, oposições e dilemas, o período literário chamado de Barroco nasce no final do século XVI e início do século XVII decorrente da crise do Renascimento que fora ocasionada, principalmente, pelas fortes divergências religiosas e imposições da Igreja Católica, sem falar nas dificuldades econômicas decorrentes do declínio do comércio do Oriente. Os homens barrocos buscavam pela salvação, mas ao mesmo tempo queriam usufruir dos prazeres mundanos, o que entrava em conflito direto com os católicos conservadores da época. Pode-se dizer que era o antropocentrismo (homem) se opondo ao teocentrismo (Deus), o pecado e o perdão, a religiosidade medieval e o paganismo do período renascentista. O Barroco destaca tudo que é inconstante, que muda de aspecto, que está em movimento.

Características da literatura Barroca

Dentre as principais características da literatura Barroca estão o cultismo e o conceptismo. |  Imagem: Reprodução

As figuras de linguagem no Barroco

  • Antítese: Aparece na contradição do homem barroco, seu dualismo. Ela revela o contraste que o escritor consegue ver em quase tudo;
  • Hipérbole: Dá ideia de grandiosidade e pompa à escola literária barroca;
  • Metáfora: Comparações implícitas nos textos;
  • Paradoxo: Remete à união de duas ideias contrárias em um só pensamento. Se opõe ao racionalismo da arte renascentista;
  • Prosopopéia: Personifica os seres inanimados para dar mais dinamicidade à realidade.

Autores do Barroco brasileiro

  • Bento Teixeira, que deu início à escola literária barroca e foi o autor de Prosopopéia;
  • Gregório de Matos, conhecido como “O Boca de Inferno”, foi o maior poeta barroco brasileiro;
  • Padre Antônio Vieira, o maior orador sacro da literatura no Brasil;
  • Manuel Botelho de Oliveira, o autor de “Música do Parnaso”.

Características do estilo literário Barroco

Teocentrismo x Antropocentrismo

O rebuscamento da arte barroca acaba refletindo no dilema que o homem do século XVII vivia. Não se sabia ao certo o que mais desejava o fundo de sua alma, se eram os prazeres da vida ou se conservar “santo” para a Vida Eterna. Os temas acabaram por serem bastante opostos, por exemplo, perdão e pecado, bem e mal, espírito e matéria, céu e inferno. Isso acabou gerando a preocupação com o fato de a vida ser breve, portanto deveria ser aproveitada.

Cultismo, gongorismo e conceptismo

Pode se chamar de cultismo ou gongorismo o jogo de palavras, o rebuscamento da forma, a obsessão pela linguagem culta e erudita. É o abuso de figuras de linguagem no texto, especialmente a metáfora, antítese e o hipérbato. Já o conceptismo pode ser entendido como a preocupação com as associações inesperadas que seguem o raciocínio lógico e racionalista. Este é o aspecto construtivo da arte literária barroca que se volta para o jogo das ideias e conceitos.

Antíteses comuns nas obras barrocas

  • Claro x escuro
  • Vida x morte
  • Tristeza x alegria

Reportar erro